Evento na Sampa Flu foi um sucesso

SAMPAFLUNa noite de ontem, o candidato Pedro Abad esteve em São Paulo para uma “sabatina” por parte dos sócios da SAMPA FLU, grupo de tricolores que residem na capital paulista e região. Por mais de 3 horas o candidato respondeu às perguntas dos tricolores presentes no encontro.

Aproveitamos a oportunidade e transmitimos o evento ao vivo via Periscope, com pico de audiência próximo de 600 pessoas, um sucesso absoluto. Quem quiser ainda pode escutar a versão gravada, disponível aqui.

Agradecemos as mensagens de apoio que estão chegando em nossos canais digitais e convocamos os sócios de Brasília para a próxima sabatina, que será no dia 23/08 na capital federal.

Em 30/06, o candidato já havia participado de evento semelhante em Petrópolis – RJ.

Agradecemos também aos tricolores locais que organizaram estes eventos para que seja possível ao candidato apresentar suas propostas.

Siga o candidato no Twitter @abadpresidente. Pergunte, questione, tire suas dúvidas.

#AbadPresidente

A importância da transição

Gerson e Kenedy

Xerém é hoje reconhecido como um dos cinco melhores centros de formação de jogadores no país por conta do maciços investimentos feitos na gestão Peter Siemsen. Para quem não se lembra, o local chegou a ser apelidado de “Carandiru” por conta do péssimo estado de conservação anterior.

Não há dúvidas que a formação e aproveitamento dos garotos no time profissional é uma das únicas saídas viáveis para o clube sobreviver na selva da disparidade de cotas de TV. Além do retorno técnico, o clube também se beneficia das eventuais vendas. Na última semana tivemos um exemplo concreto, quando durante a apresentação do CT, Pedro Antonio declarou que toda a obra custaria o equivalente a “um Kenedy”. É um modo didático de mostrar como nosso espaço para divisões de base pode mudar o patamar do Fluminense, seja através de aumento de patrimônio, seja através do rendimento dentro dos campos.

Durante o período Unimed, havia uma natural dificuldade de surgimento dos garotos no time profissional, uma vez que o elenco contava às vezes com até 2 reservas de mais nome e peso do que as revelações. Ainda assim, muitos nomes surgidos da base conseguiram subir, se manter e brilhar em conquistas. A partir de 2015, acompanhamos isso acontecer com mais força, com a revelação e aproveitamento de Gerson, Kenedy, Douglas, Marlon, Scarpa, Marcos Jr etc.

Agora, o cenário exige que a base do elenco seja feita em casa, com custo menor do que coadjuvantes externos que não sejam estrelas merecedoras de salários altos. O segredo, portanto, está na transição bem executada, para que Xerém não só consiga abastecer o time principal nas posições carentes, como também estes atletas não sintam o peso da mudança e possam render o máximo. Na realidade brasileira, o Santos parece ser o time mais maduro neste movimento: volta e meia diversos jovens sobem ao mesmo tempo, e apesar da pouca experiência, conseguem se manter no elenco e até mesmo como titulares por longos períodos. Não é à toa que é o time com mais convocações para a seleção olímpica e também principal, com vários garotos escolhidos.

Está claro que o futebol de todo clube precisa ser pensado de forma única, desde a captação de talentos externos até a subida da molecada, sempre objetivando formar o time profissional o mais forte possível. Nosso candidato, Pedro Abad, tem a seguinte visão sobre o assunto:

“Pretendo ter uma gestão coordenada do futebol profissional e Xerém. A estratégia de aproveitamento dos atletas da base deve ser feita em conjunto com a análise do elenco profissional, de forma que os jovens que se pretenda aproveitar impeçam a contratação de reservas no mercado. Tem que haver espaço para que o jovem jogue uma quantidade razoável de tempo para amadurecer definitivamente e consolidar seu nome no mercado. Ao mesmo tempo, que possa desenvolver sua carreira de forma a não ser “queimado”, com o devido suporte de uma espinha dorsal mais “cascuda”, o que impedirá que a responsabilidade lhes recaia nos ombros”.

Derrota merecida

CAP1x0Flu

Passada a ótima semana festiva do 114o aniversário do clube, o Flu voltou a sua realidade e entrou em campo para enfrentar o CAP, fora de casa pela 16a rodada do campeonato brasileiro 2016.

A derrota por 1 x 0 foi merecida, pois em momento algum o Flu conseguiu criar chances de gol e incomodar o adversário. Fomos dominados num confronto entre dois times nivelados, o que é preocupante e deixa novamente as feridas à mostra.

Gostaríamos de registrar também o seguinte: ninguém consegue entender que, após o esforço da CBF em padronizar as medidas de todos os gramados das Séries A e B, ao mesmo tempo seja permitido ao CAP o uso de um gramado sintético, que torna a bola mais viva e prejudica bastante qualquer time visitante, que não está acostumado com tal realidade.

Mas a impressão que deu hoje é jogaríamos por mais 90 minutos e não conseguiríamos ameaçar. O time simplesmente não ousa, não ameaça, nem na bola parada. Não dá pra ficar uma semana inteira apenas treinando e apresentar apenas isso que vimos hoje. É muito pouco, professor Levir.

Temos agora uma semana decisiva na Copa do Brasil e depois uma partida importantíssima contra a Ponte Preta, onde precisamos ter o fator campo que deu liga no caldeirão de Edson Passos.

Acreditamos que os clubes carioca precisam se unir. Não podem aceitar passivamente a alegação do GEPE de que, por conta as Olimpíadas, não haverá contingente policial suficiente para garantir as partidas do campeonato brasileiro que estão previstas para a cidade do Rio de Janeiro.

O poder público precisa dar uma solução pra isso, pois os clubes fizeram investimentos em estádios de terceiros para mandar seus jogos, e há também um custo adicional de logística envolvido em qualquer partida fora da cidade do RJ. Por que não trazer batalhões de polícia de cidades vizinhas para a segurança destes jogos?

E se não houver jeito, então que a CBF adie as partidas, como fez em 2007 quando o Flamengo solicitou, pois naquela época o Maracanã e o Engenhão estavam sendo usados nos Jogos Pan-americanos.

#Fluminense114Anos

114anos

O século anterior terminou com a torcida tricolor entristecida. Humilhada, ultrajada, vendo seu clube – por sinal o maior campeão daquele período, no Rio – longe de suas tradições de glórias e vitórias mil.

Foi quando vários tricolores concluíram que apenas torcer não era suficiente. O Fluminense precisava de ajuda. O Fluminense precisava afastar os que o desviaram de sua trilha tradicional de pioneirismo e títulos. Foi quando nasceu a Flusócio. Foi quando ela deixou a arquibancada para se enfronhar no dia a dia de seu clube. Depois veio a campanha pela cidadania tricolor e luta pela aprovação do sócio-futebol com direito a voto.

Pronto. A torcida estava dentro do clube. E com a torcida no comando, o Fluminense não voltará a fugir de sua trilha gloriosa.

Hoje o Fluminense tem Xerém revitalizado e bombando, uma sala de troféus digna de nossa história, finanças equacionadas e um clube na Europa. Um futuro promissor.

Nasceu mais um dia 21 de julho, mas para o Fluminense os dias nunca são iguais. O Fluminense tem o dom de se renovar, de ser sempre pioneiro. E o dia nasce com o Fluminense mais forte. O Fluminense completa 114 anos e tem como presente o melhor Centro de Treinamento do Brasil.

Parabéns Fluminense! Que venham mais 114 anos e muitos, muitos outros, de muitas glórias. E que o final do século anterior seja apenas um vestígio dissonante de nossa história.

Flu Fest: chamada final

flu-fest

No próximo sábado, 23 de julho, vai ser realizada a segunda edição da Flu Fest. O Fluminense já divulgou a programação de todo o evento e até amanhã, dia 21, ainda dá tempo de você participar. Basta colaborar em http://www.flufest.com.br. Por agora, divulgamos o roteiro do dia, segundo informações do próprio Fluminense.

9h às 21h – Entrega de todas as recompensas do crowdfunding logo na entrada do clube para quem colaborou com R$ 80 ou mais.

8h30 às 10h30 – Café da manhã, com valor à parte, no Guerreiros Sports Bar com a presença de ídolos do Fluminense.

A partir de 10h30 – Começo do último treino do futebol profissional do Fluminense antes de viajar para Curitiba para o jogo contra o Atlético-PR. O acesso à arquibancada social do clube será liberado para quem colaborou com R$ 80 ou mais no crowdfunding.

10h às 15h – Possibilidade de doação de recursos para o Centro de Treinamento do Fluminense. Quem doar R$ 200 ou mais poderá ganhar uma camisa do Flu fabricada pela Adidas, modelo 2016, com o tamanho que escolher.

10h às 17h – Sala de Troféus aberta para todos que colaboraram com R$ 80 ou mais no crowdfunding, com direito a assistir à exposição temporária sobre a conquista da Copa da Primeira Liga.

10h às 13h – Atividades lúdicas no Parquinho Infantil para crianças de até 12 anos, com recreação, futebol com atletas de Xerém e distribuição de guloseimas. Entrada gratuita dos filhos ou netos de quem contribuiu com R$ 80 ou mais no crowdfunding.

13h às 15h – Talk-shows temáticos na Sala de Troféus com personalidades tricolores que fizeram parte da obra “O Fluminense somos todos nós”. A entrada será permitida para quem colaborou com R$ 80 ou mais no crowdfunding.

15h30 às 17h – Jogo comemorativo no campo das Laranjeiras reunindo ex-jogadores, artistas tricolores e membros da comissão técnica do futebol do Fluminense. O acesso à arquibancada social será liberado para quem colaborou com R$ 80 ou mais no crowdfunding.

17h30 às 19h30 – Lançamento do livro “O Fluminense somos todos nós” no Guerreiros Sports Bar com a presença dos autores Heitor D’Alincourt, Dhaniel Cohen e Carlos Santoro para autógrafos, além de ex-jogadores e artistas que participaram da obra.

19h45 às 20h45 – Show da banda “Nelson & Os Rodrigues”, com somente canções sobre o Fluminense, no Guerreiros Sports Bar com entrada liberada para quem colaborou com R$ 80 ou mais no crowdfunding.

21h – Abertura do Salão Nobre para o início da festa de aniversário de 114 anos do Fluminense Football Club. O evento vai contar com o show da banda Blitz do tricolor Evandro Mesquita, o DJ Janot, além de outras atrações. Comida e bebida serão liberados. O espaço será aberto só para quem contribuiu com R$ 200 ou mais no crowdfunding.

Observação: Alguns horários e detalhes da programação estão sujeitos a alterações, assim como pode haver alguns acréscimos e surpresas durante o dia do evento.

A Flusócio estará presente no evento com mais de 50 integrantes.

1 2 3 169