Vôlei feminino: o campeão voltou

Volei

Ontem foi daqueles dias, daquelas noites, em que se comprova: vale a pena sonhar quando se veste a camisa tricolor. Depois de doze anos de supremacia da equipe do Rexona no cenário carioca do vôlei feminino, o Fluminense desbancou uma série de títulos da equipe comandada pelo técnico Bernardinho, multi-campeão e medalhista olímpico, pelo placar de três sets a dois com parciais de 25/23, 13/25, 21/25, 25/20 e 16/14.

Essa espetacular conquista da equipe liderada pela ponteira Sassá é a prova dos frutos de um trabalho sério desenvolvido pelo Fluminense na parte financeira. Com finanças equilibradas e trabalho de profissionais competentes como o técnico Hylmer Dias, o peso da camisa do Fluminense chama os títulos. Importante lembrar: sem as certidões negativas de débitos (CNDs) conseguidas com esforço pela administração Peter Siemsen, conquistas como a de ontem seriam impossíveis. São as CNDs que permitirão a captação de recursos incentivados para o desenvolvimento de times de alto rendimento nos esportes olímpicos, dando suporte financeiro a estas equipes.

O comprometimento do Vice Presidente de Esportes Olímpicos Marcio Trindade na montagem da equipe que irá disputar a Superliga, com muitas pratas da casa, foi decisivo para a formação de um time comprometido com as tradições tricolores. Com baixos custos, captação externa de recursos públicos e muito trabalho chegamos ao lugar mais alto do pódio.

Um parágrafo especial deve ser feito. O papel da torcida do Fluminense ontem foi simplesmente digno de nota. Não havia um único tricolor em silêncio ontem na noite no ginásio do Tijuca Tênis Clube. Os tricolores presentes nas arquibancadas levaram no colo as jogadoras tricolores em quadra. Quando toda essa sinergia encaixa todos nós sabemos que nada, nem ninguém, segura o Fluminense.

Esse time não vem para uma mera participação na Superliga; o Fluminense vem para ser campeão e a força da torcida será determinante para lutarmos por mais esta taça. A nossa entrada na Superliga somente dignifica o voleibol brasileiro. É mais um clube de massa, com uma torcida gigantesca, que trará mais visibilidade ao esporte, audiência na TV e patrocínios para a competição.

O treinador Hylmer Dias comandou o elenco formado por: Ju Costa, Julia Moura, Juliana Odilon, Natasha Valente, Sassá, Bia Rezende, Edna Bugmann, Lara Nobre, Letícia Hage, Jordane Tolentino. Nathália Daneliczin, Priscila Heldes, Arianne Tolentino, Renata Colombo, Ju Perdigão e Kika Motta. Também participaram os integrantes da comissão técnica Guilherme Schmitz e Wallace Canedo – Assistentes, Júlio Pastore – Preparador Físico, Marcos Serquiz – Fisioterapeuta, André Torres – Supervisor. E os diretores Francisco Alegria e Fernando Torres.

Confira aqui mais detalhes da grande vitória de nossas guerreiras, a 25a. do Fluminense no campeonato carioca de vôlei feminino adulto. Parabéns a todos os envolvidos!

Xerém: cuidar, proteger e ampliar

Xerem 2016

No final de novembro/2016, os sócios do Fluminense terão a oportunidade de eleger o novo presidente do clube. Na ocasião, uma nova modalidade de sócios, denominado sócio-futebol , também poderá exercer seu direito a voto, o que é considerado um dos maiores legados deixados pelo presidente Peter no intuito de democratizar o clube e dar ao seu maior ativo, o torcedor tricolor, a chance de escolher o destino da sua paixão.

Muita coisa foi feita durante os 06 anos de gestão Peter Siemsen; nos atentaremos nesse post a tratar sobre as divisões de base do Fluminense, posteriormente em vários posts específicos iremos detalhar cada ação, cada conquista, os outros grandes legados e a responsabilidade do próximo presidente em dar continuidade aos projetos em andamento.

Muita gente lembra como a atual gestão encontrou as divisões de base do clube: era o Carandiru, apelido dado pelos próprios jogadores que moravam no alojamento, 18 meses de atraso na bolsa dos atletas, graves distorções salariais (um massagista ganhava mais que o fisiologista), ausência de um setor de captação de atletas, jogadores sem vínculo com clube morando no alojamento. Tudo foi reformado no Centro de Treinamento Vale das Laranjeiras (CTVL), alojamento jogado abaixo, novos quartos e banheiros, ar condicionado, TV de tela plana, reforma de todos os campos que encontravam-se em péssimo estado de conservação, construção de um campo de grama sintética, fundamental para o treinamento da base, reforma do refeitório, reforma da sala de musculação, com novos aparelhos e climatizada, investimento na qualificação dos profissionais, nova política salarial, criação de um departamento de observação técnica com profissionais espalhados por todo país, parceria com Michael Johnson Performance (MJP) em um projeto pioneiro de formação de atletas de alto rendimento, inclusive com a presença de um profissional americano baseado em Xerém para coordenar e implementar essa tecnologia de trabalho.

Foi criado o Projeto Guerreirinhos com escolinhas em todo Brasil e até no exterior, seguindo a mesma metodologia empregada nas equipes de base do clube, intercâmbio dos treinadores das escolinhas com Xerém, disputa de torneios entre as escolinhas com acompanhamento dos profissionais de captação do Fluminense. Hoje o projeto conta com 38 unidades no Estado do Rio, 12 em outas cidades do Brasil e 02 no exterior (Orlando-EUA e Santiago- Chile).

Integração total com o futsal, importante pólo de fornecimento de jogadores para o campo, com treinamento dos profissionais e atendimento à metodologia empregada nas divisões de base do FFC.

Criação do Projeto “Fluminense na Comunidade” aproximando mais o clube com as comunidades carentes do Rio de Janeiro, além de dar oportunidade a vários meninos de jogarem na melhor base do Rio de Janeiro.

Foi dado início o projeto de internacionalização do clube comando por Marcelo Teixeira, reconhecido como um dos maiores gestores de divisão de base do Brasil, com experiência de 5 anos no Manchester United no currículo. Houve a participação da base do Fluminense em inúmeros torneios internacionais, ganhando vários títulos. Também vale citar a parceria inédita de um clube de futebol com Michael Johnson Performance, o intercâmbio técnicos dos profissionais com equipes do exterior, a parceria com o clube eslovaco STK Samorin o que permite estabelecer uma filial tricolor na Europa, contribuindo para o desenvolvimento, atração e retenção dos jogadores tricolores, além da exposição internacional.

Apesar da prioridade ser a formação de atletas não podemos também esquecer dos inúmeros títulos conquistados nesse período, com destaque para o Mundial do Catar Sub 18 em 2013 e o Campeonato Brasileiro Sub 20 em 2015.

E o que seria do clube após o fim da parceria com a Unimed se não fosse os jogadores revelados em Xerém ? Vendas milionárias viabilizaram o futebol profissional, como é o caso do meia Gérson, a maior negociação da história do Flu. Além do retorno financeiro, tivemos também a afirmação de vários garotos como Gustavo Scarpa, um jovem trazido por Marcelo Teixeira do Desportivo Brasil, e que foi um dos maiores responsáveis pelo título da Primeira Liga e destaque no brasileiro deste ano.

Enfim, o clube mudou muito de patamar no quesito divisões de base, é claro que muitos frutos só serão colhidos no futuro, pois futebol de base é um trabalho com resultados de médio/longo prazo. Mas o importante é que muitos projetos não sejam descontinuados, como o projeto Fluminense STK Samorin, que está no início e precisa continuar ser bem gerenciado e monitorado.

O candidato Pedro Abad já registrou publicamente em entrevistas que pretende manter o trabalho iniciado e conduzido pelo Presidente Peter Siemsen nas divisões de base do Flu, mantendo todos os projetos em andamento e também os recursos responsáveis pela execução dos mesmos, especialmente o gestor Marcelo Teixeira, além de ampliar os investimentos na formação de base.

Avançar sempre, retroceder jamais!

Carta aberta de Pedro Abad ao sócio do Flu

Abad1

Na data de ontem foi lançada a minha candidatura à presidência do Fluminense. Um evento no Bar dos Guerreiros, que contou com a presença de diversas correntes políticas do Fluminense, e na qual tive a honra de receber apoio público e formal do Presidente Peter Siemsen, o maior avalista que alguém poderia ter.

Peter é um dos maiores presidentes da história do Fluminense, e o legado que ele deixa para o clube, pela grandeza da recuperação promovida, nos permitirá senti-lo décadas à frente.

Sou muito feliz por ter participado, desde os momentos iniciais, de toda a luta do Presidente para tornar o Fluminense administrável e, ao mesmo tempo, campeão brasileiro, carioca e da Primeira Liga. Nesse esforço o Presidente contou com o apoio fundamental de pessoas de vários grupos políticos do clube, sem as quais dificilmente o Fluminense conseguiria se manter sustentável pelas próprias pernas – e cuja maior prova de fogo se deu com a abrupta interrupção do patrocínio do futebol ao final de 2014.

Esses seis anos de gestão Peter Siemsen mostram o caminho certo: união. E é por isso que, como depositário da confiança do Presidente em continuar seu legado, pretendo manter a mesma linha de coesão e de união dos grupos que pretendem ver o Fluminense cada vez mais profissional, mais vencedor e maior como clube, como torcida e como instituição no cenário desportivo mundial.

Assim, tendo em vista as metas de ser campeão no futebol e em outras modalidades esportivas, sem perder as linhas mestras de governança que permitirão ao Fluminense se estruturar e profissionalizar cada vez mais, conclamo a todos os tricolores a abraçarem a continuidade da gestão. Se o Presidente, maior preocupado com seu legado e maior conhecedor do problemas do Fluminense, reconhece e me outorga a importante tarefa de manter os rumos de crescimento do clube, só me resta endossar a necessidade de todos nos unirmos em prol de uma administração coesa, plural e reta.

Não sou o candidato de um grupo apenas, sou o candidato de todos os grupos que pretendem seguir as linhas-mestras do que deu certo e corrigir o que for necessário. Sozinho não se vai a lugar nenhum; o debate e a troca de ideias é que levaram o Fluminense ao patamar atual e ao incrível grid de crescimento e melhora de perfil administrativo, com rendimentos em campo.

Se você endossa o que o Presidente Peter fez ao longo desses seis anos, vem comigo. Darei continuidade aos avanços que a gestão dele proporcionou, tais como a modernização de Xerém, o Flu Europa, o Centro de Treinamentos e a rotina de austeridade financeira. Além disso, ampliarei todos os esforços para executar o que ainda precisa ser feito para colocar o Fluminense no patamar de excelência administrativa e esportiva que merece, como o sonho do estádio próprio.

#AbadPresidente
#JuntosSomosFortes

Candidatura Pedro Abad, lançamento oficial

Abad Presidente

Na parte esportiva, o último fim-de-semana foi glorioso para o Fluminense, com uma grande vitória contra o Corinthians e a aproximação da vaga na Libertadores, faltando ainda 11 rodadas para o fim do campeonato.

Na parte política e social, o último sábado também foi sens2016 Churrascoacional, pois houve a demonstração de uma Flusócio mobilizada e unida, num churrasco que chegou a ter, no pico, cerca de 100 sócios presentes e ainda muita gente nova aderindo à candidatura após conversar com o candidato e apoiadores. Importante frisar que o churrasco era pago.

2016 Peter e Abad

Nesta terça 27/09, às 19h, teremos o lançamento oficial da candidatura Pedro Abad no Bar dos Guerreiros, na sede de Laranjeiras. A campanha entra na reta final, faltando menos de 2 meses para as eleições, e alguns apoios muito importantes começam a se tornar públicos, como o Presidente Peter Siemsen, fato que muito nos orgulha.

Convidamos os sócios do Fluminense a comparecerem ao evento de amanhã, numa união em prol do que vem fazendo o clube avançar. Entrada gratuita. É uma boa oportunidade para conhecer as ideias do candidato, colocar suas opiniões e confraternizar com os sócios que já são apoiadores. Esperamos vocês!

Vitória para lavar a alma!

Cor0x1Flu

Numa atuação muito guerreira, com o time inteiro muito ligado no jogo, o Flu conseguiu superar o Corinthians dentro da arena deles e entrou de vez na briga pelo G4. O Tricolor agora está em 5o lugar, a apenas dois pontos do Santos.

O gol de Cícero, aos 48 minutos do segundo tempo, decretou uma derrota com requintes de crueldade para o time que mais representa o festival de favorecimentos escancarados hoje existentes por parte da comissão de arbitragem da CBF, presidida por Sérgio Correa. Foi algo para lavar a alma de todo tricolor após aquela vergonha que vimos na partida decisiva da Copa do Brasil, no meio da semana.

Sobre o time, uma reflexão: se não chega a ser brilhante, o Flu de Levir Culpi tem sido aguerrido e bastante organizado na parte defensiva, isso é inegável. O time cresceu na hora certa, funcionando com um ataque mais leve, e conseguiu expressivas vitórias fora de casa contra Grêmio e Corinthians.

Mesmo num ano nômade sem o Maracanã, e investindo milhões na grande entrega que representa o Centro de Treinamento, o Flu chega à fase aguda da competição com chances reais de disputar vaga na Libertadores.

Para quem ainda não vislumbra o G4, vale uma retrospectiva rápida da competição: conseguimos duas vitórias contra o Corinthians, além das grandes jornadas contra Grêmio, Flamengo, Cruzeiro e Atlético-MG. A oscilação também existe nos nossos adversários, por isso é preciso acreditar sempre.

Nosso repúdio ao comentarista do Sportv que teve a “cara de pau” de enxergar um impedimento milimétrico da cabeça do Gum no lance decisivo do jogo, classificando a vitória do Flu como “fruto de um gol irregular”. Convenientemente, se esqueceu de citar o escandaloso penalti não marcado no atacante Marcos Junior, ainda na primeira etapa. O Sr Ivan Andrade simboliza a hipocrisia de parte da imprensa atual, que oferece ajuda indireta aos times “preferidos” comercialmente.

Finalizamos chamando a atenção para a comemoração efusiva dos nossos jogadores, liberando todo o sentimento de raiva pela vergonha que foi a arbitragem da última quarta-feira. Convidamos também nosso torcedor a ouvir as entrevistas coletivas de Levir Culpi e Cícero após o jogo, pois ambos fizeram uma defesa aguerrida do Fluminense após perguntas de alguns bairristas. #TimeDeGuerreiros

1 2 3 176