Sobre a precificação do Maracanã

torcida-linda-III

Em tempos de crise nacional, o pleito de todos os brasileiros é por produtos e serviços mais baratos. Não poderia ser diferente com os preços dos ingressos para os jogos do Flu como mandante, pois o aperto está no bolso de todos.

Desde o ano passado, a diretoria tem negociado junto ao Maracanã por abatimento de custos. Já foram tentados fechamento de setores da arquibancada em jogos de pouca demanda, fechamento de acessos para diminuição de quadro móvel de trabalhadores, tais como bilheteiros, orientadores de público, pessoal de bares e afins.

Entretanto, mesmo com todas as reduções de custeio negociadas, enquanto vigorar a esdrúxula deliberação do TJ que transformou um aditivo com prazo determinado de 6 meses em alteração definitiva num contrato de 30 anos de duração, dificilmente o Fluminense conseguirá abrir o Maracanã sem ter que pagar entre R$ 400 mil e R$ 500 mil de despesas por partida, entre aluguel, operação do jogo e demais taxas, tais como arbitragem, impostos, FERJ etc. Entenda.

Frequentemente os prejuízos do Fluminense num único mês chegam a cerca de R$ 1 milhão (quantia que poderia ser usada em dois ou três reforços de bom nível).

Lembramos que tal aditivo foi acordado para reabrir o Maracanã, que estava fechado desde o encerramento das Olimpíadas de 2016, para que o Fluminense pudesse tentar a vaga na Libertadores durante os jogos finais do brasileiro daquele ano, contra Vitória (2×2) e Atlético-PR (1×1).

Com este novo padrão de custos do Maracanã, infelizmente o Fluminense acumulou prejuízos durante toda a temporada de 2017. Houve esforço da diretoria com o lançamento do e-ticket, a campanha de engajamento #AbraceOFlu, a volta do Sócio Futebol com 100% de desconto e inúmeras promoções em vários jogos. Mas mesmo assim o clube acumulou resultados financeiros negativos em 90% de seus jogos.

É importante entender que aqueles que precificam os jogos precisam medir o intangível, que é a expectativa criada na torcida para uma determinada partida, com aquilo que é dado concreto, ou seja, a média histórica recente de comparecimento no estádio, considerando os jogos vendidos a diferentes preços e horários. Logo, a continuidade de bons públicos facilita a viabilidade de se praticar uma política de ingressos mais baratos.

Por exemplo, na temporada de 2017 tivemos os seguintes jogos, com ótimos horários:

06/06/2017 (terça-feira, 20h) – Fluminense 1 x 1 Atlético-PR – Público: 12.841 presentes / 10.894 pagantes – Ingresso de Leste Inferior e Sul custaram R$ 30,00. Uma vitória colocaria o Flu no G6. Veja aqui.

24/09/2017 (domingo, 16h) – Fluminense 0 x 1 Palmeiras – Público: 13.145 pessoas (11.208 pagantes) – Ingresso de Leste Inferior custou R$ 40,00. Veja aqui.

28/10/2017 (domingo, 16h) – Fluminense 1 x 1 Bahia – Público – 12.841 presentes (10.894 pagantes) – Ingresso de Sul e Leste Inferior custou R$ 40,00. Veja aqui.

O melhor resultado de público do Fluminense como mandante em 2017 foi às 18h de um sábado (05/08/2017), quando 24.098 pagantes compareceram ao Maracanã e acompanharam a vitória por 3 a 1 sobre o Atlético-GO, num jogo recheado de sentimento, que teve homenagem ao treinador Abel Braga após a trágica morte do seu filho. Nesta partida, os ingressos custaram R$ 40,00 em todos os setores. Veja aqui.

Apesar das promoções, exceto no último jogo citado, que teve resultado positivo de apenas R$ 54.654,32, todas as demais partidas geraram prejuízos enormes ao Fluminense, que impactam na capacidade de investimento do clube, influem no atraso de salários e na montagem da equipe profissional.

Como não levar este histórico recente em conta na hora de precificar e como precificar baseado numa visão apenas otimista de público?

É importante entender que, se fosse aplicado apenas o interesse da instituição, o preço certamente seria o menor possível, para que o máximo de tricolores pudesse estar presente em todas as partidas. Entretanto, a crise que assola o bolso de todos os brasileiros também assola os clubes, e o nosso Fluminense ainda joga no estádio mais caro do país em termos de despesas.

Hoje em dia o Fluminense tem feito boas promoções em planos para seus sócios, que tem contado com descontos a partir de 60%. Neste caso, o valor pago em mensalidades torna possível a redução de preço nos ingressos. É uma alternativa.

É sempre importante que o clube entenda o pleito dos torcedores, mas neste caso a questão é totalmente matemática. O clube segue na Justiça brigando para fazer valer o seu contrato original com o Maracanã, mas enquanto não consegue mudar a decisão do Judiciário carioca, é preciso alguma compreensão: o Fluminense precisa do apoio do seu torcedor, mesmo com o atual padrão de preços que o Maracanã infelizmente o obriga a praticar hoje em dia.

129 Comentários em Sobre a precificação do Maracanã

  1. Davi Carvalho
    30 de abril de 2018 at 22:07 (7 meses ago)

    40 reais de inteira na leste, com 60% de desconto para sócios que pagavam 50% (muito boa medida, diga-se) e gratuidades ali, 30 reais na sul com 60% de desconto pra sócios que pagavam 50%, com gratuidades ali, repetindo-se na norte isso aí, se a sul esgotar e 50 reais de inteira na oeste, com 60% de desconto com os sócios que pagavam 50%.
    Isso seria um preço mais justo e que no meu modo de ver, atrairia mais público.
    No brasileirão seria ótimo, na sula poderia aumentar um pouquinho o valor a partir das oitavas.

  2. Rodrigo Baroni
    30 de abril de 2018 at 23:05 (7 meses ago)

    Seria muito bom se a Flusocio explicasse também ao torcedor tricolor, já que acabaram de tocar em assunto que envolve dinheiro-gastos-poder de investimento do clube:

    1) Como o FLU gasta 3 milhões POR MÊS, 36 milhões POR ANO, com funcionários de diretorias executivas e gerências de marqueting, de arenas, jurídica, de ct, comercial, financeira !???

    Como gastam 3 milhões mês aqui!? Quem são as pessoas físicas ou jurídicas pagas ou empregadas pelo Flu???

    E não inventamos estes números aí. São números do orçamento do Flu, acessíveis a todos.

    Me lembro, por exemplo, só como exemplo, q qdo pagamos no passado 100 mil por mês ao escritório do Mario bittencourt, pra atenderem o passivo de processos judiciais do Flu, muuuuitos reclamavam bastante, dizendo q eram altos demais estes valores gastos em escritório (q d fato são). Contudo, aqui, pelo menos, realmente, deve haver mto trabalho a ser feito pelo escritório contratado. São centenas e centenas de processos em justiça contra o FFC.

    Agora, e nos executivos de marqueting, de arenas, de ct, comerciais, financeiros, etc ???

    Esta grana é bem gasta mesmo???? Há retorno válido e eficiente da nossa grana investida??

    Então: onde, como, pra onde e pra quem vão estes 3 MILHÕES POR MÊS nestes setores administrativos do clube???

    Alguém por aqui saberia nos explicar algo por favor!???

    2) E como gastamos 1 milhão por mês com pessoal de funcionários das laranjeiras !?? Sao Números também do orçamento deste ano !!

    Qtos funcionários tem o FFC em laranjeiras ???

    Me parece, só me parece, q a média salarial lá é bem alta! E sabemos q funcionários, por exemplo, de limpeza, de manutenção, de segurança, etc, não possuem salários astronômicos, bem ao contrário. Então, alguem os possui ??????? Como se chega em 1 milhão por mês aqui??

    Alguém sabe destes detalhes em especial, ou das planilhas dos pagamentos, sei lá ?

    3) E, como gastamos 1 milhão por mês com funcionários dos esportes olímpicos !?????

    Números também em orçamento do clube.

    tb são números bem altos. Qtos funcionários tem o Flu nos EO !??

    Alguém aqui sabe algum detalhe melhor ?? Me parece tb q a média salarial tende a ser bem bem Alta aqui. E que seria irreal a história de que os EOS são auto sustentáveis no Flu.

    4) O Fluminense gasta por ano 3,5 milhões, quantia q será repetida por 5 anos, com o Flu-SAMORIM/ Flu-Colado a VIENA.

    Em 5 anos, gastaremos lá no belo leste europeu 18 milhões de reais!

    Pergunto tb: Vale gastarmos 18 milhões de reais no Flu SAMORIM até 2020 ????

    Depois de 2020, no 6o ano, os gastos anuais cairiam de 3,5 m para 3 m.

    Assim, Somente nestes 4 itens acima, gastamos 5,3 milhões de reais POR MÊS !!!

    Assim, Somente nestes 4 itens acima, gastamos 63,5 milhões por ano…

    E Ainda precisamos pagar nossas muitas dívidas e tributos gigantescos…

    Entao, com todo o escrito acima, é claro, nosso FUTEBOL PROFISSIONAL MÍNGUA e fica longe da disputa por títulos, razão da existência do FFC.

    Portanto, Vcs do grupo, principalmente os conselheiros, possuem as infos acima??

    E não Sabem o porquê, ou Como eles não enxugam estes gastos??????

    POR QUE NÃO ENXUGAM EM GRANDE, MUITO GRANDE PERCENTUAL, ESTES GASTOS ACIMA????

    De modo que sobre grana $$$ ao FUTEBOL do Fluminense, que é o que BANCA todo o relatado aí no alto.

    Se os gastos com a Odebrecht Maracanã inviabilizam investimentos, como vcs disseram aí no post, por que não há corte de gastos noutros setores q parecem nada entregar ao FFC ??

    Ou, estou redondamente equivocado sobre esta minha visão de q há verdadeira sangria, e todo o gasto nestes 4 itens é bem empregado?????

    E, somente outra pergunta faria:

    Vcs podem nos falar quantos sócios pagantes e adimplentes possui hoje o FFC????

  3. Rogério Barbieri
    30 de abril de 2018 at 23:37 (7 meses ago)

    Problema 1: Alto custo do Maracanã
    a. Torcida do Fluminense tem que repor dinheiro roubado pelo Sérgio Cabral e a turma da Odebrecht;
    b. Torcida do Fluminense tem que pagar por um exagerado modelo de inchaço de pessoal. No entorno do Maracanã tem uns 3,265 orientadores (que comprova a ineficiência do modelo sul, leste, oeste e norte) + 4.598 profissionais desnecessários.
    c. Torcida do Fluminense paga por uma exagerada e desnecessária quantidade de grades que deve alimentar o bolso de algum assecla do Sérgio Cabral
    d. Torcida do Fluminense paga por uma exagerada quantidade de auxiliares desnecessários dentro do atual Maracanã que nunca existiu no verdadeiro Maracaná e que fazem o mesmo que uma placa de orientação faria.

    Problema 2: Circulação pelo Maracanã
    O inteligente modelo criado para circulação é muito burro e ruim.
    Acabem com essa divisão norte sul leste oeste. Liberem a circulação interna pelo Maracanã. O torcedor que hoje está no sul voltará a circular por dentro do Maracanã como nos bons tempos.
    A separação fica por conta das torcidas visitantes que voltaria a ficar posicionada mais próxima da Radial oeste.
    Estou cansado para continuar escrevendo… No mais, depois de reduzir os custos e deixar o Maracanã mais inteligente, encontrem um valor de ingresso onde um 40 mil torcedores garantam o custo do Maracanã e os outros 40 mil garantam o lucro.

  4. Bolinha Gottschall
    1 de maio de 2018 at 0:00 (7 meses ago)

    O Maracanã de hoje possui um custo muito caro!! O atual Presidente, se não me engano, já conseguiu diminuir o aluguel ao nível de 100 mil Reais, ou seja, igual ou menor do que o Engenhão. Só que as despesas para abrir este estadio o fizeram ter uma despesa de 400 mil no jogo com o Cruzeiro. Para uma arrecadação de 263 mil , tome prejuízo!!!

    então, não há hipótese de no Maracanã o ingresso cheio ser menor do 50 Reais pois só assim o programa do Sócio Torcedor poderá ter alguma sobrevida. Haaa, para que o Sócio Torcedor?? Simples, só sobreviverão os clubes com Torcedores fidelizados. Este é o Caminho. O Fluminense não pode ficar atrás. Simpatizante não banca clube pois a competição está muito grande.

    Quer pagar pouco? Fique sócio!! 60% de desconto! os 50 Reais viram 20 Reais!!

    Vamos aguardar agora alguma ação para as crianças pois estas precisam ir ao Maracanã sem qualquer custo!!

  5. Marlon Tavares
    1 de maio de 2018 at 0:11 (7 meses ago)

    O polêmico aditivo assinado pelo Peter ser válido por 6 meses para mim é uma grande novidade, nunca li isso em lugar nenhum, sendo assim não dá para entender a dificuldade de manter o contrato original, menos ainda é de não terem explorado isso junto aos torcedores e opinião pública para forçar o TJ dar ganho de causa ao clube.

    Clube sem estádio e isso aí, paga para jogar, não reclamem disso, para chutar o rabo do Pedro Antônio e de um possível estádio ninguém reclamou

    Se é para ter prejuízo é melhor com o estádio lotado, dizem que esse grupo nasceu na arquibancada mas não entendem nada do assunto, tanto que abriram mão do mando de campo na sulamericana favorecendo absurdamente o flamengo e acabamos eliminados

  6. Marcelo Medeiros
    1 de maio de 2018 at 0:32 (7 meses ago)

    Já que o abad acha que as coisas estão melhorando na ferj, que tal pedirem pra baixarem a taxa cobrada pela federação uma das mais altas do país?

  7. Alexandre Magno Barreto Berwan
    1 de maio de 2018 at 8:01 (7 meses ago)

    Lembrando:

    Fluminense 1–0 LDU Equador, 45.977, Copa Sul-Americana, 14 de setembro de 2017, Maracanã (42.270 pagantes).
    Fluminense 2–0 Liverpool Uruguai, 37.145, Copa Sul-Americana, 5 de abril de 2017, Maracanã (34.017 pagantes).

  8. Alexandre Magno Barreto Berwan
    1 de maio de 2018 at 8:11 (7 meses ago)

    A mídia oficial, horários péssimos marcados para nossos jogos desde 2010, a mídia oposicionista tricolor, que gera uma série de notícias negativas frequentes ao clube, além naturalmente da situação econômica, social, política e de segurança do Estado do RJ ter atingido o conceito de alarmante, se não caótica, também colaboram para diminuir o público em nossos jogos.
    Nossas médias de públicos PAGANTES no Brasileirão desde 2010:

    22.993 (*) 14.642 (*) 12.948 (*) 17.637 18.490 16.320 9.139 (*) 14.450

    (*) Temporadas em que o Fluminense disputou o Campeonato Brasileiro com o Maracanã totalmente fechado (2005, 2011 e 2012), com a maior parte de sua capacidade interditada (1999) ou fechado na maior parte da temporada (2010, fechado em 10 das 19 rodadas com mando de campo, e 2016, usado em apenas 2 das 19 rodadas por estar cedido para o Comitê Olímpico).

    —x—

    Em 2010 teríamos uma média fantástica, caso o Maracanã não tivesse sido fechado antes da hora necessária, para nos causar prejuízo técnico e financeiro, no início do processo de expulsão de nossa torcida do grande estádio, e olha que já estavam marcando jogos noturnos nossos para o horário do rush, para que não pudéssemos chegar. Acredito que poderíamos ter tido uma média em torno de 40.000, pois o público do Fluminense estava alto no início do Brasileiro e tinha tendência de aumentar muito com o andamento do campeonato.

    —x—

    A média histórica de presença de público nossa no Maracanã em jogos do Brasileiro em geral era em torno de 20.000 PRESENTES aos jogos. Assim com a maioria dos grandes clubes brasileiros, um estádio para pouco mais de 40.000 pessoas seria o ideal para nossos jogos, e se fosse na Zona Sul, Centro (Porto Maravilha?) ou Barra da Tijuca e arredores, melhor, considerando o perfil de nossa torcida.

  9. Alexandre Magno Barreto Berwan
    1 de maio de 2018 at 8:45 (7 meses ago)

    O Maracanã é viável esse ano com a entrega contagiante do time, desde que:
    1- O time continue bem,
    2- Nossos jogos nunca tenham horários marcados em dias de semana para mais cedo do que 21hs:30mins. (pelo rush, uma parte enorme da torcida não consegue chegar.
    3- Não sejam transmitidos ao vivo (exceto o jogo de domingo, creio que TODOS os nossos principais jogos com mando de campo foram transmitidos AO VIVO PARA O RJ.
    4- Nossos clássicos sejam VALORIZADOS, colocados em horário nobre, mormente contra o Botafogo, cujos jogos desde a chegada do Caixa D’ Água, Eurico Miranda e seus muitos amigos na FERJ, tem sido marcados na tabela em dias e horários para afastar a presença do público.
    5- A mídia tricolor colabore, pois está um nojo abrir as redes sociais, notadamente o Twitter e ver aquele espetáculo de notícias e comentários negativos, além de patrulhamento de quem elogia o clube ou o time.

  10. Flavio Chammas
    1 de maio de 2018 at 11:33 (7 meses ago)

    SENHORES

    PERGUNTA QUE NÃO QUER CALAR?

    “Fluminense publica balanço incompleto fora do prazo e pode sofrer punições junto com o presidente Pedro Abad”

    NOSSO PRESIDENTE É AUDITOR DA RECEITA FEDERAL.

    PUBLICAR DEPOIS DO PRAZO, E INCOMPLETO?

    PODE ISSO?

    NÃO ACREDITO QUE VÃO QUERER CULPAR A OPOSIÇÃO E OS SITES/BLOGS.

    A BENÇÃO JOÃO DE DEUS, MAS ESTÁ DIFÍCIL SE DAQUI DA TERRA NÃO AJUDARMOS.

    ONDE VAMOS PARAR?

  11. Rogério Barbieri
    1 de maio de 2018 at 13:02 (7 meses ago)

    Na verdade, a última obra além de saquear os cofres públicos transformou o Estádio do Maracanã num Teatro do Maracanã, teatro de horrores.

    O gasto de tempo para adquirir um ingresso hoje em dia é 100 x maior do que o tempo gasto nos tempos antigos. Aí, vamos tratar a exceção para definir o modelo. “_ No jogo de 1983, entre Flamengo x Santos, com 159mil pagantes o ciclano não conseguiu comprar ingresso e o beltrano ficou meia hora na fila.”
    Eu me lembro de trocentos jogos que eu estava na praia de Ipanema até às 16h, quando a galera pegava o carro, mesmo sem ingresso, e, de sunga, camiseta e chinelo partíamos para o Maracanã. Estacionávamos o carro na descida do viaduto que levava a estátua do Belini por R$ 1,00 ou extrapolando R$ 2,00, comprava o ingresso (sem meia entrada) por R$ 5,00 a no máximo R$ 10,00 logo em frente e avançando mais um pouquinho já estávamos passando a roleta para subir a rampa. Tudo muito simples. Sem essa porcaria de norte, sul leste e oeste que não serve para nada e desmotiva.

    Tem que baratear o Maracanã. Quem projetou o Maracanã roubou centenas de milhões de reais. Ele vivia uma ideia de ostentação. Que a pipoca merecia ser vendida a R$ 10,00 para poder dar os R$ 6,00 de propina para o governador e seus asseclas. Que iria setorizar o Maracanã. O Maracanã sempre foi setorizado. Tinha a arquibancada, a geral, as cadeiras azuis, as cadeiras especiais, a tribuna de honra e ponto. O Zé que torcia para o Fluminense ia para o lado da torcida do Fluminense. E o Chulé que torcia para o Flamengo ia para o lado da torcida do Flamengo.

    Não tinha que mudar o que sempre funcionou.

    Dá para resolver o problema feito com essa reforma de porcaria? Claro.

    Tirem as grandes e deixe o Maracanã voltar a ser circulável. Resolverão problema de movimentação e logística dos torcedores do Estádio sensivelmente.

    Hoje temos as rampas A, B, C, D, E e F para subir para o Maracanã.

    Ou seja, ao invés de 2 entradas como antigamente, hoje denominadas A e D, ou para os que precisam de orientadores, a rampa do Belini e a rampa do metrô, hoje temos 6 rampas de entrada. Triplicamos a quantidade de bilheteiros, de fiscal de bilheteiros, de policiais, de seguranças, de fiscal do fiscal e o escambau.

    Nos dias de jogos de menor apelo, voltem a liberar apenas as rampas A e D como nos velhos tempos. Ah, vai ter a torcida do São Paulo para ficar na parte superior do setor E, então libera a rampa E só para a torcida do São Paulo.

    Mantenham a rampa A e D, sendo a A para a torcida do Fluminense e a D para a torcida do adversário. Informem, com indicadores de comunicação visual, o lado de cada torcida e pronto. Não precisa de 600 orientadores para explicar o óbvio. Se a aquisição do ingresso voltar a simplificar, não vai encarecer tanto o Maracanã, muito pelo contrário, vai baratear.

  12. Rodrigo Baroni
    1 de maio de 2018 at 13:24 (7 meses ago)

    Postei isto Ontem, antes das notícias de hoje, mas excluíram. Vou tentar de novo, resumindo:

    Boa explicação sobre gastos do Flu com a Odebrecht…

    Expliquem também por favor aos tricolores:

    1) Como o flu gasta 3 milhões por mês com funcionários de gerências de marqueting, comercial , jurídica, de arenas, de ct , financeira, jurídica ????? Quem recebe estes valores mensais!???

    2) Como o flu gasta 1 milhão por mês com funcionários da sede em Laranjeiras ??????? Qtos funcionários possuímos lá !??

    3) Como o Flu gasta por mês 1 milhão de reais com funcionários dos esportes olímpicos ?????????? É óbvio que eles NÃO são auto sustentáveis.

    4) Como vamos gastar 18 milhões de reais em 5 anos, até 2020, com o Flu Samorim, ou Flu Viena, se não temos dinheiro, como vcs mesmos citam acima !??? Depois, no 6o ano, o gasto anual cairia de 3,5 m para 3 m por ano.

    5) Quantos sócios pagantes adimplentes possui hoje o Flu ???

    E faço uma 6a pergunta, que eu não havia feito ontem, diante das notícias de hoje, de que nossa dívida aumentou de 450 milhões para 657 milhões de reais em pouco mais de 2 anos:

    6) O que vcs estão fazendo com o Fluminense !???

  13. Davi Carvalho
    1 de maio de 2018 at 13:39 (7 meses ago)

    Culpa do Mário, da netflu, do Celso, do Pedro Antônio, do Horcades, da flapress, da globo, do Lula, dos marcianos….
    Só não é culpa deles.

  14. Raul Fernandes
    1 de maio de 2018 at 13:41 (7 meses ago)

    Paulo:
    Nesse, o Abel não enxergou qualidades.
    Não percebeu q o rapaz mata de prima e de peito de pé – o q para Telê era essencial em um jogador (disse pra mim, q fui seu amigo, principalmente nos anos finais)) .

    Mascarenhas talvez seja o atleta com mais recursos técnicos nas novas safras de Xerém.
    Também penso q ele poderia ser puxado pro meio de campo, pra formar dupla com Ayrton Lucas. Ou vice-versa.

    Abel, tenho lhe defendido aqui.
    Mas, baixe um pouco a bola de seu Ego e seja mais humilde. Ouça a opinião alheia – quando for majoritária.
    Sua proteção a alguns jogadores, q não merecem, em detrimento de outros é flagrante. Até q vc, afinal, se convence de q seu favorito não tem nada demais. Perdeu seu tempo.

  15. Rogério Barbieri
    1 de maio de 2018 at 13:42 (7 meses ago)

    PERFEITA A SUA CORREÇÃO GILBERTO ….CLAP!CLAP!CLAP!CLAP!!
    Muito obrigado

  16. Davi Carvalho
    1 de maio de 2018 at 13:45 (7 meses ago)

    Muita vergonha desse “balanço”, nem o vasco na era Eurico era capaz de algo tão nebuloso.
    Não dá pra levar a sério o que vocês fazem, falaram tanto do Horca e são a cópia fiel dele.
    Por favor, se são tricolores mesmo, saiam em 2019, desapareçam, não prejudiquem o clube que vocês dizem amar, voltem para as arquibancadas.

  17. Rogério Barbieri
    1 de maio de 2018 at 13:45 (7 meses ago)

    Estão cheios de absurdos Juliano!

    Honestamente, eu odeio ir nesse novo Maracanã.

    Ele é totalmente desfuncional em relação ao antigo.

    Se foi construído para atender as novas gerações que não conheceram o antigo, tudo bem. Mas, para quem conheceu o antigo Maracanã o atual é muito ruim, desconfortável, péssima logística e burro.

  18. Eric Mesquita
    1 de maio de 2018 at 14:07 (7 meses ago)

    Isso simplesmente tira torcida do maracanã e principalmente as crianças…..eu por exemplo, deixo de ir pois não tenho tempo e vontade de me deslocar um dia antes para retirar gratuidade. Quem tem o plano de sócio quer comodidade também, não quer se deslocar para comprar ingresso e muito menos buscar gratuidade um dia antes do jogo.
    Se o clube não tentar algo para mudar isso junto a FERJ certamente cancelarei meu plano de sócio, pois não tenho ido aos jogos porque prefiro ficar com meus dois filhos.

  19. Paulo Cavalheiro
    1 de maio de 2018 at 14:31 (7 meses ago)

    Enquanto não “detalharem” o balanço 2017, não há como analisar com critério, mas aquele arremedo publicado, em princípio assusta e muito !!

    E aparentemente e consequentemente, ………………………. !! Pobre Fluminense !!

  20. COSTA
    1 de maio de 2018 at 14:42 (7 meses ago)

    Lamentável a Gestão da FLUSOCIO, de quem tanto se esperava dívida só aumenta viramos cabide de empregos para os amigos, se já era ruim com o PETER piorou com o ABAD, e eu que tinha medo da presidência com o Celso achando que ele ia levar o clube a falência, mas parece que é o ABAD quem vai ter essa honra.
    Não a toa os defensores foram se afastando um a um, ainda lembro que um elogiou o blog do SAVIOLI (no caso das DISPENSAS ) em que o mesmo comentava dizendo que a direção do clube estava no caminho certo ( realmente no caminho da destruição ), e esse defensor um dos mais coerentes desejava 100 anos de gestão para a FLUSOCIO, se isso fosse verdade capaz da FLUSOCIO destruir não só o FLU como todo futebol brasileiro.
    Por favor , enquanto e tempo , se é que há tempo , renunciem e deixem outro grupo tentar salvar o FLUMINENSE se e que isso é possível, lembrem -se que era esse o propósito de vocês em 2010, portanto ajudem o clube que vocês dizem gostar e deixem para outros tentar a SALVAÇÃO.

  21. Fábio Barbosa de Araújo
    1 de maio de 2018 at 14:45 (7 meses ago)

    Cara, esse Fluminense da Flusócio é a coisa mais deprimente que já vi. Tira qualquer tesão de acompanhar notícias, de ver os jogos, de sequer saber o que anda acontecendo porque nunca é coisa boa.

    Times cada vez mais fracos, joias vendidas cada vez mais cedo, nomes cada vez mais desconhecidos vestindo nossa camisa…e o clube cada vez mais endividado. Não existe uma explicação digna que feche essa equação.

  22. FFC
    1 de maio de 2018 at 14:47 (7 meses ago)

    Aumento de 200.000 milhões em déficit em dois anos? É isso mesmo? Bom deixa eu ver, estamos falando de um time q investe milhões em contratações? Q tem um time de estrelas?? Não

  23. Aluisio Silva
    1 de maio de 2018 at 14:48 (7 meses ago)

    onde eu posso ver?

  24. COSTA
    1 de maio de 2018 at 14:51 (7 meses ago)

    Você acha que vamos aguentar até 2019 ??? Eu acho temerario

  25. Davi Carvalho
    1 de maio de 2018 at 14:57 (7 meses ago)

    O pior é que é cheio de funcionários e Laranjeiras caindo aos pedaços pela administração mambembe do tal Rogério Romano.
    Ou seja, dinheiro sendo jogado fora com os AMIGOS.

  26. COSTA
    1 de maio de 2018 at 15:39 (7 meses ago)

    Você acha que aí da vai ter clube em 2019 ??

  27. COSTA
    1 de maio de 2018 at 15:41 (7 meses ago)

    Nem João de Deus vai nos salvar de tantos desmandos

  28. Fábio Pitman
    1 de maio de 2018 at 15:45 (7 meses ago)

    O problema é que muitos já saíram e e formaram outro grupo.

    A pergunta é : CONFIAR EM QUEM?

    Parece que no Fluminense só querem levar vantagem.

  29. luiz
    1 de maio de 2018 at 15:59 (7 meses ago)

    O que mais esperar dessa gestão?
    Mais prejuízo?
    E os ferrenhos defensores? Alguma justificativa ou finalmente reconhecem o que se tem dito por aqui há meses ?
    Contra fatos não há argumentos. Várias vezes elencadas aqui as inúmeras sandices e atitudes irresponsáveis, culminando com essa agora.
    E as consequências desastrosas de vários e vários atos causadores de danos ao clube, financeiros e institucionais.
    E agora Flusócio e Flusocianos ??!!
    O que têm a dizer?

  30. FFC
    1 de maio de 2018 at 16:13 (7 meses ago)

    A receita do Flu em 2017 foi superior a receita do Vasco. O Vasco teve um déficit de 22 milhões, me expliquem como o Flu teve um deficit de 78 milhões?????

  31. allan
    1 de maio de 2018 at 16:13 (7 meses ago)

    Abad e Júlio Bueno Júnior com essa da não publicação do balanço deram toda mostra da incapacidade para gerir não apenas um (ainda) gigante do futebol brasileiro, mas mostraram não ter competência nem para dirigir uma kombi de 30 ovos por 10 reais.

    Tem que ser afastados pelo bem da instituição Fluminense.

    Pra ontem.

    ST

  32. allan
    1 de maio de 2018 at 16:21 (7 meses ago)

    Além da dívida explodir, passando de 600 milhões e turbinada pelas contratações de CEO disso e daquulo

  33. Claudio Souza
    1 de maio de 2018 at 16:30 (7 meses ago)

    Pergunta ao Peter…

  34. Sérgio luiz
    1 de maio de 2018 at 16:32 (7 meses ago)

    Nada a dizer

  35. Alexandre Magno Barreto Berwan
    1 de maio de 2018 at 17:15 (7 meses ago)

    Amigo, é o tempo todo com gente malhando.
    Cheguei a ler tricolores(?) pedindo para que outros deixassem de ser sócios e de ir aos jogos enquanto a Flusócio estivesse no poder.
    Em tempo: por conta da gestão temerária do Peter, votei na oposição nas últimas eleições, mas no dia seguinte estava apoiando a gestão vencedora, exatamente como farei nas próximas eleições se o meu candidato não for eleito.
    Então quem perder as próximas eleições vai se comportar exatamente dessa maneira odiosa?
    Pretendem pegar um clube com menos sócios, recursos e com a torcida afastada?
    É isso que estão fazendo.
    Roupa suja se lava em casa.

  36. Rodrigo Baroni
    1 de maio de 2018 at 17:16 (7 meses ago)

    Só gostaria de retificar o que eu meu escrevi na correria aí acima, na pressa, nos números 2 e 3, pois redigitei td novamente. Inclusive já postei isto acima por aqui mais de uma vez corretamente, conforme os números oficiais publicado pelo próprio FLU:

    Os números do Flu mostram que pagamos em PESSOAL mais de 1 milhão de reais por mês nos funcionários dos esportes olímpicos JUNTAMENTE com os funcionários da sede em laranjeiras, somando ambos na verdade 13 milhões de reais por ano, e não 1 milhão de reais com cada um dos 2 setores, q somariam 24 milhões ano.

    Sendo que o Flu gasta por ano nos esportes olímpicos 12 milhões de reais ao total, 1 milhão por mês, o que prova q os EOLimp não são nada auto sustentáveis como dizem por aí.

    E o q não altera em muita coisa a conta acima ou o caos por nós constatado e instalado no Flu.

  37. Rodrigo Baroni
    1 de maio de 2018 at 17:36 (7 meses ago)

    Só lembrando que o juiz da primeira instância deu uma liminar pró Flu !!! Mandando a lixodebrecht cumprir o contrato original. Ai os desembargadores cassaram isto, e mandaram cumprir o aditivo.

    Já perguntei por aqui e por aí se alguém no Flu, do jurídico, tem trabalhado no judiciário para q este processo ande e tenha sentença favorável ao Flu.

    Ninguém respondeu como sempre.

    E o processo caminha lentamente na justiça do Rio, e a Odebrecht deita e rola no FFC.

  38. Rodrigo Baroni
    1 de maio de 2018 at 17:45 (7 meses ago)

    Isto já é dito a eles por milhares faz milênios.

    JÁ se vê má fé nisto aí…

    ST.

  39. Mauro Carvalho - SP
    1 de maio de 2018 at 18:18 (7 meses ago)

    COMO PODE ISSO??? BALANÇO INCOMPLETO , SEM ASSINATURAS???

    De acordo com o jornalista Leo Burlá, do portal UOL, às 23h59 de ontem, 30 de abril, hora e data limite para a publicação das demonstrações financeiras do ano de 2017, o Fluminense se tornava o único dos principais clubes do Brasil a omitir o seu balanço, que deveria ter sido publicado em seu site oficial. Tal fato pode render punições que ameaçam até mesmo o presidente do clube, Pedro Abad.

    A falha foi reparada parcialmente por volta de 0h35 desta terça-feira. Após alguns questionamentos realizados pela reportagem do portal UOL a respeito do documento, o Fluminense apresentou um balanço incompleto (apenas duas páginas), pendente de análise do Conselho Fiscal, sem assinatura e sem qualquer empresa independente auditando tais números – obrigações por lei.

    Entre as sanções previstas no Estatuto do Torcedor pelo desrespeito do prazo e apresentação incompleta do balanço, está o “afastamento de seus dirigentes”, sendo “o presidente da entidade, ou aquele que lhe faça as vezes” – previsto no parágrafo 2º do item II do artigo 46-A. Com a omissão da informação correta sobre as contas do clube, além da destituição do dirigente, o Fluminense pode ser punido com a retirada do Profut, o programa de parcelamento das dívidas com a União.

    A fiscalização pode partir do Ministério Público ou da Apfut, autoridade que controla as obrigatoriedades dos clubes. Procurado pelo UOL Esporte, o Fluminense não explicou a razão para o não cumprimento do prazo estabelecido para a divulgação das demonstrações financeiras do exercício de 2017. Nos números de 2017, a se destacar o crescimento do rombo nas contas: os tricolores apresentaram um dívida total de R$ 652 milhões. Ao final de 2016, eram pouco mais de R$ 575 milhões.

  40. Marcelo Medeiros
    1 de maio de 2018 at 18:24 (7 meses ago)

    Depois dessa do balanço, tchau, Flusócio. A tal gestão profissional não publica nem balanço, libera jogador que vale 10 por 1, assina contrato de patrocínio que não chega dinheiro, não contrata jogador decente….

    É demais.

  41. COSTA
    1 de maio de 2018 at 18:26 (7 meses ago)

    Resposta abaixo

  42. COSTA
    1 de maio de 2018 at 18:28 (7 meses ago)

    Mas contratou ROBINHO, só esse, como se fosse um craque, pergunto qual o interessa, merecia uma CPI

  43. WagnerTijuca
    1 de maio de 2018 at 18:30 (7 meses ago)

    Amigos,
    O que parecia ruim , simplesmente piorou.
    O atual PSEUDO presidente do Fluminense e seus ” amigos ” da nossa brilhante diretoria estão se mostrando que são completamente AMADORES ou estão agindo de MÁ FÉ.
    O afastamento desse PSEUDO presidente tem que acontecer para o bem da instituição .
    Como pode acontecer isso :
    BALANÇO INCOMPLETO , SEM ASSINATURAS , ETC
    Infelizmente eu não tenho mais dúvidas que essa atual gestão é um total desastre , e que tem que haver uma mudança radical dentro do Fluminense.
    ST.

  44. Paulo Cavalheiro
    1 de maio de 2018 at 18:31 (7 meses ago)

    Site FFC, Transparência e Finanças.

    E regido por lei a obrigatoriedade de publicações dos DF e BT.

  45. WagnerTijuca
    1 de maio de 2018 at 18:32 (7 meses ago)

    Amigo Mauro Carvalho ,
    Assino o seu comentário.
    O afastamento desse PSEUDO presidente tem que acontecer , ou a Flusócio vai fazer mais uma vez o olhar de paisagem e fingir que está tudo bem ?

  46. COSTA
    1 de maio de 2018 at 18:35 (7 meses ago)

    Torço para que vc esteja certo, eu já venho criticandio essa gestão há muito tempo, mas torci para o ABAD vencer, até ver as coisas vergonhosas feitas pelo PETER mentiroso E chorão ( onde ele esta), que depois teve as suas contas vergonhosamente aprovadas

  47. COSTA
    1 de maio de 2018 at 18:36 (7 meses ago)

    Mas como sera que ele esta ????

  48. Aldo L C Monteiro
    1 de maio de 2018 at 18:37 (7 meses ago)

    Nessa administração tem Auditor, dentista, campeão olímpico, CEO, inferno… e não entregaram o balanço no prazo ?????? De novo a netflu, globo, jornalistas, oposição, Mário, Pedro Antonio, fakes e outros que ainda viram sangrar o fluminense são os responsáveis por tudo.

  49. Davi Carvalho
    1 de maio de 2018 at 18:42 (7 meses ago)

    Esses esportes olímpicos precisam de uma PROFUNDA discussão com os torcedores do clube, não é possível tirar dinheiro que claramente é do futebol pra manter isso aí, tem que existir no clube apenas aquilo que consegue se sustentar sozinho.

  50. WagnerTijuca
    1 de maio de 2018 at 18:54 (7 meses ago)

    Amigos,
    O que parecia ruim , simplesmente piorou.
    O atual PSEUDO presidente do Fluminense e seus ” amigos ” da nossa brilhante diretoria estão se mostrando que são completamente AMADORES ou estão agindo de MÁ FÉ.
    O afastamento desse PSEUDO presidente tem que acontecer para o bem da instituição .
    Como pode acontecer isso :
    BALANÇO INCOMPLETO , SEM ASSINATURAS , ETC
    Infelizmente eu não tenho mais dúvidas que essa atual gestão é um total desastre , e que tem que haver uma mudança radical dentro do Fluminense.
    ST.

  51. WagnerTijuca
    1 de maio de 2018 at 18:55 (7 meses ago)

    Amigo Mauro Carvalho ,
    Assino o seu comentário.
    O afastamento desse PSEUDO presidente tem que acontecer , ou a Flusócio vai fazer mais uma vez o olhar de paisagem e fingir que está tudo bem ?

  52. luiz
    1 de maio de 2018 at 18:59 (7 meses ago)

    Lamento, mas concordo com tudo.

  53. luiz
    1 de maio de 2018 at 19:00 (7 meses ago)

    Só ao Peter ?
    E ao Abad?

  54. luiz
    1 de maio de 2018 at 19:02 (7 meses ago)

    Pergunte ao seu companheiro Darcy.

  55. Rodrigo Baroni
    1 de maio de 2018 at 19:03 (7 meses ago)

    O Savioli fez mil previsões otimistas sobre o este novo balanço do FFC, q ontem começaram a expor.

    Infelizmente, ele projetou TUDO ERRADO.

    As expectativas dele estão indo abaixo com esta meia planilha publicada.

    Aliás, já foram por água abaixo.

  56. luiz
    1 de maio de 2018 at 19:04 (7 meses ago)

    Darcy, Ainda insistirá no Força Abad ?

  57. Raul Fernandes
    1 de maio de 2018 at 19:34 (7 meses ago)

    INACREDITÁVEL!.

    Mais uma vez, quando se pensava q já se tinha visto tudo do sr. Abad (mesmo depois das palmas na CBF para o foragido meliante Marco Polo del Nero) eis q ele se supera com essa barbeiragem do Balanço de 2917.

    Note-se q ele é fiscal do I.R. (currículo pra ser presidente de um grande clube de futebol ??l!). Mesmo “um clube vendedor “, segundo ele conceituou o FFC, após 116 anos de história.

    Quem foi o responsável pela ascensão do sr. Abad, essa peça rara, ao cargo?

  58. Alexandre MPS
    1 de maio de 2018 at 19:46 (7 meses ago)

    Praticamente 4 meses, desde o começo do ano, para divulgar um balanço incompleto e que desobedece normas de publicação. Uma empresa minimamente organizada teria publicado isso cumprindo devidamente os prazos…é muito bonito para um presidente que é Auditor da Receita Federal, não é, Sr. Abad e Cia.?
    Mais uma bobagem desta “administração” para juntar ao caso Scarpa, dispensa de jogadores de forma tresloucada e sem acordos prévios, PJ’s e CEO’s em excesso, atrasos de pagamentos, venda de revelações abaixo do preço e parceladas, envolvimento com torcidas organizadas, falta de transparência, etc.
    E esse excesso de gastos? Onde foi parar o dinheiro?
    São tantos erros que prejudicam o Flu que passo seraimente a duvidar se é somente incompetência, infelizmente.
    E pensar que torci para a Flusócio na eleição…que vergonha!
    Antes pensava no desempenho do Flu no Brasileirão…agora tenho que pensar se daqui a alguns anos o Flu ainda existirá como clube de futebol ou virará somente um clubinho social na Zona Sul do Rio de Janeiro.

    ST

  59. André Pereira
    1 de maio de 2018 at 19:50 (7 meses ago)

    Ninguém; Eu repito, ninguém, por mais incompetente ou despreparado que seja, consegue errar tanto em coisas tão primárias Qto essa gestão.
    Algo está acontecendo de muito sério no Laranjal.
    Alguma coisa precisa ser feita pois corremos o risco de não sobreviver mais 18 meses.
    Parece algo orquestrado.
    Por favor, se retirem.
    O mal q estão fazendo está fugindo a qq controle.

  60. Valentino
    1 de maio de 2018 at 19:50 (7 meses ago)

    Em 2017 o presidente já era o Abad. É ele que deve dar explicações

  61. allan
    1 de maio de 2018 at 19:53 (7 meses ago)

    Tai o resultado do apoio cego a tudo que a Flusocio fez nesses anos.

    Você sempre foi mais realista que o rei, rotulando qualquer crítica construtiva como sendo “de oposição”.

    Ficou anos falando que o Peter era o gestor mais genial do mundo, que a profissionalização do clube estava perfeita.

    Até o MB enalteceu aqui – enquanto ele era aliado da Flusocio.

    Agora vemos que são anos e anos de mentiras e o Fluminense se afundando por conta de incompetência, inépcia e má fé de alguns destes teus endeusados “gestores”.

    Foi por essa postura de puxa saquismo – sua e de muitos outros – acima de tudo que conduziu o FFC até essa situação deplorável que se encontra hoje.

    ST

  62. Rodrigo Baroni
    1 de maio de 2018 at 19:57 (7 meses ago)

    Ao PETER ?????

    E ao ABAD????

    Nosso presidente, e presidente do Conselho Fiscal do Peter ????

    Fica parecendo a guerrinha PT/PMDB, Lula/Temer…

  63. Alexandre MPS
    1 de maio de 2018 at 19:59 (7 meses ago)

    Ayrton Lucas e Mascarenhas podiam fazer um lado esquerdo interessante, sendo que ambos tem condições de ajudar na armação de jogadas e, com isso, Sornoza não seria tão sobrecarregado.

    João Carlos logo de cara entra “pra decidir” em jogo contra o Corinthians, em Itaquera, enquanto o Luan Peres fica no banco no Maracanã…vai entender o critério do Abel (de certa forma, já sabemos)…

  64. allan
    1 de maio de 2018 at 20:07 (7 meses ago)

    Ridícula a nota do Abad e do Júlio Bueno Júnior tentando justificar o injustificável.

    Se existem conselheiros na acepção do termo no clube (que não sejam PJs da “gestão”) passou da hora de convocar reunião extraordinária para cobrar o afastamento do vice de finanças e explicações convincentes – se é que existam – do “presidente”.

    Abad superando Álvaro Barcelos e Gil Carneiro de Mendonça (esse pelo menos era filho do grande Marcos de Mendonça, goleiro tricampeão e presidente também bi campeão pelo Flu).

    ST

  65. Davi Carvalho
    1 de maio de 2018 at 20:07 (7 meses ago)

    Papavê que começo show do meu tricoloooo…

  66. Davi Carvalho
    1 de maio de 2018 at 20:10 (7 meses ago)

    Falta a uma audiência, diz que não quer 4 milhões e que só precisa pagar 1, perde atleta valioso de graça por não pagar salário CLT…

  67. allan
    1 de maio de 2018 at 20:14 (7 meses ago)

    Vamos dar um desconto para a “gestão”.
    Afinal a Lei Pelé é recente, de março de 1998, com só 20 anos em vigor.
    E o Abad como auditor fiscal da receita federal não deve estar habituado com prazos contidos em legislação federal.

  68. luiz
    1 de maio de 2018 at 20:16 (7 meses ago)

    Resposta Raul: FLUSÓCIO
    Agora, depois de iludir os eleitores, há dissidência no grupo que indicou essa peça rara à Presidência.

    Sou um dos culpados, pois votei nele, absolutamente enganado por esse grupo de incompetentes.

    Nem para síndico do prédio deveria votar nessa peça rara.

  69. Davi Carvalho
    1 de maio de 2018 at 20:17 (7 meses ago)

    Pra quem zoava o botafogo, hoje temos dívida maior que a deles.
    Se continuar do jeito que tá, nos próximos anos vamos chegar ao montante de dívidas que tinha o fRamengo quando o Bandeira entrou lá.

  70. Valentino
    1 de maio de 2018 at 20:18 (7 meses ago)

    Realmente a situação do Fluminense é trágica, estamos a beira do colapso. 652 milhões em dívidas, nunca o Fluminense esteve tão endividado, nem mesmo na época do Horcades o clube esteve tão ruim assim. São 561 milhões em dívida líquida e 187 milhões de buraco a curto prazo
    As receitas despencando, corte de investimentos no futebol e aumento absurdo nos gastos administrativos. A relação dívida/receita disparou 43% e atingiu 1.85. Só o Vasco está em situação pior que a nossa
    E o pior é que não vejo um cenário positivo no futuro com essa gestão de incompetentes que temos. Espero que o Fluminense sobreviva até 2019 porque estamos caminhando pro mesmo fim da Portuguesa

  71. COSTA
    1 de maio de 2018 at 20:18 (7 meses ago)

    Sinal de que ele não fiscalizava nada, não fiscalizava nem o que o MITO fazia

  72. COSTA
    1 de maio de 2018 at 20:23 (7 meses ago)

    Engraçado que até bem pouco tempo ele defendia o PETER.

  73. COSTA
    1 de maio de 2018 at 20:25 (7 meses ago)

    Força ABAD.
    FORÇA FLUSOCIO.
    Vamos explicar reagir

  74. allan
    1 de maio de 2018 at 20:27 (7 meses ago)

    Diante dessa situação absurda da não publicação do balanço contábil do Fluminense vou torcer para que dessa tragédia surga uma nova esperança de dias melhores para nossa sofrida torcida.

    Vamos aguardar que as autoridades competentes na matéria (creio que MP e Apfut) tomem as medidas mais duras com a “gestão” e afastem do comando do clube o inoperante Abad e o incompetente Júlio Bueno Júnior.

    Vamos – todos os que não são torcedores da “gestão” – fazer uma corrente de pensamento nessa direção.

    Vou ser otimista porque creio que isso possa gerar uma união emergencial de tricolores em prol do Fluminense, dada a gravidade da situação em que trouxeram o clube.

    Por isso vou buscar ser otimista e ter pensamento positivo nesse processo todo.

    Em tempo: ter pensamento positivo não tem nada a ver com ser “positivista”. Esta última se refere à corrente de pensamento que foi dominante entre os republicanos brasileiros no final do século XIX, inspirados no positivismo de Auguste Comte e outros.

    ST

  75. Sérgio luiz
    1 de maio de 2018 at 20:49 (7 meses ago)

    Com certeza continuará afinal ele é torcedor de gestão

  76. Sérgio luiz
    1 de maio de 2018 at 20:54 (7 meses ago)

    Fato

  77. Sérgio luiz
    1 de maio de 2018 at 21:00 (7 meses ago)

    Darcy sumiu agora tem o bolinha

  78. Davi Carvalho
    1 de maio de 2018 at 21:05 (7 meses ago)

    Olha só a nota do clube, explica mal a situação.
    Agora, olhem isso aqui:

    “– Quando o novo auditor começou a tomar pé da situação, sentiu falta de documentos que pudessem ratificar alguns valores que, na opinião dele, estavam errados. O novo parecer está praticamente concluído. Vamos soltar neste mês de maio – garantiu Diogo Bueno.”

    Ou seja, estão revendo as contas de 2016 que esse blog apoiou que fossem aprovadas.
    Não queria dizer isso, mas há uma tendência de ter havido desvio de recursos de dentro do clube, alguém lesou o clube e maquiou números.

  79. luiz
    1 de maio de 2018 at 21:27 (7 meses ago)

    Silêncio sepulcral não é Darcy ?

  80. FFC
    1 de maio de 2018 at 21:54 (7 meses ago)

    Comparando com os outros, a coisa fica ainda mais feia.

  81. FFC
    1 de maio de 2018 at 21:56 (7 meses ago)

    O Botafogo fechou com superávit, como pode, o Botafogo não vende ninguém, já o Flu vende um jogador a cada seis meses

    300 milhões em despesas?????
    Em q ???? Elenco ??? Q elenco???

  82. luiz
    1 de maio de 2018 at 22:06 (7 meses ago)

    Se o fizer, padece de sérios problemas em suas faculdades mentais.

  83. luiz
    1 de maio de 2018 at 22:08 (7 meses ago)

    Vai entender esses caras….

  84. Wilson Ferrugem
    1 de maio de 2018 at 22:17 (7 meses ago)

    Aí você tá de brincadeira né?!

  85. COSTA
    1 de maio de 2018 at 22:18 (7 meses ago)

    Mas vários aqui, defensores e logico, sempre elogiando as postagens que o mesmo fazia nos blogs, realmente grandes previsões.

  86. Wilson Ferrugem
    1 de maio de 2018 at 22:32 (7 meses ago)

    Caro amigo,

    Por mais que eu tente, eu não consigo vê uma luz no fim do túnel!

    A Flusocio e o Abad não têm mais confiança do torcedor!

    Se você vê seu filho fazendo uma besteira atrás da outra, você continuaria passando a mão na cabeça dele?

    Eu nunca vi tanta coisa ruim no Flu. Nem com Gil de Carneiro.

    Chega uma hora que a gente tem que romper pra tentar mudar! Não dá pra morrer abraçado com esta gestão!

    ST

  87. Rodrigo Baroni
    1 de maio de 2018 at 22:40 (7 meses ago)

    Sobre este tópico em específico, por estas e outras nao tenho lido mais este site. Assim como deve ocorrer com muitos outros antigos leitores e participantes.

    Não pelos frequentadores e galera q escreve, mesmo os mais simpaticos à Flusocio, mas por conta, pelo menos no meu caso, do teor dos textos da flusocio e seus membros aqui (falo dos membros, com informações privilegiadas, e não dos simpatizantes, q voam e viajam como nós):

    Textos q fazem mal!!!! textos pedantes, metidos pra caceta, que não dizem nada pra torcida, q parecem forçar intelectualidade, num ambiente movido por paixão, e por vontade de q visem por gols, e por vitórias e títulos do Flu, textos q não pedem este estilo aí , textos muito distantes da paixão pelo FLUMINENSE. Vcs pareciam q fariam um Flu diferente, correto e inteligente, mas, ao contrário, fizeram tudo ao contrário do prometido por antigas belas palavras, q não enganam quase mais ninguém!!!!!

    A única novidade desta msg aqui aparece onde vcs dizem q o maldito aditivo com a Odebrecht valeria por 6 meses.

    O resto, é resto. Td mundo já sabe.

    E fica óbvio q qdo vcs citam os públicos dos jogos do Flu de bons horários, como vcs disseram, tentam colocar culpa na TORCIDA DO FLUMINENSE pela incompetência de vcs. Covardiiiiiiiia.

    E, Quando vcs mesmos da flusocio sempre nos disseram q este aditivo valeria só por 2 jogos. Agora trazem a grande novidade: valiam por 6 meses. Q bela novidade!!

    Maracanã não enche pois a torcida não suporta mais vcs!!!! Não tem esperança de nada!!! E tb pois não vê bom time em campo!!!! E nem possuimos ídolos!!!! Além de outros motivos já citados abaixo por outros amigos. Os prejuízos advém da incompetência de vcs !!!!

    E, por sinal, como anda a ação FLU X ODEBRECHT MARACANÃ na justiça, q vcs citam acima ???? Cadê o corpo jurídico da flusocio ?????

    Assim como num post anterior sobre SAMORIM, Eslováquia, cidade coladinha a Viena na Austria, onde fazemos turismo.

    texto bem parecido com a redação feita pelo Marcelo teixeira ao Abad e ao Peter, q foram convencidos por MT para a criação do Flu Samorim.

    Sempre nos contaram aqui neste mesmo site q no SAMORIM nós gastaríamos tão somente e basicamente com os salários dos atletas e da comissão q lá estão.

    Agora vcs mesmos dizem q lá gastamos com atletas 150 mil euros por ano, cerca de 650 mil reais.

    Mas agora apareceram os CUSTOS ADMINISTRATIVOS SAMORIM: de 600 mil euros, mais 5 parcelas de 100 mil euros anuais, completando 700 mil euros, ou seja, temos também gastos administrativos lá de 2,8 milhões de reais por ano !!!!!!!!

    Por que mentiram ???????

    E, Nem vou entrar no mérito de ser ou não caro o Samorim. Pra mim, é. Mas o rombo do Flu não vem mesmo daqui. Mas ajuda a secar o cofre , né !!?????

    E, com respeito aos q veem futuro neste projeto: alguém acha mesmo q isto dará lucros ao Flu no futuro??? Citam por aí uma possível ida à 1a divisão eslovaca, e à Liga Europa mais à frente.

    Alguém acha mesmo q, caso isto ocorra um dia, os custos lá continuariam em 3,5 milhões ano aos cofres tricolores ???? Claro q aumentarão !!! E se isto ocorrer em 10 anos???? no décimo ano, lá em 2026, já teremos depositado na Eslováquia mais de 40 milhões de reais do FFC!!!

    Ao MEU VER, A redacao de convencimento do MT poderia ter trocado SAMORIM VIENA, por interior paulista, ou por grande Vitória, ou por Sul do país, ou capital do nordeste. Aí sim isto talvez desse frutos ao FLU. Mas quis o Sir MT ex Manchester united e ex traffic, se posicionar ao ladinho de VIENA.

    Aí, um dia após esta mensagem de vcs sobre Odebrecht, pipoca este escandaloso balanço Abad 2017, após este contratar centenas de manegers e gerentes e CEOS e executivos e PJS em todos os setores do clube. Pensamos q ao menos as dívidas estariam equilibradas, mas pularam de 450 para 657 em 2 anos!!! E Constatamos que NENHUM destes inchados setores administrativos funciona, Ainda q muito caros.

    Me desculpem pelo texto longo.

    Vcs da Flusocio fazem mal ao Flu e ao torcedor do Fluminense.

  88. Claudio Souza
    1 de maio de 2018 at 22:51 (7 meses ago)

    Não diz nada.

    ST

  89. Claudio Souza
    1 de maio de 2018 at 22:59 (7 meses ago)

    Essa estória do balanço em papel de pão é inacreditável.

    E a tal nota oficial que nada explica ainda deixa margem para a gente pensar que algo de muito podre foi descoberto e atrasou a conclusão do trabalho (sim, porque fica difícil acreditar que um clube que contratou a E & Y não tenha competência pra apresentar uma demonstração financeira dentro do prazo).

    De qualquer forma, vou aguardar os números definitivos pra me pronunciar.
    Afinal, não tenho o privilégio de saber tudo, tal como os que já estão até exigindo a deposição do presidente.

    ST

  90. Rodrigo Baroni
    1 de maio de 2018 at 23:17 (7 meses ago)

    Com todo o respeito ao Sr, mas o Sr. precisou ver MUITO para crer.

    ST e abçs.

  91. Claudio Souza
    1 de maio de 2018 at 23:58 (7 meses ago)

    Esses números fazem tão pouco sentido que não dá nem pra levá-los a sério. É melhor esperar os números finais.

    ST

  92. vivianne
    1 de maio de 2018 at 23:59 (7 meses ago)

    Amigos tricolores, quando disse aqui o objetivo do trio Abad-flusocio-peter é a destruição do futebol tricolor me perguntaram como provar, aí está o q fizeram.
    Alguém acredita q um auditor da receita iria cometer um erro desses se não fosse proposital?
    Assim como o Peter sócio de um dos maiores escritórios de advocacia não sabia q refazer o contrato com o Maracanã seria um péssimo negócio, assim como dryworld?
    Senhores fomos enganados, como falei é só lembrar do período Unimed como a mídia batia no patrocínio o flu incomodava tinham q dar um jeito, e deram.
    Não se iludam duvido q a justiça afaste o Abad, ele está fazendo o jogo do sistema deixando o flu para trás, o q pode acontecer é o clube sair do profut, essa seria a desculpa perfeita para acabarem com o futebol profissional de vez.
    Enquanto isso os mulambos q já dominam tudo, vão completar o domínio no campo político com a eleição do bandeira.
    Portanto não esperem melhoras a coisa só vai piorar.
    Temos q apoiar esse time pois se formos rebaixados esse ano só subiremos em 2021 porque a série b ano q vem será com Abad, imaginem o caos.
    Não podemos cair esse ano de jeito nenhum!

  93. Mauro Carvalho - SP
    2 de maio de 2018 at 7:24 (7 meses ago)

    Regra básica de administração quando uma empresa não dá lucro é cortar gastos administrativos, enxugar, reduzir departamentos e manter o seu “core business” que em nosso caso é o futebol.

    Investir pesado em gerar receitas e resultados positivos.

    Nenhuma das ações que essa administração vem fazendo desde a era Peter / Mário Bittencourt estão alinhadas a essas práticas.

    Torraram as receitas com contratos lesivos, decisões que geram passivos, montagem de um organograma que não traz resultados no futebol. Perdas de patrocínios, falha em defesa institucional, renegociação de contratos contra o clube, etc. etc.

    Se isso é gestão profissional, chamem de volta os amadores.

  94. Fernando Ventura Jr.
    2 de maio de 2018 at 9:03 (7 meses ago)

    Se o aludido aditivo vale apenas por seis meses como o TJ foi ter um entendimento diferente? Não podemos levar o caso ao STF? Os seis meses então não valeriam até mais ou menos o meio do ano e aí o Maracanã volta a ser interessante para nós?

  95. Fernando Ventura Jr.
    2 de maio de 2018 at 9:06 (7 meses ago)

    Sem contar a venda do Richarlison a preço de banana, a compra de 50% do Robinho a preço de ouro, a tentativa de se contratar um jogador com os joelhos comprometidos(Gladiador), a contratação de dois goleiros para serem reservas e um centro-avante de qualidade bem questionável e ainda por cima agenciado pelo filho do técnico.

  96. Sergio Binda
    2 de maio de 2018 at 9:09 (7 meses ago)

    O modelo de gestão em que pessoas com ocupações profissionais doam as horas vagas de seu dia a dia (quando posível) para gerir um clube como o Fluminense acabou, não se sustenta. O FFC é um negócio que apesar dos pesares gera uma receita de R$ 200 milhões ano (houvesse um trabalho comercial mais apurado seria muito maior).

    Evidentemente o DF divulgado indica maquiagens ocorridas em gestões anteriores (Peter etc…). Se a realidade é esta, é importante que se saiba o tamanho do buraco de maneira precisa.

    De qualquer maneira a forma de gerir o clube tem de ser alterada. Não é possível continuar com Diretores ou Vices Financeiros que trabalhem ou se dediquem graciosamente ao clube nas horas vagas, não dá para não termos Contralodoria (será que não temos oportunidades na área fiscal a ser explorada??!!), é necessário criar uma área de compliance (sem fiscalização, qualquer organização vira uma bagunça e está sujeita a ação de pessoas de má fé) e conectar o resultado desta gente a performance do clube. Caso contrário vamos continuar neste modelo que sangra o clube, sendo inócua a comparação com outras instituições, pois pouquíssimas devem ter DF´s e balanços bem feitos e que espelhem a realidade da situação econômico financeira das entidades.

    A associação em massa da torcida é importante pois, no frigir dos ovos, há duas eleições o destino do clube está nas mãos dos torcedores. Ano que vem teremos a terceira já nestes moldes e quem não se associou até agora, só poderá ter participação ativa a partir de 2022.

    ST

  97. Sylvio Montenegro
    2 de maio de 2018 at 10:01 (7 meses ago)

    Ahhh! Agora a culpa é da torcida! Para o mundo que eu quero descer! Onde eu estava com a cabeça nesses último 10 anos que votei todas as vezes no candidato apoiado pela Flusócio?

    Nem um balanço conseguem entregar no prazo. O pior resultado financeiro em 2017 entre os clubes da série A.

    E o Cruzeiro, com “gastos proibitivos para o futebol atual no Brasil”, teve superávit de 30 milhões.

    Só pra continuar sendo chato:
    Público Flu x SP – 19.235
    Renda Flu x SP – R$ 565.405,00
    Ingresso – R$ 50,00

    Público Flu x Vit 2014 – 50.687
    Renda Flu x Vit 2014 – R$ 609.195,00
    Ingressos – R$ 30,00 Leste / R$ 10,00 Sul/Norte

    Desculpe, mas vocês estão fazendo com o Fluminense o que dizem que os adversários políticos iriam fazer: afundando o clube!

  98. Flavio Chammas
    2 de maio de 2018 at 10:15 (7 meses ago)

    Senhores

    Já coloquei sobre a situação do balanço não ser apresentado.

    A nota oficial(adoro isto , é quando não se tem nada concreto a falar) é inócua e inútil.

    Quando se deveriam juntar os tricolores, a nossa oposição vai “apagar o fogo com gasolina”(estes assuntos deveriam ser internos):

    “Portal revela início de movimentação dos conselheiros por pedido de impeachment de Pedro Abad

    Segundo informações dos jornalistas Leo Burlá e Pedro Ivo Almeida, o pedido de impeachment do presidente Pedro Abad começa a se desenhar noas bastidores da política do Fluminense.

    Amparados pelo Estatuto do Torcedor e também pelas obrigatoriedades previstas pelo Profut, o programa de parcelamento das dívidas com a União, um grupo de conselheiros estuda pedir judicialmente o impeachment do presidente Pedro Abad.

    Considerando que a base de sustentação do presidente Pedro Abad (“Flusócio” e “Esportes Olímpicos”) ainda é a maioria no Conselho Deliberativo, conseguir a destituição do mandatário pelas vias da política das Laranjeiras seria tarefa mais complexa para estes opositores.

    Pelas regras internas do clube, tal processo só pode ser aberto após o recolhimento de 50 assinaturas, mas o ritual legal teria de obedecer prazos legais que poderiam “esfriar o assunto”, de acordo com a visão de conselheiros da oposição.

    Tão logo a notícia do atraso da publicação do balanço patrimonial explodiu, um grupo de conselheiros convocou um encontro para debater as alternativas possíveis.

    E ingressar com uma ação judicial alegando gestão temerária é uma opção cada vez mais real. Além de driblar a burocracia interna, estes conselheiros acreditam na solidez da base jurídica para o pedido, mas sabem que a ação poderá ser custosa e não há como definir um prazo para solução.

    Ainda que a empreitada não seja das mais fáceis, os opositores ganham corpo, inclusive com a adesão de gente que pertence ao grupo político (“Unido e Forte”) dos vices Cacá Cardoso (geral) e Diogo Bueno (finanças).

    Caso esta ala apoie um impeachment, este novo fato poderia embaralhar ainda mais as peças do tabuleiro tricolor, já que a saída do presidente resultaria na convocação de nova eleição geral.

    Uma saída voluntária de Pedro Abad, no entanto, levaria Cacá Cardoso ao poder automaticamente.

    Apesar da presença na atual administração, as diferenças entre as duas correntes que hoje comandam o Flu são evidentes.

    Adversários no último pleito, Celso Barros e Mario Bittencourt são figuras-chave no processo.

    Em lados antagônicos na última disputa, os dois estão convergindo na mesma direção, o que representa o fortalecimento de uma fatia considerável que anda insatisfeita com a gestão.

    – Seria algo inédito, mas existe a possibilidade de tentarmos o impeachment por vias judiciais.

    A tendência é que percorramos esse caminho, assim abrimos mão do jogo político -, explicou o conselheiro Luis Monteagudo, presidente do grupo opositor “Tricolor de Coração”

    PODER A QUALQUER PREÇO, ATÉ MESMO NUMA AVENTURA JURÍDICA, QUE SÓ IRIA EXPOR AINDA MAIS NOSSAS PRECÁRIAS CONDIÇÕES.

    COMO SEMPRE DIGO, SOU FLUMINENSE, NÃO SOU DE NENHUM GRUPO POLITICO, NEM PRETENDO “MORRER ABRAÇADO” COM QUEM QUER QUE SEJA.

    QUANDO TENHO QUE COBRAR COBRO, MAS ME PREOCUPO COM A INSTITUIÇÃO, O QUE NÃO PARECE SER O PENSAMENTO DOS “GRUPOS POLITICO”, POIS FICA CLARO Q

  99. Sergio Binda
    2 de maio de 2018 at 10:38 (7 meses ago)

    E o pior Flávio é que conheço alguns conselheiros que estão nestes movimentos. Não possuem a mínima experiência administrativa. Estamos mal de todos os lados.

    ST

  100. Cezar Motta
    2 de maio de 2018 at 10:43 (7 meses ago)

    Você tem razão em tese, Sérgio. Mas a proposta desta diretoria era contratar um CEO (e o contratou, com salário de mercado, altíssimo!) justamente para evitar esse tipo de erro. E nem se pensa em demitir o cabra, que já tinha errado demais no ano passado, e parece um oportunista – foi à Disney pra tomar vinho com Galvão Bueno. Futebol também, em tese, teria responsável profissional: primeiro Alexandre Torres, e depois Paulo Autuori. Sinceramente, não dá mais…

  101. Aluisio Silva
    2 de maio de 2018 at 11:16 (7 meses ago)

    cruzes…

  102. Aluisio Silva
    2 de maio de 2018 at 11:21 (7 meses ago)

    Sei que encho seu saco, porque na minha opinião você extrapola na defesa ou moderação.
    Mas tenho de admitir o respeito para sua colocação acima, muito sincera.

    Meu grande temor é um só: isso tudo que acontece lá ser proposital. Se for doloso, prá mim é o de menos… Mas em incompetência não acredito mesmo, é tudo burro velho.
    Enfim, seja o que for, nosso amado tricolor está indo ladeira abaixo. A anos!
    Por isso me exaspero perante os pedidos de apoio incondicional, não obstante as barbaridades que voltam a ocorrer, sempre.
    Prá mim tem de passar o rodo. Zerar. A arrumar a casa.

    Mas sei que você conhece mais intimamente nosso tricolor.

  103. Aluisio Silva
    2 de maio de 2018 at 11:23 (7 meses ago)

    não!
    ato falho…

  104. COSTA
    2 de maio de 2018 at 11:39 (7 meses ago)

    Esse para mim anda e melhor pelo menos é educado

  105. Aluisio Silva
    2 de maio de 2018 at 12:14 (7 meses ago)

    isso mesmo, sempre foi, ninguém pode dizer o contrário

  106. Aluisio Silva
    2 de maio de 2018 at 12:18 (7 meses ago)

    Comentário do Sérgio Binda, mais acima: “conheço alguns conselheiros que estão nestes movimentos. Não possuem a mínima experiência administrativa. Estamos mal de todos os lados.”

    Junta com seu comentário e confirma o que suspeitamos: está tudo dominado.

    Cara… sério, já viu o Flu numa situação semelhante? Rapaz… a coisa pode ser muito pior que imaginamos, caramba!

  107. vivianne
    2 de maio de 2018 at 13:11 (7 meses ago)

    A única saída para a salvação do flu é a retirada de Pedro Abad, o futebol do flu não sobreviverá até 2019 com ele no comando.
    É necessário o conselho, alguém fazer alguma coisa, o futebol do flu caminha para o fim se esse cidadão continuar.
    O projeto foi muito bem elaborado, destruição do clube dos 13,contrato com a Globo, Maracanã, vendas com valores pífios, contratacoes duvidosas e caras, patrocinadores ridículos e abaixo do valor, gestores ligados à secretário de Fazenda do Cabral e a nuzman, e agora por fim essa do balanço além do atraso a descoberta q faltavam documentos em relação a 2016, e aprovaram as contas mesmo assim.
    Além da questão jurídica, lembram do caso Levi, scarpa, jogadores dispensados, tudo isso com membros dos MULAMBO justamente dentro do nosso jurídico?!
    Vcs acham mesmo q isso tudo é coincidência? apenas erros?
    Ou neste momento tricolores independente de corrente política nos unimos e colocamos esse sujeito para fora do flu, ou para nos recuperar precisaremos de uma nova Unimed ou 20 anos sem conquistas de novo.
    É aí qual será a escolha de vcs, o fluminense ou o Abad?
    Está provado com os dois não vai dar para ficar!

  108. Sergio Binda
    2 de maio de 2018 at 13:51 (7 meses ago)

    Cesar… só explicando um pouco melhor. Não quero mais presidentes meio expediente ou que cumpram horário de 6 as 8 da noite. Quero um Presidente em horário integral e dedicado ao clube. O Bandeira do coisa ruim é aposentado do BNDES e fica 100% focado no Urubu. Não estamos mais na época do Laport, do Frias e do Horta. Temos um negócio nas mão que gera receita de no mínimo R$ 200 milhões ano.

    Colocar CEO só porque foi atleta também não dá … sou totalmente contrário. Qual empresa que nosso CEO administrou? ou melhor, qual empresa em situação crítica ele tirou do buraco? Sabe gerenciar crises? Alguém analisou isto ao escolher este Marcus Vinícius? Duvide o dó. Não é por causa de uma escolha equivocada que devemos apoiar este modelo “filantrópico” de dirigente. Somente os relógios trabalham de graça.

    Também não vejo um Diretor Financeiro sem nenhuma experiência de sucesso em administração de empresas anteriores ter lastro para pegar uma bomba como a nossa. A tendência é só piorar.

    Não sei o quanto você tem frequentado o Flu pois não mora no Rio (assim como eu), porém através de amigos sei que ainda existem feudos históricos e mal explicados no clube. Casos claros de compliance devido a conflito de interesse.

    Lamento, mas não dá para um clube com o patrimônio que temos (que apesar dos pesares, cresceu muito com o CT da Barra, além de Laranjeiras e Xerem) ser dominado por pessoas que não têm condições (técnicas, de tempo ou por terem outros interesses) de comandar o clube. Eu vejo por mim … adoraria ajudar o Flu, mas não tenho a menor condição de largar o que faço para graciosa e filantropicamente abraçar o FFC. Este modelo atual dos clubes e em especial do Flu, tem de ser derrubado.

    Podem tirar o Abade agora ou esperar as próximas eleições. Do jeito que é o modelo, vamos depender da sorte de eleger um gênio capaz de virar este jogo.

    Nem falo da oposição… Quem já viu o conselho do Flu da década de 70 e parte da de 80 e o vê agora … dá vontade de chorar.

    Mas por enquanto o que dá para fazer é torcer por uma vitória na Bahia e sucesso na altitude no jogo da semana que vem. O resto que escrevemos aqui é para desopilar o fígado.

    ST

  109. Flavio Chammas
    2 de maio de 2018 at 14:07 (7 meses ago)

    SENHORES

    É LONGO MAS VALE A LEITURA

    MUITO IMPORTANTE SOBRE O NOSSO MOMENTO.

    VOU POSTAR O TEXTO E O LINK

    http://www.observatoriodoflu.com.br/noticias/2018/05/uma-guerra-onde-o-fluminense-sempre-perde-por-paulo-roberto-andel-panorama-tricolor

    “Uma guerra onde o Fluminense sempre perde (por Paulo-Roberto Andel – Panorama Tricolor)

    Ė a última vez que falarei sobre o assunto por um longo tempo. E só escrevo agora por considerar muito importante neste momento delicado – mas, pensando bem, quando não é? A verdade é que estou de saco cheio disso tudo.

    O mais novo – e grave – problema do Fluminense na praça nada tem a ver com o campo, embora o tenha atingido nos últimos tempos de forma muito perigosa.

    O balanço, incompleto, publicado no último dia 30 de abril – e grave pelo que o cerca -, nada mais é do que o reflexo de toda uma época tricolor.

    Embora ele seja fruto direto das duas últimas gestões do clube, sem terceirizar responsabilidades de forma alguma, é mais um capítulo de uma longa e deprimente história que vem atravessando décadas.

    Primeiro: no Fluminense, os grupos políticos ficam acima do clube para seus integrantes e simpatizantes. “O meu candidato é bonzinho, o seu é uma merda”. “O meu faz tudo, o seu não sabe nada”. “O meu grupo sabe tudo, o seu não é nada”. “Teu amigo é da Série C”. Que bosta de argumentação, hein?

    Bom, os resultados ao longo do tempo aí estão, para quem quiser encarar a realidade ou viver num mundo psicodélico próprio, à parte. Ser situação e oposição, salvo raras e honestas exceções muito conhecidas, faz pouca diferença ou quase nenhuma: salvo honrosas exceções, todos os que fizeram parte do processo político contemporâneo ativo do Flu, em algum momento, estão agora de um lado ou de outro (ou dos dois…). Não há novidades. Muitos dos que hoje apedrejam estavam aí rindo outro dia, de braços dados com os apedrejados. Todos os que hoje contemporizam, anteriormente tacavam pedra. E assim o clube vai, se esgueirando a cada três anos, revezando e sortindo apedrejadores e apedrejados, num enredo que só muda da boca para fora.

    Segundo: na prática, o que é a disputa política do Fluminense? Uma briga de reunião de condomínio no playground. Ou a “Feira da Providência” das panelinhas, um monte delas, cada uma em sua barraca. A diferença é que os efeitos dessa briga atingem a milhões de pessoas, mas na prática mesmo, o processo decisório está na mão de muito pouca gente. Sócio Futebol vota, mas não pode ser votado.

    A vulgarização da política.
    I

    Nem todo mundo sabe, mas poucos anos depois de conquistar a Taça Olímpica e o Mundial de 1952, o Fluminense vivia numa pindaíba tão grande que literalmente esteve para fechar as portas – e foi nessa época que surgiram as famosas suplementações de caixa. Pouco tempo depois, ganhou dois Rio-São Paulo (o principal campeonato da época) e um Carioca. Naquele tempo, recuperar as contas era menos difícil.

    Do final dos anos 1960 até a metade dos 1980, com intervalos, o Tricolor foi absoluto. Foram nove títulos do Carioca – a mais valorizada conquista do país à época -, dois campeonatos brasileiros – fortíssimos – e, por duas temporadas, teve o mais emblemático e conhecido onze de sua história – a Máquina Tricolor. O sonho custou caro aos cofres do clube e desalinhou as contas, mas é impossível calcular quantas centenas de milhares de crianças ficaram encantadas para sempre com Rivellino e grande elenco – eu sou uma delas e, cá para nós, o Fluminense não pode se queixar do meu trabalho voluntário. E, por mais que o sonho do Dr. Horta tenha naufragado financeiramente, basta dizer que naquele tempo o Flu teve a maior média de público pagante de toda a sua história, e que teve tempo suficiente para se reorganizar, quatro décadas mais precisamente.

    É duro reconhecer também que, apesar da criatividade na montagem do timaço 1983-1988, Horta foi o nosso penúltimo grande empreendedor, quando não havia patrocinadores nem cotas de TV, apenas os ingressos para pagar as contas. Depois do eterno presidente, só Celso Barros chegou perto, com outro modelo, sem montar nenhuma Máquina, mas colocando prestígio no Flu, a seu modo, inegavelmente, por meio da marca que dirigia.

    Tirando Horta e Celso, o Flu viveu sempre de equipes modestas nestas quatro décadas, mesclando jogadores desconhecidos e apostas com a prata da casa. O time operário entre 1989 e 1995 era fincado no carisma de Super Ézio e, efêmera, mas definitivamente, em Renato Gaúcho – em 1994, até houve a ousada contratação de Luis Henrique, que fracassou. A Era Celso teve vários craques, mas muitos veteranos no apagar das luzes e os Ademilsons da vida. Investimento pesado mesmo – em jogadores, não no clube -, a partir de Romário e especialmente entre 2007 e 2014.

    Aos trancos e barrancos, desde o fim da parceria com a Unimed, o Flu sobreviveu até em algum momento de 2016, quando o vazamento finalmente apareceu na parede. E assim seguimos, mas com um problema grande: devemos trocentos milhões, o avião sua sangue para não sucumbir a turbulências, ninguém de fora – exceto quem já esteve lá, e talvez nem sempre – sabe exatamente qual é o tamanho exato da laranja ou melancia, não se vê ações concretas para que o clube recupere seu patamar financeiro perdido. A grande promessa ao final da temporada retrasada era a recuperação das contas, num processo de relativa união política dos vencedores. Logo depois, a revelação – parcial – do rombo tricolor impediu contratações de peso e o time, que parecia promissor, não decolou ano passado, chegando até a assustar. Agora, em 2018, o bom começo no Brasileiro é uma esperança, mas vista com ressalvas: há o senso comum – ou quase – de que o Fluminense precisa de reforços, especialmente na ligação de meio de campo, se não quiser passar sustos no segundo semestre.

    Temos vivido uma guerra sem vencedores, ou melhor, onde o Fluminense sempre perde. Fala-se pouco e vê-se menos ainda as ações de impacto. Dentro e no entorno do clube, continuam os bombardeios – cobrar e criticar é muito justo, ressalte-se. Parte da internet oficiosa do clube é um abominável soldado inimigo.

    Quem ganha com isso? Uns poucos pobres diabos. O Fluminense, não.
    II

    Há dois Fluminenses no mínimo: o do campo, lúdico, demolidor de obviedades, que há muito tempo escreve grandes histórias do futebol, paixão que a tudo inspira, que nos faz insistir em persegui-lo. E o outro, do mundo real: político (desastrado), econômico-financeiro (idem), administrativo (idem). Por mais que os últimos meses tenham hospedado acontecimentos bizarros, o problema geral é muito maior e de muito mais tempo.

    Nos últimos anos uma onda de ódio tomou o clube de assalto, com reflexos graves em todos os sentidos: crise de identidade nas arquibancadas, afastamento da torcida, dos sócios. E junte a isso a grande era das cruzadas medievais da internet, onde senhores das verdades do papel higiênico usado estimulam o rancor por questiúnculas. A indigência financeira que se acentuou nos últimos anos, bem como a incapacidade de driblá-la com eficiência. A falta de carisma – quem hoje se interessa em promover o diálogo entre as correntes tricolores e sinceramente abdicar do particular em prol do coletivo? A incapacidade de capitalizar positivamente os grandes momentos vividos entre 2005 e 2012 (logo em 2013 já deu eca) para gerar receitas, promover o crescimento devido da torcida, a nossa capacidade de oxigenação.
    III

    Quando se fala do Fluminense na sua política, vem de imediato o conceito de turma: a da situação, a da oposição, a que alterna conforme a dança dos números eleitorais, a dos pela-sacos que orbitam em torno desses subconjuntos (não em prol do Flu, mas para a própria autopromoção). A turma que quer eugenia na arquibancada, decidindo como se deve torcer. A turma que acha que o torcedor deve simplesmente comparecer porque é sua obrigação. A turma que nunca deu certo em porra nenhuma e quer usar o Fluminense para sua vaidade pessoal. Há um desalinho completo entre os discursos e o que se vê a olhos nus.

    Então os anos passam, o torpor permanece e, a cada três anos, vamos procurando novos culpados – não que eles não existam, mas as entranhas têm mais de 30 temporadas. No terceiro ano de cada gestão, o de eleições, a porrada verbal come, as acusações viram tiroteio e, quando alguém mais atento espia, vê que todo mundo de dentro ou de fora – ao menos todos os atores principais e seus séquitos – veio da mesma ciranda, em momentos diferentes.

    A cada três anos, os mesmos velhos erros são cometidos, as obscuridades vão e vêm, a desinformação prevalece e tudo isso só serve para aumentar ainda mais a verdadeira TV Fama em torno do clube, com galhofeiros e anônimos tentando buscar vantagens a todo instante com as famosas “infos” ou “furos” (95% delas não dão em absolutamente nada, exceto para quem lucra com cliques). Bom, o Fluminense tem uma página oficial com um milhão e meio de seguidores: bastava fazer dela um canal de comunicação transparente e permanente. Era só querer. Vontade política, que não houve nem há.

    Temos uma das sedes mais bonitas do mundo. Mesmo com pouco dinheiro, mas muita criatividade, seria fácil atrair visitantes e turistas do mundo inteiro. Quem não quer conhecer um polo de cultura de futebol que fica no estádio onde nasceram o futebol do Rio de Janeiro e a Seleção Brasileira? Poucos times do planeta têm tantos torcedores que são artistas consagrados nas mais variadas áreas. Sabem o que se faz com isso em termos realmente úteis para o Fluminense? Nada. Absolutamente nada.
    IV

    Eu mesmo ofereci modestamente ao clube – de graça, repito, DE GRAÇA e mais de uma vez – diversas ideias. De livro eu entendo; de política cultural também; de agregar gente, idem. Todas, absolutamente todas, viraram forro da gaiola do papagaio no dia seguinte, ou até mesmo tratadas com sarcasmo, o mesmo que antigos dirigentes do clube – como a ex-dupla “Bittensen” – também me dedicaram.

    É o fulano que sabe tudo e não aceita sugestões (mas não faz nada de útil), o sicrano que tem medo de perder o emprego, o beltrano que entrou pelo janelão etc. Já ouvi e testemunhei tantas histórias que chega a dar nojo.

    Ok, já estão fazendo coisas fantásticas, não é mesmo?

    Vamos aguardar… sentados.

    Enquanto isso, muita coisa que poderia fortalecer a imagem do Fluminense em caráter nacional não sai dos papéis da Taça Olímpica…
    V

    Nossa torcida é gigantesca em vários bolsões populares da cidade do Rio, também espalhada em N municípios Brasil afora. Gente nossa a ser cativada, aproximada, participada, jogando junto. Mas a mentalidade de “elite” (cafona e atrasada, presente dentro do clube) sempre inibiu essa aproximação. Resultado: há quatro anos não colocamos 50.000 tricolores numa partida. Pelo contrário: neste ano mesmo jogamos para 200 ou 300 apaixonados no cafundó… Chegou a ser emocionante ter quase 20 mil contra o São Paulo.

    Agora, uma coisa é fazer do Fluminense um clube de efetivas arquibancadas populares. Outra é trazer o zé ruela da internet que fala “nóis vai” e “déis merreis” para ter cargos no clube, caso seu candidato de estimação vença o pleito.
    VI

    Com tudo isso, que não chega a 10% dos problemas, o Fluminense ainda consegue sobreviver, ficar de pé e lutar. O problema é que só a luta não basta para os próximos anos.

    O futuro do clube depende do fim do feudalismo enrustido, da busca real por parcerias, pela transparência que favoreça investimentos relevantes, mas também sem cair na esparrela corporativa fria, indiferente, estilo banqueiro. Pode dar certo para uma indústria, um grande escritório, não para um clube que carrega o futebol em sua certidão de nascimento.
    VII

    Se nada de novo, bom ou ruim, for feito e nenhum grande desastre acontecer, teremos um 2018 digno e, a seguir, é ano de eleição. Gente que não se fala desde 2016 começará – ou voltará – a trocar mensagens, auditórios serão ocupados, panfleteiros virtuais ficarão ouriçados, os ranços de sempre serão desnudados, as redes sociais vão virar praça de guerra a cada resultado positivo ou negativo do time, até que chegará o final do ano e teremos um novo presidente, que prometerá tudo o que já foi prometido – e não foi feito. Em suma, jogo político de reunião de condomínio no playground. Ah, sim, e os caras que mais lutam pela política são os primeiros a serem postos de lado e ridicularizados pelas costas. Este é o cenário patético da vida política do Fluminense.

    O resultado disso tudo? Em 2022 teremos jogado mais três anos no lixo, se lixo houver.
    VIII

    Desde já, declaro meu total respeito aos amigos que tentaram – ou ainda tentam – mudar as coisas para melhor no Fluminense, com cargos, no Conselho ou em outros postos, independentemente de concordarem comigo. Por vezes, a míope visão panorâmica e as paixões incendiárias fizeram com que muitos se afastassem uns dos outros, cortassem relações ou até se tornassem inimigos(as), o que é uma pena.

    Mas a mentira não faz parte da minha lida, nem para com os outros e muito menos para comigo.

    Não acredito que esse modelo de fazer as coisas possa dar certo. Melhor dizendo: acho impossível, seja qual for a futura nova gestão do clube, agora, amanhã, ano que vem.

    Quem me respeita, me tem em consideração ou desfruta de minha amizade entenderá minhas opiniões aqui expressas. Quem está ao contrário disso simplesmente não me interessa.

    Há mais de 30 anos, perdemos o protagonismo político no futebol do Rio e do Brasil. É tempo suficiente para se perceber o erro e corrigi-lo. Ganhamos alguns títulos, tivemos momentos luminosos, mas fomos opacos na maior parte deste período.

    Falta carisma, falta atitude, falta a capacidade de agregar, falta colocar a baixeza no lixo, falta priorizar o coletivo em vez do particular.
    IX

    Espero em 2019 ter motivos para pelo menos ir ao clube votar numa mudança de verdade: de paradigma, de patamar, de atitude, de agregar, de mentalidade. Porque se não houver, nem perderei meu tempo.

    Chega de política requentada, sem gosto e com mais do mesmo. Chega de ir votar no menos pior para evitar o desastre. O Fluminense precisa de renovação de verdade, a começar pelo fim desse modelo político dos tempos do “Café com leite”, cafona e obsoleto.

    Chega de ser chamado a cada último ano para fazer claque em reuniões ou aparecer em fotos protocolares. Não contem comigo para o papel de panfleteiro eleitoral. Nem minha coluna, nem meu blog.

    Quando quiserem colocar o Fluminense na vanguarda cultural do futebol brasileiro, trabalhando firme, em EQUIPE, sem peitos de pombo estufados e inúteis, sem a empáfia oca do mundo corporativo que não entende PORRA NENHUMA de Fluminense, sabem onde me achar. Se não quiserem, vida que segue.

    No mais, esta é a minha palavra, a de quem nunca fez conchavo com candidatos do clube, não fez e não fará, o que nem todos podem dizer por aí, ao menos se passarem por um detector de mentiras em funcionamento pleno. Eu topo passar numa boa. Alguém mais?
    X

    Cheguei até aqui e não falei de Samorin, de farra dos ingressos na Libertadores, do cambismo ano passado, de Seu Bismark, da “limpeza étnica” que se tentou fazer na arquibancada, das contratações estapafúrdias que fizemos nos últimos 20 anos, de gente que entrou fudida no Fluminense e saiu milionária, de “tricolor” que faturou grana indevida do clube etc. Um caixão preto que sempre fica de lado, recheado de velhas novidades. Não dá tempo para escrever um livro e, de processos, já me basta o que me moveram covardemente com a total leniência dos Srs. Peter Siemsen – ARGH! – e Mário Bittencourt, mas nunca é demais lembrar: quem é processado também pode processar…
    XI

    O campo é outra coisa, separo de toda essa tralha acima. Não me interessa nenhuma guerra estúpida.

    Mesmo com todas as dificuldades, só penso numa vitória domingo em Salvador.

    Apesar de muito triste com a ressonância magnética do Fluminense e os seus arredores, o que me move é a velha paixão de menino – e com ela eu vou até o fim, mesmo que seja cada vez mais uma experiência individual.

    Desculpem o desabafo. Há meses evitei falar do que está nessa coluna, mas o saco encheu.

    Já ensinava o monumental jornalista Tarso de Castro, fundador do Pasquim: “É preciso ter amigos, mas poucos”.

    Tarso foi certeiro do começo ao fim.

    Panorama Tricolor

    @PanoramaTri @pauloandel”

  110. Sergio Binda
    2 de maio de 2018 at 14:18 (7 meses ago)

    O Paulo Andel descreve com precisão os bastidores do FFC. Gente arcaica que gravita em torno do clube. Infelizmente em Alvaro Chaves o tempo não passou. É preciso que os torcedores, mesmo os que moram longe, se engajem para poderem ajudar a traçar nosso destino. Não sabia que sócio torcedor não pode se candidatar, mas de qualquer forma pode eleger e ajudar o clube paralelamente.

    ST

  111. Sylvio Montenegro
    2 de maio de 2018 at 17:10 (7 meses ago)

    Poderíamos fechar uma parceria com o Botafogo no uso do Engenhão, provavelmente sairia mais barato que a arena Odebrecht.

    E até agora não revelaram qual é o projeto alternativo do clube ao estádio proposto pelo Pedro Antonio.

  112. Valmir Carvalho da Silva
    2 de maio de 2018 at 17:29 (7 meses ago)

    NÃO DÁ MAIS……ESSE PESSOAL NÃO AMA O FLUMINENSE. ESTÃO BRINCANDO COM A PAIXÃO DO TORCEDOR. ISSO É PERIGOSO. NÃO HÁ MAIS ARGUMENTOS DE DEFESA PARA AS ÚLTIMAS DUAS GESTÕES.

  113. Alexandre Magno Barreto Berwan
    2 de maio de 2018 at 18:21 (7 meses ago)

    Nada contra apontar problemas no comando, desde que não ataquem a instituição.

  114. Rodrigo Baroni
    2 de maio de 2018 at 19:31 (7 meses ago)

    Tentando novamente postar isto:

    Sobre este tópico em específico, por estas e outras nao tenho lido mais este site. Assim como deve ocorrer com muitos outros antigos leitores e participantes.

    Não pelos frequentadores e galera q escreve, mesmo os mais simpaticos à Flusocio, mas por conta, pelo menos no meu caso, do teor dos textos da flusocio e seus membros aqui (falo dos membros, com informações privilegiadas, e não dos simpatizantes, q voam e viajam como nós):

    Textos pedantes, metidos pra caceta, que não dizem nada pra torcida, q parecem forçar intelectualidade, mais preocupado com a forma dele, do q com o conteúdo tricolor, num ambiente movido por paixão, e por vontade de q visem por gols, e por vitórias e títulos do Flu, textos q não pedem este estilo aí , textos muito distantes da paixão pelo FLUMINENSE.

    Vcs da FS pareciam q fariam um Flu diferente, correto e inteligente, mas, ao contrário, fizeram tudo ao contrário do prometido por antigas belas palavras, q não enganam quase mais ninguém!!!!!

    A única novidade desta msg aqui aparece onde vcs dizem q o maldito aditivo com a Odebrecht valeria por 6 meses.

    O resto, é resto. Td mundo já sabe de todo o escrito ai.

    E fica óbvio q qdo vcs citam os públicos dos jogos do Flu de bons horários, como vcs disseram, tentam colocar culpa na TORCIDA DO FLUMINENSE pela incompetência de vcs. É brincadeira !!

    E, Quando vcs mesmos da flusocio sempre nos disseram q este aditivo valeria só por 2 jogos. Agora trazem a grande novidade: valiam por 6 meses. Q bela novidade!!

    Maracanã não enche pois a torcida não suporta mais o Flu atual !!! Não tem esperança de nada!!! E tb pois não vê bom time em campo!!!! E nem possuimos ídolos, ou ídolo!!!! Além de outros motivos já citados abaixo por outros amigos. Os prejuízos advém da incompetência de vcs !!!!

    E, por sinal, como anda a ação FLU X ODEBRECHT MARACANÃ na justiça, q vcs citam acima ???? Cadê o corpo jurídico do flu, o jurista Caca, etc etc ????? Esta ação precisa andar !!!!!!

    Assim como num post anterior de vcs sobre SAMORIM, Eslováquia, cidade coladinha a Viena na Austria, onde o mundo todo faz turismo.

    Texto parecido com a redação feita pelo Marcelo Teixeira ao Pres C Fis Abad e ao Pres Peter, q foram convencidos por MT para a criação do Flu Samorim.

    Sempre nos contaram aqui neste mesmo site q no SAMORIM nós gastaríamos tão somente e basicamente com os salários dos atletas e da comissão q lá estão.

    Agora vcs mesmos dizem q lá gastamos com atletas 150 mil euros por ano, cerca de 650 mil reais.

    Mas agora apareceram os CUSTOS ADMINISTRATIVOS SAMORIM: de 600 mil euros, mais 5 parcelas de 100 mil euros anuais, completando 700 mil euros, ou seja, temos também gastos administrativos lá de 2,8 milhões de reais por ano !!!!!!!!

    Nem vou entrar no mérito de ser ou não caro o Samorim. Pra mim, é. Mas o rombo do Flu não vem mesmo daqui. Mas ajuda a secar o cofre , né !!?????

    E, com respeito aos q veem futuro neste projeto: alguém acha mesmo q isto dará lucros ao Flu no futuro??? Citam por aí uma possível ida à 1a divisão eslovaca, e à Liga Europa mais à frente.

    Alguém acha mesmo q, caso isto ocorra um dia, os custos lá continuariam em 3,5 milhões ano aos cofres tricolores ???? Claro q aumentarão !!! E se isto ocorrer em 10 anos???? no décimo ano, lá em 2026, já teremos depositado na Eslováquia mais de 40 milhões de reais do FFC!!! Alguém acha mesmo q isso dará certo???? Lá na frente, olharemos para trás, com uma conta paga pelo FLU de dezenas de milhoes de reais!!!!!

    Ao MEU VER, A redacao de convencimento do MT poderia ter trocado SAMORIM VIENA, por um interior paulista, ou por grande Vitória, ou por Sul do país, ou uma capital do nordeste. Aí sim esta historia de FLU B talvez desse frutos ao FLU A. Mas quis o Sir MT, ex Manchester united e ex traffic, se posicionar ao ladinho de VIENA.

    Aí, um dia após esta mensagem de vcs sobre Odebrecht Maraca, pipoca este escandaloso balanço 2017, após esta gestão contratar centenas de manegers e gerentes e CEOS e executivos e PJS em todos os setores do clube, enão cortar gastos administrativos, ao contrario. . Pensamos q ao menos as dívidas estariam equilibradas, depois de tantos discursos de austeridade e equilibrio, mas pularam ela de 450 em 2015-2016, para 657 em 2 anos, em 2017!!! E Constatamos tb que NENHUM destes inchados setores administrativos funciona!!! Ainda q muito caros!!!

    Me desculpem pelo texto longo.

  115. Davi Carvalho
    2 de maio de 2018 at 19:36 (7 meses ago)

    O que mais me enoja são esses parasitas sem emprego, que estão lá a vida toda, há anos e ficam nos bastidores, nas sombras de Laranjeiras, confabulando e puxando o tapete dos outros.
    Uma cambada de filhos da puta que não possuem competência e ganham suas vidas saqueando o clube.
    Muda-se a gestão, mas parece que os cães são os mesmos.

  116. Rodrigo Baroni
    2 de maio de 2018 at 19:46 (7 meses ago)

    Pra quem quiser acompanhar no site do TJRJ como anda o PROCESSO JUDICIAL
    FLUMINENSE X COMPLEXO ODEBRECHT MARACANÃ, O NÚMERO DELE É:

    Processo No 0072675-60.2017.8.19.0001.

    OBS: O juiz da 1a instância havia se manifestado em liminar PRÓ FLUMINENSE, mandando cumprir o contrato original.

    Depois a Odebrecht cassou isto na 2a instância, noutra liminar, com os desembargadores fixando o tal último aditivo como regra por enquanto.

    E o processo caminha…

    Que ele ande!!!!!!!!!!!!!!

    Onde está o jurídico do FFC ?????????

    Processo começou em MARÇO/2017, e não tem sentença, e parece q ainda falta muito pra ela vir…

  117. Davi Carvalho
    2 de maio de 2018 at 19:53 (7 meses ago)

    Gil era neto dele, não???

  118. Paulo Cavalheiro
    2 de maio de 2018 at 20:16 (7 meses ago)

    Situação do FFC beirando a falência total, e Abad e sua diretoria, acobertando este desastre.

    Não há mais capacidade ética e moral para Abad e sua diretoria, tentarem “ressuscitar” o FFC. A respeitabilidade findou, não há mais clima !!

    Analisando os grupos políticos, com pessoas de estirpe “muito duvidosa”, somente vejo Pedro Antonio, com o único tricolor atuante na política dos últimos anos, com integridade para tal função.

    PA é unanimidade, lógico que não, mas perto dos concorrentes, é pule de dez !!

    Se não houver uma composição urgente e salvadora, antes que este mentecapto do financeiro, faça a “captação” de milhões de reais, oferecendo em garantia receitas futuras dos direitos de tv, podemos sucumbir. Esta “pseudo” salvação, pode ser a pá de cal !!

    O FFC necessita neste momento de uma “união” inesperada, que os “bons” tricolores, que possam tomar esta decisão, sejam “ungidos” e iluminados, antes que seja tarde!

    O tempo urge e cada dia temos menos tempo !!

  119. Paulo Cavalheiro
    2 de maio de 2018 at 20:29 (7 meses ago)

    O Laranjal se tornou um “lixão” de parasitas, sacanas e mal intencionados, uma corja maldita.

    A radiografia estava clara, era questão de tempo, mas a teimosia e a dificuldade de não querer enxergar o óbvio !!

    Culpados : Globo, Ferj, Cbf, NetFlu, Fox, Sportv, maionese hellmans, pão pullman, cerveja heineken, etc…….

    Não tricolores, maiores culpados alojados e bem remunerados dentro do Laranjal, destrinchando o Fluminense e tentando a todo custo somente levar vantagem, má fé e dolo, sacanagem pura. Não acredito mais em incompetência !!

  120. Rafael Pottes
    2 de maio de 2018 at 20:59 (7 meses ago)

    Pqp
    Fudeu

  121. Rafael Pottes
    2 de maio de 2018 at 21:01 (7 meses ago)

    Ótima colocação Flávio
    Q situação estamos vivendo
    Inacreditável a sucessão de barbaridades ao Flu…
    Confesso q tá dificil até pensar em tentar entender o q os dirigentes “tricolores” estão fazendo…..

  122. Rafael Pottes
    2 de maio de 2018 at 21:11 (7 meses ago)

    Concordo em relação ao CEO mas discordo em relação ao Autuori. Não há o q falar de mal da gestão do futebol nesse ano
    C todas as dificuldades do mundo

  123. Aluisio Silva
    2 de maio de 2018 at 21:29 (7 meses ago)

    deixei de acreditar em incompetencia tem tempo
    lá nao tem menino nao…

  124. COSTA
    2 de maio de 2018 at 21:53 (7 meses ago)

    Lamentável , eu já achava tudo errado , mas não a esse ponto.
    Saudações

  125. Sergio Binda
    2 de maio de 2018 at 22:04 (7 meses ago)

    Falo isso faz tempo!! PA hoje é nossa única alternativa…

    St

  126. allan
    2 de maio de 2018 at 22:06 (7 meses ago)

    Valeu pela correção, Cezar !
    Não sabia que a grande Barbara Heliodora era filha única.
    De qualquer forma Abad e Peter formam junto com Álvaro Barcelos e Gil Carneiro os quatro cavaleiros do apocalipse tricolor.

  127. Davi Carvalho
    2 de maio de 2018 at 22:15 (7 meses ago)

    Pois é, muita gente que não torce pro clube lá dentro.

Deixe um Comentário