Cadê os reforços?

Jogadores

Estamos a 5 dias da estreia em um campeonato brasileiro delicadíssimo para o Fluminense. Aos olhos externos, não importa a lambança que o Flamengo protagonizou ao escalar o André Santos irregularmente, nem soa estranho a Portuguesa repetir o erro menos de 24 horas depois. O regulamento cumprido, retirando pontos de quem escalou jogadores que não podia, não importa. O que brilha e chama a atenção de todos os abutres da imprensa e rivais é o fato do Fluminense, que manteve sua pontuação e não brigou por nada na Justiça, ter escapado da série B em 2014.

Dito isto, é importante a reflexão: se fomos tão mal em campo, é natural que os reforços sejam a prioridade, certo? Na prática, a realidade é bem diferente: à exceção de Conca e Walter, duas grandes aquisições para reforçar nosso poderio no ataque, a retaguarda e o meio campo não receberam novas peças. Resumindo: vamos começar um torneio em que TODOS querem a caveira do Fluminense com a mesma base que sofreu por longos meses no brasileirão do ano passado.

O contestado Edinho saiu e o sistema defensivo segue muito vazado, o terceiro homem do meio-campo é uma incógnita e o atacante de velocidade, fundamental para fazer o Fred funcionar bem e com tranquilidade, ainda não foi encontrado.

A janela internacional se fechou, a Unimed já declarou que bateu no teto dos investimentos, então é hora do clube usar criatividade e ousadia para tentar se reforçar. O mercado interno, mesmo inflacionado e competitivo, ainda oferece opções que possam tornar o elenco mais robusto e o time mais dinâmico. Temos nove jogos duríssimos antes da pausa para a Copa do Mundo e não podemos nos dar ao luxo de esperar a volta da janela internacional para trazer novos atletas.

Nada acontece por acaso

calado

“Vejo com naturalidade as críticas, pois são torcedores. O torcedor tem uma reação mais apaixonada. Quem tem a responsabilidade não pode fazer. O torcedor muda muito de opinião, não posso transferir esse sentimento para a comunicação. Não posso fazer isso para ser desleal com quem usa a comunicação como fonte. O que ela critica é que ela quer que os canais sejam de comunicação do torcedor, e não do clube. Se for assim, tem que ser outro o viés, realmente. Mas assim não estaria comunicando. Não pode entregar a linha de comunicação à paixão da torcida”, ponderou Vasconcellos.”

As aspas acima saíram semana passada no site UOL, em matéria entitulada “Saiba a tática do Flu para evitar ser o ‘inimigo nº1 do futebol brasileiro”.

Se a Comunicação Institucional não pode funcionar como porta-voz da paixão de sua torcida e principal canal de defesa institucional do Fluminense, quem o fará? A redação de O Globo? A ESPN Brasil?

A Comunicação do Fluminense não é editoria de esportes, não é redação de jornal. É um mecanismo que existe para servir ao Fluminense, informar o seu torcedor, engajá-lo em programas institucionais e colocar a visão dos fatos do ponto de vista do Clube.

Quem não entende isso não pode trabalhar nesta área tão sensível, muito menos liderar o setor e definir sua estratégia.

Presidente Peter, até quando?

Decisão amanhã em Laranjeiras

Flu x NI

Amanhã, às 15 h, o time de juniores do Fluminense decide a Taça Guanabara contra o Nova Iguaçu, no estádio das Laranjeiras.

Com a vitória por 2×0 obtida no primeiro jogo, fora de casa, o tricolor pode até perder por um gol de diferença para se tornar campeão e dar um passo importante para conquista do tricampeonato estadual.

O Fluminense joga desfalcado do volante Marlon Freitas e do atacante Denilson que viajaram para os E.U.A para jogar o torneio Dallas Cup, mas contará com alguns atletas que já treinam no time profissional, tais como: goleiro Marcos, zagueiro Marlon, meia Gustavo Scarpa, atacante Kenedy.

Compareça torcida tricolor!

Zebra chutada para além do horizonte

fred_conca_fluminense_horizonte_nelsonperez

O adversário era frágil, é verdade, mas o Fluminense teve gana e volume de jogo como há muito não se via na primeira etapa. Jogando com muita intensidade e marcando no campo adversário, o Flu não deu qualquer chances ao adversário e abriu 3×0 na primeira etapa, com gols de Conca, Gum e Sóbis, praticamente definindo a classificação.

Ainda é cedo pra falar, mas a postura da equipe foi outra em relação à época de Renato Gaúcho. Na segunda etapa, o jogo foi mais morno, com o Fluminense apenas controlando a partida. Mesmo assim Wagner marcou um golaço, fazendo 4×0. O nível de atuação piorou em seguida com as entradas de Chiquinho no lugar de Carlinhos, que fez excelente partida, e com a entrada de Walter no lugar de Sóbis, outro que foi bem na movimentação, apesar de algumas boas chances desperdiçadas.

Num jogo fácil, onde quase toda a linha ofensiva marcou, faltava o gol do artilheiro, que fazia uma partida ruim, sem alegria, visivelmente chateado com alguns torcedores que alimentam a infeliz ideia de perseguir e vaiar o camisa 9 da seleção brasileira, alguém que tem dois títulos nacionais pelo Fluminense e 118 gols com a nossa camisa. E mesmo não sendo tão decisivo como em outros tempos, o artilheiro marcou em 5 das últimas 6 partidas do Fluminense.

Quis o destino que ao final do jogo uma bola vadia caísse nos pés dele, para que pudesse marcar e sair por cima, nos braços da galera, com reverência recíproca em relação ao torcedor que há 5 anos se acostumou em ver os seus gols.

Fred precisa ser cobrado sim, mas com justiça e coerência, e não de forma sistemática por alguns grupos. Definitivamente não merece ser perseguido, pois é ídolo de toda uma geração de tricolores.

Quanto ao massagista do adversário, a surra de 5×0 ficou ainda mais gostosa após a camisa do rival que ele fez questão de exibir na transmissão do Sportv, dentro de sua bolsa de trabalho. Para nosso regozijo, vai voltar ao Ceará tonto, com goleada humilhante e provavelmente sem emprego, pois o Horizonte não se garantiu nem na Série D de 2014. Durante o tempo desempregado recomendamos esfriar a cabeça assistindo alguns clássicos do cinema, como O Rei Leão.

Classificação é obrigação

Dálhe Flu!

Além do Horizonte, existe um lugar… bonito e tranquilo…

É tricolores. Parece que Roberto Carlos escreveu essa música exatamente pensando no Flu. Vivemos um momento de pesadelo. Dentro e fora de campo, as coisas estão longe daquilo que queremos para o Fluminense.

E é nesse ambiente conturbado que iremos enfrentar o pequeno time cearense para evitar mais um vexame nessa sequência de terror que estamos vivendo desde o inesquecível título de 2012.

É a estréia de Cristóvão. Um sujeito com raízes tricolores que pode trazer um espírito bem diferente daquele de Renato Gaucho, que não agradou a ninguém. Se hoje está difícil ver algo para nos deixar otimistas, vale fazer a nossa parte.

Afinal, além do Horizonte, existe um campeonato brasileiro que promete ser duríssimo para nós. E, se formos além do Horizonte, que não é nada além do que nossa obrigação, pode existir um lugar bonito e tranquilo pra gente sonhar com um bi na Copa do Brasil ou com um Penta Brasileiro.

A diretoria informou uma super-promoção para esta partida: ingressos no setor Sul custam apenas R$10,00. Os sócios que possuem o Pacote Futebol terão 100% de desconto neste setor. Já o Sócio-Futebol terá um desconto de 50% no mesmo setor. Os benefícios valem somente para os que estão com a mensalidade em dia e a compra deve ser feita pelo Portal do Sócio. Para mais informações sobre a venda antecipada, clique aqui.

1 2 3 56