Meta batida, mas o crowdfunding continua!

flufest100

Pela sexta vez consecutiva desde o ano de 2012, o Fluminense usou a estratégia de um financiamento coletivo para viabilizar um sonho e conseguiu ser de novo bem-sucedido. A Flu Fest já é uma realidade, que cresce a cada edição, trabalhada de modo criativo e inteligente, nitidamente com muita pegada e sangue tricolor.

Todo torcedor que aderir ao projeto vai passar um 21 de Julho especial nas Laranjeiras. E pelo menos até o dia 18 de Julho, ou enquanto durarem as vagas, é possível participar. Acesse o site e faça parte dessa história. Será uma inesquecível celebração em verde, branco e grená com torcedores de todo o país.

Agressividade sem entregas

CDel3

Na noite de ontem no Conselho Deliberativo, em mais uma reunião convocada via requerimento basicamente por seus próprios conselheiros, a chapa Fluminense Unido e Forte (FUF) tentou na tribuna justificar a sua saída da gestão Pedro Abad.

A pauta da reunião solicitada no requerimento foi a explicação do assunto Gérson, maior venda da história do Fluminense, realizada em 2015 e um dos claros frutos do investimento maciço em Xerém que a Flusócio sempre defendeu desde que fazia parte da oposição. O segundo item da pauta foi Assuntos Gerais.

O assunto Gerson foi superado rapidamente, pois a falta de pagamento aos parceiros nos direitos econômicos do atleta é uma situação já amplamente conhecida, e não foi um problema criado pela atual gestão. Além disso, o detalhamento sobre toda a operação de venda foi realizado pela gestão Abad através de nota explicativa no balanço de 2017, de forma a deixar o assunto o mais transparente possível. O documento é público e pode ser consultado na íntegra no site oficial do Fluminense.

Durante o item de pauta Assuntos Gerais, infelizmente os integrantes da FUF se revezaram na tribuna em ataques ao Presidente Pedro Abad e sua base aliada.

O ex-Vice Presidente Geral Cacá Cardoso disse que seu grupo foi vítima de um golpe, acusação confusa para alguém que estava no Conselho Diretor da gestão Peter Siemsen, atuando como Vice-Presidente de Interesses Legais até 2015, e que durante a campanha eleitoral de 2016 prometeu contratações como as de Marcelo e Thiago Silva, além do aporte de investimentos a ser realizado por contatos empresariais que nunca sequer se aproximaram do clube.

Além disso, há menos de dois meses atrás, o Sr Cacá Cardoso surpreendeu a todos sentado na primeira fila de uma reunião onde sua base aliada decidiu pleitear a renúncia do Presidente Abad. Aqui merece registro o constrangedor cuidado em exigir a renúncia ao invés do impeachment, pois neste caso a Presidência cairia em seu próprio colo. No caso de impeachment, o Estatuto do Fluminense prevê novas eleições.

A nota do grupo Flu 2050, um dos integrantes da chapa Fluminense Unido e Forte, ressalta que eram seus objetivos “criar condições, através de uma administração sólida, transparente e responsável, para que o Fluminense se tornasse atrativo ao mercado”. Mas na prática, a pasta de Finanças perdeu prazo legal para apresentação do balanço patrimonial de 2017, algo inédito no Fluminense, sujeitando a instituição ao achincalhe público e às inúmeras sanções previstas em lei.

Também tentam imputar ao Presidente Abad “decisões unilaterais”, tais como:

(i) O não pagamento do jogador Gustavo Scarpa, num cenário em que o clube terminou o ano de 2017 com apenas 18 mil reais em caixa;

(ii) A forma de demissão dos jogadores, quando o ex-Vice Presidente de Finanças, Sr. Diogo Bueno, foi à tribuna em 29/12/2017 defender a estratégia, na reunião de aprovação do orçamento 2017, reforçando que “os atletas estavam irredutíveis”;

Agride a inteligência do torcedor sair do barco tentando se empoderar de alguns itens, tais como:

(iii) Estruturação para que o clube tenha sua operação de e-commerce, assim como, para a expansão do número de lojas, quando na verdade, após 18 meses de gestão de marketing conduzida pela FUF, ainda somos o único dos grandes clubes do Brasil sem aplicativo móvel funcional, sem loja oficial online e sem a criação de nenhuma outra loja física além das 3 que já existiam antes de assumir (Laranjeiras, Nova Iguaçu e Brasília);

(iv) O contrato Under Armour, uma conquista de todo Fluminense, mas que após um ano de duração ainda tem ausência na distribuição de vários itens para o varejo, mesmo num cenário onde o Fluminense recebe através de percentual por peça vendida;

É importante que o torcedor saiba que:

(v) A operação financeira chamada FDIC ainda está sendo avaliada. Infelizmente as condições financeiras trazidas pelo ex-Vice Presidente de Finanças são pesadas para o Fluminense, e em reunião do Conselho Diretor, o próprio Cacá Cardoso concordou com a maioria dos demais que o clube deveria antes buscar outras alternativas, com taxas mais favoráveis, algo que está sendo tentado neste momento;

(vi) Todas as demandas jurídicas citadas possuem escritórios especializados contratados para execução das mesmas, tanto nas esferas trabalhista, como tributária e cível, pagos com recursos do Fluminense FC, e são estes prestadores de serviços que conduzem as demandas judiciais sob a supervisão dos profissionais do Jurídico interno;

(vii) O DIM (Documento Interno de Memória) sobre as negociações de jogadores já existia no clube desde a gestão Peter Siemsen, conforme explicado pelo Presidente Abad em reunião recente do Conselho Deliberativo;

(viii) O projeto de revitalização de Laranjeiras é apartidário e está sendo tocado por um grupo de associados, não depende em nada da FUF, como já foi dito nas redes sociais por vários de seus integrantes. Os maiores desafios de seus idealizadores são conseguir as licenças para as obras e principalmente a estruturação financeira, com uma fonte firme de financiamento;

Reiteramos nosso apoio ao Presidente Pedro Abad no Conselho Deliberativo e solicitamos ao Presidente da Mesa Diretora, Sr Fernando Leite, que as pautas do Conselho Deliberativo voltem à normalidade estatutária.

É preciso voltar o foco para a deliberação sobre contas do exercício 2017 e refutar assuntos ligados apenas à parte política, que infelizmente se tornaram uma rotina na casa há alguns meses.

A força das pequenas ações

midias_sociais

O Fluminense quebrou um sofrido tabu contra a Chape e vai terminar a rodada pelo menos no G4. Neste promissor início de campeonato, temos um time renovado em relação aos últimos anos, com bom padrão de jogo, e vários reforços e jovens mostrando seu valor, o que demonstra acerto. O mérito da comissão técnica é muito grande e precisa ser enaltecido.

Para aproveitar o bom momento, convocamos todos os tricolores a serem sócios do nosso clube. Muito já foi falado sobre as vantagens, há planos a partir de R$ 9,90 mensais e todos os benefícios estão descritos no site oficial. Mas o que interessa mesmo aqui é a relação de pertencimento, de engajamento para tornar o seu clube mais fortalecido rumo às vitórias.

Importante também seguir o Fluminense em todas as mídias digitais, pois o tamanho dessas comunidades funciona como ativo na hora de negociar patrocínios e permutas.

Do ponto de vista de um parceiro comercial do Fluminense, quanto mais gente estiver conectada aos canais digitais do clube, maior será o alcance de um anúncio publicado nestes canais de mídia, por exemplo:

Facebook
Twitter
Instagram
Youtube

Solicitamos especial atenção ao nosso canal no Youtube, onde o conteúdo é bom com vídeos exclusivos de bastidores, entrevistas e divulgação de projetos sociais onde o Fluminense está envolvido. Para se inscrever no canal oficial do Fluminense no Youtube, basta acessá-lo e clicar no botão “INSCREVER-SE”. É de graça! Mas estamos mal representados nesta mídia que talvez seja a mais importante, o embrião de um futuro canal de TV próprio e justamente onde o número de visualizações e seguidores remunera diretamente o clube.

Pequenas ações tem muito valor. Divulgue essas ideias com seus amigos tricolores.

#SomosFluminense
#AbraceOFlu

Azar da Champions!

azar

Ontem foi mais um daqueles jogos em que saímos do Maracanã extasiados. Não apenas pelo resultado. Também não só pela chegada a zona de classificação para a Libertadores. Mas, principalmente, porque vimos novamente um time lutando muito pela vitória. Um grupo de jogadores dando seu máximo pelos 3 pontos, assim como havia sido contra o Botafogo. Só que dessa vez, merecidamente, saímos vencedores.

Está dando gosto de ver esse time em campo. Pela luta, disposição e pela forma leve que tem jogado.

Único ponto a lastimar ontem foi que a exibição desse grupo comandado pelo Abel merecia um público maior. Claro que há uma série de fatores alheios ao jogo (economia do país, violência na cidade e transportes precários) que afastam o torcedor. Mas o clube precisa mostrar ao torcedor que sua presença no estádio é importante. Não apenas para o Maracanã não nos dar prejuízo financeiro. Mas, principalmente, porque é fundamental mostrar aos jogadores que nós, tricolores, reconhecemos o quanto eles têm se doado. A presença de público é praticamente um recado a quem veste a camisa mais linda do mundo: “Continuem assim, estamos gostando do que temos visto.”

Nossa próxima partida será novamente no Maracanã, mas com um concorrente de peso. A partida foi agendada pela CBF para o mesmo horário da final da Champions League. Algo lamentável, que apuramos ter sido tentado ser alterado, sem sucesso. Mas já circula pelas redes uma arte com uma campanha interessante, mostrando ao torcedor tricolor a sua importância no próximo jogo.

Esperamos que, ao longo dessa semana seja assim. O clube convocando seu torcedor a apoiar, jogadores, comissão técnica e diretoria também. E tricolor chamando tricolor para enchermos o estádio no próximo sábado. Por que não? Convoque seu vizinho, seu amigo, aquele parente que há tempos não vai ao estádio. Está na hora da gente retomar aquela comunhão time-torcida, que sempre traz resultados memoráveis para o Fluminense.

Tricolor, sábado à tarde, vamos todos ao Maracanã. Fluminense x Chapecoense será um jogo importante para nossas pretensões no campeonato brasileiro. Um adversário sempre complicado para nós, mas que jogando no nível em que nosso time tem jogado, é plenamente possível sairmos com a vitória para depois jogar dois jogos duros fora de casa: Grêmio e Paraná.
E tem mais: você que ainda não é sócio, dá tempo de se associar e já aproveitar o benefício do desconto no ingresso já para essa partida. Corra para aderir ao sócio futebol e ter seu ingresso mais barato, ajudando ainda mais o Fluminense. Acesse o portal do Sócio Futebol e faça parte dessa volta para cima do Flu.

Até Sábado!

Ser vidraça não é facil

FUF e Blefes

A Flusócio existe há 15 anos, é um grupo 100% oriundo das arquibancadas. Durante esse tempo lutou, acertou, errou e aprendeu. Sempre deixamos claro por meio dos nossos canais digitais o que o grupo pensa, mostrando a importância que merecem atividades como as categorias de base (Xerém), infraestrutura (CT), responsabilidade e planejamento financeiro (Profut, Ato Trabalhista, entre outros), democratização das eleições do clube (sócio futebol), captação de novas receitas (patrocinadores e ativações para atrair mais sócios), reorganização administrativa (contratação E&Y), reconhecimento da história do clube (expansão do Flu-Memória e produtos institucionais), reforma da estrutura para os Esportes Olímpicos (ginásio, parque aquático), entre outras. Sempre buscamos o melhor para o Fluminense.

Para a eleição de 2016, a chapa Fluminense Unido e Forte (FUF), até então último colocada nas pesquisas, se apresentou para uma aliança com a nossa candidatura Pedro Abad, que aglutinava uma união composta por Flusócio, Esportes Olímpicos e aliados independentes de Peter Siemsen e Pedro Antônio. Dentro da filosofia de sempre tentar o melhor para o Flu, e apesar de Pedro Abad liderar todas as pesquisas com folga, optou-se pela união com a FUF levando em conta o aceno de quadros capacitados e a promessa de networking diferenciado, que poderiam trazer investimentos para o clube.

Na composição da diretoria, a FUF ficou com pastas importantes como a Vice Presidência Geral, a pasta de Finanças (essencial num clube que necessita rolar e alongar sua dívida de curto prazo e elaborar soluções financeiras contra a crise econômica que atravessa), o Marketing (pasta responsável por elaborar campanhas de atração de novos sócios e geração de novas receitas), Governança Corporativa (para apoiar a reorganização administrativa), a Presidência do Conselho Fiscal e 60 cadeiras no Conselho Deliberativo. Posteriormente, foi cedida também ao grupo aliado a Vice Presidência Jurídica.

Foi com a ocupação destes cargos essenciais que a chapa Fluminense Unido e Forte participou da gestão Abad desde o primeiro dia do mandato. Mas decorridos quase 1 ano e meio de gestão, os contatos prometidos durante a campanha não se transformaram em resultados práticos.

Lamentamos o modo intempestivo como os vice presidentes deixaram suas pastas, mas entendemos também que é algo praticamente impensável continuar trabalhando tendo sua base de apoio se posicionando publicamente contra a gestão na qual trabalhavam. Uma situação, no mínimo, inusitada.

A Flusócio seguirá em frente, apoiando o presidente Pedro Abad e todos que quiserem ajudar na busca pelo melhor para o clube. Sempre que enxergamos alguma possibilidade de gente de fora do nosso grupo agregar ao Fluminense, esqueceremos diferenças e abraçaremos, tentando caminhar juntos. Às vezes dá certo, outras não.

Por fim, apenas um esclarecimento em relação a matéria veiculada pelo site Globo Esporte com o ex-Vice Presidente de Finanças Diogo Bueno. Diferentemente do que se afirmou, a contratação da consultoria da Ernst & Young não foi uma entrega da FUF. Foi fruto de contribuições voluntárias de tricolores de praticamente todas correntes políticas do clube, inclusive da Flusócio, que na ocasião fez questão de demonstrar orgulho de participar dessa iniciativa, com doação financeira de inúmeros de seus integrantes. Assim como erros e acertos da gestão até ontem, o pagamento à E&Y é responsabilidade de todos que caminharam juntos nesses 18 meses de gestão Pedro Abad.

1 2 3 4 5 206