Nós contra todos

Guerreiros-Tricolores

Vai começar a guerra!

Aquilo que se desenhava desde Dezembro, vai começar. Na guerra da mídia, o Fluminense foi julgado “a revelia”, com a comunicação institucional completamente inerte aos ataques à imagem e à história do clube. E todos, literalmente todos, parecem estar contra o Flu.

Dentro do clube, também o cenário não é animador. Se o desastre de 2013 indicava uma oportunidade de aprender lições e corrigir rumos, não é isso o que está se vendo.

Mas o Fluminense é maior que tudo isso. Maior que essa mídia tendenciosa. Maior também do que aqueles que, podendo corrigir os erros, erram mais ainda.

Se há algo que pode dar esperança de um Brasileiro digno é nossa torcida. É ela que vai fazer a diferença. O amor da torcida, especialmente nos jogos em casa, pode contrabalançar o ódio dos adversários inflado por essa mídia maldosa. Em tempos de estádios vazios e descrédito, a torcida tricolor precisa mostrar ao Brasil a mesma pegada que encantou a todos especialmente de 2007 até o fechamento do Maracanã.

Pelo menos isso, nossa diretoria parece ter entendido. As promoções de ingressos estão aí. Para este jogo, os preços no setor Sul são R$ 10,00 (inteira) e R$ 5,00 (Meia / Sócio-Futebol / Pacote Jogos). Sócios Contribuintes e Proprietários com Pacote Futebol não pagam.

Se há lacunas no elenco, temos também grandes jogadores identificados com o clube. Craques que, se olharem para a arquibancada, e virem a aura da verdadeira torcida tricolor, certamente renderão o que se espera deles, a despeito de qualquer outro problema do clube.

A hora é agora. Vamos lotar o Maracanã já nesse jogo contra o Figueirense e empurrar o time para os primeiros 3 pontos.

Todos ao Maracanã!

Postura estranha

Jackson critica Paes

Em vários posts recentes cobramos da área de Comunicação Institucional do Fluminense uma “pegada” mais tricolor, algo que engaje a torcida, motivando-a a comparecer aos estádios, entrar de sócio do Flu e prestigiar produtos licenciados.

Mas pelo visto tem gente que não entendeu bem o recado. Ou pior: vestiu a carapuça da falta de sangue tricolor nas veias, mas vem exagerando na dose para nublar este rótulo, com manifestações públicas que devem estar deixando a diretoria atual morrendo de vergonha.

Além de provocações até certo ponto infantis aos rivais Flamengo e Vasco, postura incompatível com um dirigente de grande clube, o assessor executivo da Presidência, que é dono de um escritório de estratégia política e também trabalha em outras frentes na política convencional, tem sido veemente nas críticas a alguns políticos, mesmo com o Fluminense atualmente negociando a viabilização do Centro de Treinamentos com o Poder Público Municipal, e ainda dependente de acordos com os órgãos do Poder Público Federal para resolver definitivamente a questão fiscal.

Perguntamos no que este tipo de conduta ajuda o Fluminense?

Até quando. Presidente Peter?

Cadê os reforços?

Jogadores

Estamos a 5 dias da estreia em um campeonato brasileiro delicadíssimo para o Fluminense. Aos olhos externos, não importa a lambança que o Flamengo protagonizou ao escalar o André Santos irregularmente, nem soa estranho a Portuguesa repetir o erro menos de 24 horas depois. O regulamento cumprido, retirando pontos de quem escalou jogadores que não podia, não importa. O que brilha e chama a atenção de todos os abutres da imprensa e rivais é o fato do Fluminense, que manteve sua pontuação e não brigou por nada na Justiça, ter escapado da série B em 2014.

Dito isto, é importante a reflexão: se fomos tão mal em campo, é natural que os reforços sejam a prioridade, certo? Na prática, a realidade é bem diferente: à exceção de Conca e Walter, duas grandes aquisições para reforçar nosso poderio no ataque, a retaguarda e o meio campo não receberam novas peças. Resumindo: vamos começar um torneio em que TODOS querem a caveira do Fluminense com a mesma base que sofreu por longos meses no brasileirão do ano passado.

O contestado Edinho saiu e o sistema defensivo segue muito vazado, o terceiro homem do meio-campo é uma incógnita e o atacante de velocidade, fundamental para fazer o Fred funcionar bem e com tranquilidade, ainda não foi encontrado.

A janela internacional se fechou, a Unimed já declarou que bateu no teto dos investimentos, então é hora do clube usar criatividade e ousadia para tentar se reforçar. O mercado interno, mesmo inflacionado e competitivo, ainda oferece opções que possam tornar o elenco mais robusto e o time mais dinâmico. Temos nove jogos duríssimos antes da pausa para a Copa do Mundo e não podemos nos dar ao luxo de esperar a volta da janela internacional para trazer novos atletas.

Nada acontece por acaso

calado

“Vejo com naturalidade as críticas, pois são torcedores. O torcedor tem uma reação mais apaixonada. Quem tem a responsabilidade não pode fazer. O torcedor muda muito de opinião, não posso transferir esse sentimento para a comunicação. Não posso fazer isso para ser desleal com quem usa a comunicação como fonte. O que ela critica é que ela quer que os canais sejam de comunicação do torcedor, e não do clube. Se for assim, tem que ser outro o viés, realmente. Mas assim não estaria comunicando. Não pode entregar a linha de comunicação à paixão da torcida”, ponderou Vasconcellos.”

As aspas acima saíram semana passada no site UOL, em matéria entitulada “Saiba a tática do Flu para evitar ser o ‘inimigo nº1 do futebol brasileiro”.

Se a Comunicação Institucional não pode funcionar como porta-voz da paixão de sua torcida e principal canal de defesa institucional do Fluminense, quem o fará? A redação de O Globo? A ESPN Brasil?

A Comunicação do Fluminense não é editoria de esportes, não é redação de jornal. É um mecanismo que existe para servir ao Fluminense, informar o seu torcedor, engajá-lo em programas institucionais e colocar a visão dos fatos do ponto de vista do Clube.

Quem não entende isso não pode trabalhar nesta área tão sensível, muito menos liderar o setor e definir sua estratégia.

Presidente Peter, até quando?

Decisão amanhã em Laranjeiras

Flu x NI

Amanhã, às 15 h, o time de juniores do Fluminense decide a Taça Guanabara contra o Nova Iguaçu, no estádio das Laranjeiras.

Com a vitória por 2×0 obtida no primeiro jogo, fora de casa, o tricolor pode até perder por um gol de diferença para se tornar campeão e dar um passo importante para conquista do tricampeonato estadual.

O Fluminense joga desfalcado do volante Marlon Freitas e do atacante Denilson que viajaram para os E.U.A para jogar o torneio Dallas Cup, mas contará com alguns atletas que já treinam no time profissional, tais como: goleiro Marcos, zagueiro Marlon, meia Gustavo Scarpa, atacante Kenedy.

Compareça torcida tricolor!

1 2 3 56