Bar dos Guerreiros mal na fita

Bar dos Guerreiros

Nós sempre apoiamos a decisão de ter um espaço que trouxesse a torcida para dentro do Clube, pois essa é e sempre será uma de nossa premissas. A ideia de ter uma espécie de pub inglês, onde os sócios pudessem torcer pelo Flu nas partidas fora de casa, sempre agradou a todos pois representa um atrativo a mais para o torcedor entrar como associado do Clube. Porém desde a sua inauguração em 2012, o Bar dos Guerreiros é motivo constante de reclamação para os sócios e torcedores que o frequentam.

O espaço é operado pela AMBEV, e diante das reclamações generalizadas, já houve até mudança de concessionário, mas não adiantou. O espaço também já esteve fechado para obras, já foi tema de inúmeras discussões, mas a verdade é que até hoje não se sabe ao certo qual clientela o bar quer satisfazer: público de almoço, público de happy hour, ou ambos? Não existe uma linha bem definida e hoje o espaço acaba não atendendo bem a nenhum destes públicos.

Após a reabertura a impressão que se tem é que as mudanças foram para pior e que perdeu-se totalmente o foco do que seja um bar temático. O atendimento é quase sempre precário, com uma demora absurda na entrega dos pedidos. Na hora do almoço, a comida à peso foi abolida e as refeições, por mais simples que sejam, agora custam mais caro. Isso somado ao atendimento ruim é a senha para o fracasso.

Foi inadmissível o bar estar fechado durante boa parte da Copa do Mundo, onde recebemos dezenas de visitas de estrangeiros de todo o mundo. Na noite de aniversário do Clube (21 de julho) o problema se repetiu, mesmo com o Clube cheio e sessão solene do Conselho Deliberativo.

No jogo Criciúma 3 x 2 Fluminense, após mais de 40 dias de paralisação do campeonato brasileiro, os torcedores presentes no local presenciaram situações inadmissíveis tais como a chopeira quebrada e o término de promoções que atraiam o público ao quase sempre vazio Bar dos Guerreiros. Se o maior movimento do bar é para os jogos do Fluminense , como pode o espaço não estar preparado para tal?

Ficamos esperando por ações que tragam o torcedor para dentro do bar e o que acontece? As ações são contrarias, afastam o sócio, decepcionam o torcedor.

Precisamos de uma maior atenção da AMBEV com o bar. De um tratamento condizente com o torcedor e associado tricolor. Precisamos de um concessionário que realmente queira fazer o bar decolar. Temos um espaço ótimo para tal, mas não vemos vontade alguma da AMBEV.

Esperamos que atitudes sejam tomadas e que o Bar dos Guerreiros seja o espaço que todos nós sempre sonhamos que ele fosse.

Seleção Sub-20 tem quatro do Flu

CamisaCBF

O técnico Alexandre Gallo convocou nesta terça-feira (ontem) 22 jogadores para a disputa do Torneio Internacional de COTIF, em Valencia, na Espanha.

O campeonato sub-20 ocorrerá entre os dias 10 e 20 de agosto. A apresentação da delegação será no dia 4 de agosto. O time fica até o dia 8 no centro de Treinamento da CBF e viaja dia 8 para a Europa.

Goleiros
Georgemy (Cruzeiro)
Marcos Felipe (Fluminense)

Zagueiros
Igor Rabello (Botafogo)
Eduardo (Internacional)
Lucão (São Paulo)
Marlon (Fluminense)

Laterais
Auro (São Paulo)
Lorran (Vasco)
Pará (Bahia)
William (Internacional)

Meias
Boschilia (São Paulo)
Danilo (Braga-POR)
João Afonso (Internacional)
Eduardo Henrique (Atlético-MG)
Matheus Biteco (Grêmio)
Nathan (Atlético-PR)

Atacantes
Gabriel (Santos)
Gerson (Fluminense)
Kenedy (Fluminense)
Mosquito (Atlético-PR)
Thalles (Vasco)
Yuri Mamute (Botafogo)

Parabenizamos a gestão do CTVL pelo excelente trabalho, e torcemos para que estas promessas dêem bastante retorno técnico e financeiro ao Fluminense FC nos profissionais.

Valeu, Exeter!

Exeter

O domingo passado terminou festivo com a importante vitória sobre o Santos, mas logo pela manhã a festa já acontecia em Laranjeiras.

Relembrando os 100 anos do jogo inicial do Brasil, o mesmo time inglês daquela partida foi convidado para enfrentar o Fluminense no estádio das Laranjeiras. O Tricolor acabou utilizando uma mescla de time sub-23 e alguns reservas por conta da rodada do campeonato brasileiro marcada para o mesmo dia. O resultado (0 x 0) era o que menos importava nesta data festiva.

Infelizmente, a partida perdeu parte do brilho por conta da péssima imagem final da seleção brasileira na Copa do Mundo 2014, e o evento tampouco mereceu grande divulgação por parte do clube, uma pena. Outro ponto a se lamentar foi a Fluboutique fechar as portas em seu horário normal, enquanto ainda haviam muito ingleses dentro da sede.

Por outro lado, há de se exaltar a grande presença de torcedores ingleses, que vieram acompanhar a equipe, visitaram (e se maravilharam com) a sala de troféus, almoçaram e circularam pelo clube e depois ainda partiram em quatro ônibus para acompanhar o jogo tricolor em Volta Redonda.

Foi gratificante também ver muitos torcedores do Exeter City tornando-se sócios do Fluminense e também comprando a versão em inglês do livro “Nós Somos a História”.

Parabéns sempre, Flu!

1902-B-verso

Hoje completam-se 112 anos da maior instituição esportiva do Brasil.

Quando Oscar Cox teve a melhor ideia de todos os tempos e fundou ao lado de amigos o Fluminense Football Club, mal sabia a dimensão que sua “criatura” ganharia com os passar das décadas. Participação decisiva na história da Seleção Brasileira de futebol, no desenvolvimento da cultura da cidade, na expansão dos esportes olímpicos e, claro, na geração constante de brilhante fatos ligados ao futebol são apenas alguns dos ingredientes desta saga gloriosa.

Quem merece capítulo especial, esta sim, é a nossa torcida espalhada por todo o mundo e muitas vezes vilipendiada por setores irresponsáveis da mídia, mas sempre presente, sempre fiel, sempre guerreira. 21 de julho é dia de tirar as cores tricolores da gaveta e colorir o dia com uniformes, bandeiras, flâmulas e quaisquer outros itens que já fazem parte do cotidiano tricolor e hoje em especial merecem ser mostrados ao mundo como reverência.

São inúmeras conquistas nesses 112 anos, passando pelos 31 títulos estaduais, 4 títulos brasileiros e o mundial conquistados brilhantemente pelo futebol, a taça olímpica concedida pelo COI em 1949, e a cidadania tricolor, conquistada na última gestão, com a aprovação do voto ao sócio torcedor (sócio-futebol), porém temos muitos desafios pela frente para a construção de um novo futuro.

Não nos cabe aqui relembrar todos os feitos e detalhes, mas o site oficial tem algumas curiosidades interessantes sobre detalhes da fundação, acesse e confira.

Parabéns pelos 112 anos, Fluminense! Rumo à eternidade!

Pulando para 3º

image

O Flu conquistou três pontos importantes, ultrapassou o Santos e outros rivais e pulou para a 3ª colocação do campeonato.

Antes de comentar sobre nosso time, vale ressaltar mais um erro criminoso de arbitragem, o segundo consecutivo, contra o Fluminense. Um lance com três desdobramentos, em que não houve irregularidade alguma, levou Leandro Vuaden a anular um gol legal. O goleiro Aranha, tal qual o péssimo ator Paulo Baier, ainda teve a coragem de cair com as mãos no rosto alegando uma contusão após a conclusão de Cícero. O clube fez representação na CBF na quarta-feira, e esperamos que repita o expediente e aumente o tom contra os erros. Não é admissível os árbitros tentarem copiar a Copa do Mundo em vários aspectos e errar clamorosamente deste jeito.

Vamos ao time: Sóbis e Walter mais uma vez irreconhecíveis, com erros técnicos e de posicionamento tão claros que até mesmo a entrada de Samuel e Kenedy, que não são os reservas imediatos, fez o time melhorar sua produção ofensiva. Gum e Henrique foram bem na zaga e Chiquinho cumpriu bem o papel improvisado no lugar do Carlinhos.

Sofremos, vencemos apenas por 1×0 com um golaço de Conca, mas felizmente demos um salto importante na briga pelo topo da tabela. Agora temos uma semana de descanso e treinos, para tentar recuperar a pegada e o volume de jogo presentes no início do campeonato, e que parecem ter sumido nos últimos 5 jogos.

1 2 3 72