Xerém: cuidar, proteger e ampliar

Xerem 2016

No final de novembro/2016, os sócios do Fluminense terão a oportunidade de eleger o novo presidente do clube. Na ocasião, uma nova modalidade de sócios, denominado sócio-futebol , também poderá exercer seu direito a voto, o que é considerado um dos maiores legados deixados pelo presidente Peter no intuito de democratizar o clube e dar ao seu maior ativo, o torcedor tricolor, a chance de escolher o destino da sua paixão.

Muita coisa foi feita durante os 06 anos de gestão Peter Siemsen; nos atentaremos nesse post a tratar sobre as divisões de base do Fluminense, posteriormente em vários posts específicos iremos detalhar cada ação, cada conquista, os outros grandes legados e a responsabilidade do próximo presidente em dar continuidade aos projetos em andamento.

Muita gente lembra como a atual gestão encontrou as divisões de base do clube: era o Carandiru, apelido dado pelos próprios jogadores que moravam no alojamento, 18 meses de atraso na bolsa dos atletas, graves distorções salariais (um massagista ganhava mais que o fisiologista), ausência de um setor de captação de atletas, jogadores sem vínculo com clube morando no alojamento. Tudo foi reformado no Centro de Treinamento Vale das Laranjeiras (CTVL), alojamento jogado abaixo, novos quartos e banheiros, ar condicionado, TV de tela plana, reforma de todos os campos que encontravam-se em péssimo estado de conservação, construção de um campo de grama sintética, fundamental para o treinamento da base, reforma do refeitório, reforma da sala de musculação, com novos aparelhos e climatizada, investimento na qualificação dos profissionais, nova política salarial, criação de um departamento de observação técnica com profissionais espalhados por todo país, parceria com Michael Johnson Performance (MJP) em um projeto pioneiro de formação de atletas de alto rendimento, inclusive com a presença de um profissional americano baseado em Xerém para coordenar e implementar essa tecnologia de trabalho.

Foi criado o Projeto Guerreirinhos com escolinhas em todo Brasil e até no exterior, seguindo a mesma metodologia empregada nas equipes de base do clube, intercâmbio dos treinadores das escolinhas com Xerém, disputa de torneios entre as escolinhas com acompanhamento dos profissionais de captação do Fluminense. Hoje o projeto conta com 38 unidades no Estado do Rio, 12 em outas cidades do Brasil e 02 no exterior (Orlando-EUA e Santiago- Chile).

Integração total com o futsal, importante pólo de fornecimento de jogadores para o campo, com treinamento dos profissionais e atendimento à metodologia empregada nas divisões de base do FFC.

Criação do Projeto “Fluminense na Comunidade” aproximando mais o clube com as comunidades carentes do Rio de Janeiro, além de dar oportunidade a vários meninos de jogarem na melhor base do Rio de Janeiro.

Foi dado início o projeto de internacionalização do clube comando por Marcelo Teixeira, reconhecido como um dos maiores gestores de divisão de base do Brasil, com experiência de 5 anos no Manchester United no currículo. Houve a participação da base do Fluminense em inúmeros torneios internacionais, ganhando vários títulos. Também vale citar a parceria inédita de um clube de futebol com Michael Johnson Performance, o intercâmbio técnicos dos profissionais com equipes do exterior, a parceria com o clube eslovaco STK Samorin o que permite estabelecer uma filial tricolor na Europa, contribuindo para o desenvolvimento, atração e retenção dos jogadores tricolores, além da exposição internacional.

Apesar da prioridade ser a formação de atletas não podemos também esquecer dos inúmeros títulos conquistados nesse período, com destaque para o Mundial do Catar Sub 18 em 2013 e o Campeonato Brasileiro Sub 20 em 2015.

E o que seria do clube após o fim da parceria com a Unimed se não fosse os jogadores revelados em Xerém ? Vendas milionárias viabilizaram o futebol profissional, como é o caso do meia Gérson, a maior negociação da história do Flu. Além do retorno financeiro, tivemos também a afirmação de vários garotos como Gustavo Scarpa, um jovem trazido por Marcelo Teixeira do Desportivo Brasil, e que foi um dos maiores responsáveis pelo título da Primeira Liga e destaque no brasileiro deste ano.

Enfim, o clube mudou muito de patamar no quesito divisões de base, é claro que muitos frutos só serão colhidos no futuro, pois futebol de base é um trabalho com resultados de médio/longo prazo. Mas o importante é que muitos projetos não sejam descontinuados, como o projeto Fluminense STK Samorin, que está no início e precisa continuar ser bem gerenciado e monitorado.

O candidato Pedro Abad já registrou publicamente em entrevistas que pretende manter o trabalho iniciado e conduzido pelo Presidente Peter Siemsen nas divisões de base do Flu, mantendo todos os projetos em andamento e também os recursos responsáveis pela execução dos mesmos, especialmente o gestor Marcelo Teixeira, além de ampliar os investimentos na formação de base.

Avançar sempre, retroceder jamais!

39 Comentários em Xerém: cuidar, proteger e ampliar

  1. Danilo Soares Félix
    29 de setembro de 2016 at 10:26 (3 anos ago)

    Cabe a quem ama o Flu deve proteger e cuidar do trabalho de Xerém, que é nossa chave para equilibrar em competitividade e receita com os clubes queridinhos da mídia. Mas há oposicionistas que criticam o trabalho, gostam de brigar contra os fatos e os dados. Até aí tudo bem pois a democracia é uma bênção. Mas em encontros reservados tem dito a apoiadores que querem fazer mudança radical nas pessoas que comandam o CTVL, para enfiar aliados partidários. Sócio do Flu precisa estar atento.

  2. Fabio DB
    29 de setembro de 2016 at 10:40 (3 anos ago)

    O FFC é grande demais. Houve evolução evidente, mas há muito trabalho ainda a ser feito. Aliás, trabalho bacana e motivador de ajuste fino e racionalização cada vez maior do que se tem.

    Mas, enquanto isso, infelizmente os pensamentos pequenos e limitados ainda permanecem em certas cabeças. Pensamentos estilo século passado (ou retrasado).

    Imaginem que nesse momento, ainda tem gente que ao pensar sobre o futuro do FFC, não consegue raciocinar em nada mais criativo do que propor a troca do técnico Levir pelo Abel. Me desculpem, mas isso é medíocre demais.

    É uma mentalidade velha, ultrapassada. De incompetentes. De politicagem. Tratam o FFC como se fosse um clube de peladas da esquina, que tem um churrasqueira quebra galho e uma geladeira velha com cerveja.

    E o pior. Há alguns tricolores que se esforçam ao máximo para se juntar a essa palhaçada. Mas cobram cinicamente dos outros, uma gestão melhor que a da Toyota ou que a IBM. Certamente, esses não vão ao confessionário faz tempo. Não podem.

    ST

  3. Léo Jr.
    29 de setembro de 2016 at 11:13 (3 anos ago)

    As notícias são de que o terreno do estádio vai sair a custo zero para o FFC.
    “Bastaria” conseguir modificar o plano de ordenamento territorial do bairro. Procede isso?

    E se o dono do terreno topou essas condições, suponho que essa não seja uma tarefa tão simples.

    De todo modo, Peter, Pedro Antônio e cia tem muita moral e credibilidade para deixar a torcida tricolor confiante.

    ST

  4. Paulo Cavalheiro - Santos - SP
    29 de setembro de 2016 at 11:42 (3 anos ago)

    Eu mesmo de longe, tento acompanhar o trabalho do CTVL, que é excelente. Chego a companhar súmula, quando não encontro informações completas em sites sobre jogos do Sub 20 e 17.

    O que me deixa “indignado” são os inúmeros detrimentos de jovens potenciais do CTVL, quando o FFC vai ao mercado “empresarial” e trás, vários jogadores, velhos, ultrapassados, encostados em seus clubes, contratos longos e caros, etc. Analisar friamente nosso elenco atual, teremos custos e trabalho para melhorar a qualidade.

    Torço para que a Flusócio, faça este ajuste, que irá representar importante fonte de receita e grande redução de despesas.

    E parece que vai vingar o comitê de gerenciamento do futebol, tantas vezes solicitado neste espaço.

  5. Felipe Ramone
    29 de setembro de 2016 at 13:36 (3 anos ago)

    Acho fundamental, vital à esse pleito que TODOS candidatos apresentem o projeto e alguns “nomes” para a gestão do futebol profissional.

    Não é possível continuar formando equipes com “cavadinha” de jornalistas e empresários, interferências do patrocinador, “palpites” de presidente, vice e diretor, indicações de “peixada” dos técnicos ou de um scout incompetente que não analisa aspectos básicos com passe, cruzamento, visão de jogo e “trato” com a bola.

    A matemática é ciência exata, e não perdoa armotizar $100 em dividas + $200 patrocínio “pontual” e -$500 em contratações fracassadas (sem citar nomes).

    Vamos focar que eleições de clube “é projeto” e eleição para prefeitura “é obra”.

    Saudações.

  6. Marcos Rodrigues
    29 de setembro de 2016 at 13:47 (3 anos ago)

    Pessoal da Flusocio, gostaria de saber se o CT que tem o Hotel Telê Santana também continua nos planos para ser revitalizado, já que lá é um lugar Belíssimo e tem um lindo campo que pode ser usado pelas divisões de base. Lá é um espaço fantástico!!!

  7. Alexandre Said Delvaux
    29 de setembro de 2016 at 14:36 (3 anos ago)

    Boa pergunta!

  8. Fabio DB
    29 de setembro de 2016 at 15:56 (3 anos ago)

    O Comitê será um marco. O próximo passo é formalizá-lo: quem participará, como será a participação e e o processo de tomada de decisões (isso faz parte da “governança” já citada pelo Abad).

    Eu aposto muita grana $$ que, sendo o Comitê implantado em dezembro/janeiro, seremos candidatos imediatos ao brasileirão, Libertadores (quem sabe mundial) em 2017, pois teremos um time espetacular em pouco tempo.

    Esse tipo de comitê deve ser replicado para a base. Acredito que nossas equipes juniores estão bem abaixo do que poderiam ser (apesar do sucesso comparativo com o passado). Na verdade, deveríamos ter 11 craques jogando em cada time nosso. O que não ocorre.

    ST

  9. Sylvio Montenegro
    29 de setembro de 2016 at 15:56 (3 anos ago)

    Léo, pelo que entendi o terreno é da prefeitura, assim como o do CT. A prefeitura libera a construção do estádio, alterando o plano de ordenamento territorial, desde que o clube ofereça contrapartidas, como o investimento em áreas e equipamentos públicos, que seriam disponibilizados para a população, tais como quadras poliesportivas, praças, áreas de lazer, escolas etc

    Se for isso mesmo, acho justo. E bom para a imagem do clube, que se aproximaria positivamente da população local.

  10. Jefferson Alvares
    29 de setembro de 2016 at 16:07 (3 anos ago)

    Prezados,

    Estive no excelente evento de lançamento da candidatura do Abad, e posso lhes dizer que assistir o Abad, um Flusocio de arquibancada como nós, que demonstrou paixão, emoção, conhecimento e segurança ao apresentar ações que de fato dão continuidade ao legado do Peter, foi algo que realmente nos deixa muito orgulhosos!

    Além de poder presenciar o inicio da caminhada que pode permitir a Flusocio de fato comandar o clube e aplicar seus conceitos, algo que por anos defendemos aqui, pude presenciar também, e porque não dizer nos orgulhar também, da bela explanação do presidente Peter sobre a visão estratégica definida há seis anos atrás e que se concretiza agora com o terreno do estádio.

    Quando ouvimos o Peter falar desta visão estratégica, tudo se encaixa e faz muito sentido, sejam: os investimentos e a revitalização de Xerém; o saneamento financeiro; o CT; a internacionalização da marca com o Flu-Europa e agora o estádio.

    Não tenho dúvidas que o presidente Peter no qual eu mesmo já critiquei algumas vezes (já tive a oportunidade de confidenciar isto a ele :)), pois assim como qualquer ser humano também erra, é um dos melhores presidentes de nossa história e disparado o melhor em décadas!

    Enfim, não tenho duvidas que todo este sucesso na base, e os legados deixados pelo Peter precisam de uma pessoa como o Abad, um cara sério e conhecedor dos problemas e soluções do clube, bem como de um grupo forte por trás o apoiando, como inegavelmente é a Flusocio, composta por pessoas que vivem para o Flu e não de pessoas que querem viver do Flu!

    ST

  11. Jefferson Alvares
    29 de setembro de 2016 at 16:10 (3 anos ago)

    Prezado Rodrigo,

    Boas colocações. Acho que poderia ser em Juiz de Fora também.

    ST

  12. Fabio DB
    29 de setembro de 2016 at 17:03 (3 anos ago)

    O grande desafio será lidar com a comunidade que já invadiu/cercou boa parte do terreno do estádio.

    Precisaríamos de uma ação integrada mais do que urgente com os diversos interessados para isso (o que é difícil por causa da transição eleitoral) evoluir. Há um trabalho árido a ser feito.

    ST

  13. Alexandre Magno Barreto Berwan
    29 de setembro de 2016 at 17:25 (3 anos ago)

    O chato é que esse TODOS é menos de 9.000, onde cabem 16.000 e permitem vender 12.000, o restante para quem não vai comprar:

    Giulite Coutinho @EstadioGiuliteGiulite Coutinho informa: Todos os ingressos para Fluminense x Sport estão Esgotados

  14. Alexandre Magno Barreto Berwan
    29 de setembro de 2016 at 17:45 (3 anos ago)

    Estreia de Edson, que acabou com o Sport quando entrou!

    Fluminense 4 x 0 Sport – Campeonato Brasileiro 2014 https://youtu.be/ej8KieiWKxo via @YouTube

  15. Danilo Soares Félix
    29 de setembro de 2016 at 18:16 (3 anos ago)

    “O presidente Peter recuperou o futebol profissional com a ajuda do Jorge Macedo. O presente e o futuro do clube estão ligados com Xerém. É um trabalho que vai muito além da nossa boa estrutura”, disse o gerente geral da base Marcelo Teixeira ao UOL Esporte.”

    http://esporte.uol.com.br/futebol/campeonatos/brasileiro/serie-a/ultimas-noticias/2016/09/28/flu-colhe-fruto-de-xerem-e-ve-base-dominar-time-titular-e-liga-dos-campeoes.htm

    http://extra.globo.com/esporte/fluminense/safra-2017-vem-ai-enquanto-briga-por-4-flu-mira-joias-que-subirao-para-profissional-20191115.html

  16. Alexandre Magno Barreto Berwan
    29 de setembro de 2016 at 18:24 (3 anos ago)

    Explico melhor: Edson entrou no lugar de Valencia, que por jogar plantado na cabeça da área, dava espaço para o Sport, melhor em campo até então, por dominar o meio de campo, articular várias jogadas.
    Quando Edson entrou, o FFC, principalmente o Edson, começou a matar as jogadas do Sport no meio de campo (com aquela movimentação lateral que só percebi ele e Toninho Cerezzo fazerem), isolando o ataque e a defesa do time pernambucano, o que fez o FFC deitar e rolar:

    FLUMINENSE 4 x 0 SPORT

    Local: Estádio do Maracanã, no Rio de Janeiro-RJ
    Data: 24 de agosto de 2014, domingo
    Horário: 16h (Brasília)
    Árbitro: Andre Luiz de Freitas Castro(GO)
    Assistentes: Alessandro A Rocha de Matos (BA-FIFA) e Guilherme Dias Camilo(MG)
    Renda: R$ 227.210,00
    Público: 11.631 pagantes (13.919 presentes)
    Cartões Amarelos: Cícero (Fluminense)
    Gols:
    FLUMINENSE: Cícero, aos 34, Fred, aos 42 min do 1º tempo. Conca, aos 4 min, Fred, aos 34 min do 2º tempo

    FLUMINENSE: Klever; Bruno, Elivelton, Henrique e Chiquinho; Valencia (Edson, Rafinha), Jean, Cícero e Conca; Rafael Sobis e Fred (Walter)
    Técnico: Cristóvão Borges

    SPORT: Magrão; Patric, Oswaldo, Durval e Renê; Wendel (Augusto), Rithely, Zé Mário (Diego Souza) e Ananias; Felipe Azevedo (Ibson) e Neto Baiano
    Técnico: Eduardo Baptista

  17. Alexandre Magno Barreto Berwan
    29 de setembro de 2016 at 18:25 (3 anos ago)

    Explico melhor: Edson entrou no lugar de Valencia, que por jogar plantado na cabeça da área, dava espaço para o Sport, melhor em campo até então, por dominar o meio de campo, articular várias jogadas.
    Quando Edson entrou, o FFC, principalmente o Edson, começou a matar as jogadas do Sport no meio de campo (com aquela movimentação lateral que só percebi ele e Toninho Cerezzo fazerem), isolando o ataque e a defesa do time pernambucano, o que fez o FFC deitar e rolar:

    Ficha técnica: FLUMINENSE 4 x 0 SPORT

    Local: Estádio do Maracanã, no Rio de Janeiro-RJ
    Data: 24 de agosto de 2014, domingo
    Horário: 16h (Brasília)
    Árbitro: Andre Luiz de Freitas Castro(GO)
    Assistentes: Alessandro A Rocha de Matos (BA-FIFA) e Guilherme Dias Camilo(MG)
    Renda: R$ 227.210,00
    Público: 11.631 pagantes (13.919 presentes)
    Cartões Amarelos: Cícero (Fluminense)
    Gols:
    FLUMINENSE: Cícero, aos 34, Fred, aos 42 min do 1º tempo. Conca, aos 4 min, Fred, aos 34 min do 2º tempo

    FLUMINENSE: Klever; Bruno, Elivelton, Henrique e Chiquinho; Valencia (Edson, Rafinha), Jean, Cícero e Conca; Rafael Sobis e Fred (Walter)
    Técnico: Cristóvão Borges

    SPORT: Magrão; Patric, Oswaldo, Durval e Renê; Wendel (Augusto), Rithely, Zé Mário (Diego Souza) e Ananias; Felipe Azevedo (Ibson) e Neto Baiano
    Técnico: Eduardo Baptista

  18. Alexandre Magno Barreto Berwan
    29 de setembro de 2016 at 18:27 (3 anos ago)

    Explico melhor: Edson entrou no lugar de Valencia, que por jogar plantado na cabeça da área, dava espaço para o Sport, melhor em campo até então, por dominar o meio de campo, articular várias jogadas.
    Quando Edson entrou, o FFC, principalmente o Edson, começou a matar as jogadas do Sport no meio de campo (com aquela movimentação lateral que só percebi ele e Toninho Cerezzo fazerem), isolando o ataque e a defesa do time pernambucano, o que fez o FFC deitar e rolar:

    Ficha técnica: FLUMINENSE 4 x 0 SPORT

    Local: Estádio do Maracanã, no Rio de Janeiro-RJ
    Data: 24 de agosto de 2014, domingo
    Horário: 16h (Brasília)
    Árbitro: Andre Luiz de Freitas Castro(GO)
    Assistentes: Alessandro A Rocha de Matos (BA-FIFA) e Guilherme Dias Camilo(MG)
    Renda: R$ 227.210,00
    Público: 13.919 (11.631 pagantes)
    Cartões Amarelos: Cícero (Fluminense)
    Gols: Cícero, aos 34, Fred, aos 42 min do 1º tempo. Conca, aos 4 min, Fred, aos 34 min do 2º tempo

    FLUMINENSE: Klever; Bruno, Elivelton, Henrique e Chiquinho; Valencia (Edson, Rafinha), Jean, Cícero e Conca; Rafael Sobis e Fred (Walter)
    Técnico: Cristóvão Borges

    SPORT: Magrão; Patric, Oswaldo, Durval e Renê; Wendel (Augusto), Rithely, Zé Mário (Diego Souza) e Ananias; Felipe Azevedo (Ibson) e Neto Baiano
    Técnico: Eduardo Baptista

  19. Marcelo Teixeira
    29 de setembro de 2016 at 19:46 (3 anos ago)

    Rodrigo, eu já tinha falado algo muitos posts atras. Vitoria a gente divide meio a meio. Nao tenho duvidas disso! Goiania ou brailia seria um massacre.

    Até volta redonda acho melhor!

    St

  20. Marcelo Teixeira
    29 de setembro de 2016 at 19:47 (3 anos ago)

    JF O gramado está horroroso! Sem chances! Tente ver um jogo do tupi na segundona!

    St

  21. Fabio DB
    29 de setembro de 2016 at 20:05 (3 anos ago)

    Essa é uma declaração preocupante. Se o Jorge Macedo é bom, então fica a curiosidade de saber o que ocorreu para trazermos Dudu ou WM, por exemplo, visto que certamente não estão incluídos em qualquer lista/scout dos melhores nas suas posições.
    ST

  22. Fabio DB
    29 de setembro de 2016 at 20:09 (3 anos ago)

    Pena que esteja com uns 5kg a mais. O melhor Edson jogava muito. Além de ser um volante com ações ofensivas excelentes, o que o garoto Douglas ainda não consegue fazer. Uma pena.
    ST

  23. Fabio DB
    29 de setembro de 2016 at 20:20 (3 anos ago)

    Brasília é o pior de todos. Terrível.
    ST

  24. Alexandre Magno Barreto Berwan
    29 de setembro de 2016 at 21:02 (3 anos ago)

    Não sabia.
    Será que a falta de jogos tem a ver com isso ou não joga por causa disso?

  25. Fabio DB
    29 de setembro de 2016 at 22:28 (3 anos ago)

    Fluzão campeão carioca de volei!!
    3 x 2 contra o Super Rio-Rexona de Bernardinho, etc!!
    16 x 14 no tie break…. loucura na Tijuca!!
    ST

  26. Fabio DB
    29 de setembro de 2016 at 22:33 (3 anos ago)

    Fica difícil dizer, mas hoje no futebol, qualquer pequena perda de capacidade física ou emocional transforma um bom jogador em um qualquer.
    ST

  27. Cezar Motta
    29 de setembro de 2016 at 22:36 (3 anos ago)

    Você é um ingrato, ehehe. Ninguém fazia melhor o limpador de párabrisa diante da defesa do que Carlos Alberto Pintinho. Cerezo era mais agudo.

  28. Cezar Motta
    29 de setembro de 2016 at 22:57 (3 anos ago)

    Duvido. O problema do Edson é falta de confiança. O time todo está tinindo fisicamente. O único gordo é o Levir.

  29. Sergio BindaB
    29 de setembro de 2016 at 23:58 (3 anos ago)

    O Fluminense está reencontrando o seu caminho de glórias e grandeza. PQP … Campeão carioca de vôlei depois de muitos anos!!! Em cima do poderosíssimo Rio de Janeiro do fantástico Bernardinho!!!

    Nossos adversários já estão percebendo que o trilho da história mudou.

    ST

  30. Raul Fernandes
    30 de setembro de 2016 at 0:27 (3 anos ago)

    Capixaba:

    Continuo pensando q o Levir é burro mesmo ou está de sacanagem com alguns jogadores.
    A não efetivação de Magno Alves como titular neste elenco é um sinal.

    Com outros, principalmente com aqueles que indicou, o tratamento é diferente. Depois do “amigo” Danilinho, nos ameaça com o retorno do Dudu, conterrâneo de Curitiba.

    Ou é “cego”, pois não enxergou o Magno virando o jogo contra o Galo, na maior vitória do Flu no Brasileiro. Talvez estivesse de costas para o campo.

  31. Jefferson Alvares
    30 de setembro de 2016 at 1:23 (3 anos ago)

    Prezados,

    Parabéns as meninas, ao pessoal dos EO’s, e a gestao Peter por acreditar neste projeto!

    Voltar a disputar este competitivo esporte onde tanta história temos, e em tão pouco tempo já ser campeão, derrotando o poderoso time do Bernadinho com investimento muito superior, é realmente um feito fantástico!

    Como inicia o belo texto do O Globo ao comentar este título… “A camisa, banhada em tradição, impõe respeito por sua história.”.

    St

  32. Fabio DB
    30 de setembro de 2016 at 7:08 (3 anos ago)

    O mais importante é definir como (procedimento/ferramenta) será a seleção de um jogador incluindo a verificação/requisitos/pontuação para comparação entre opções e formalização da decisão com as devidas assinaturas e racional. Tendo isso bem feito só há dois caminhos: seguir o determinado (altas chances de dar certo) ou não (problema grave).

    ST

  33. Fabio DB
    30 de setembro de 2016 at 7:16 (3 anos ago)

    Há necessidades iguais para jovens de menor idade. Qualquer um que entre no clube precisa atender a certos requisitos. Então sub-comitês com regras e formalização bem definidas são necessários.

    O papel do presidente do comitê é garantir que as regras e os objetivos do comitê serão cumpridos com mão de ferro. Ou seja, não importa a opinião dele sobre um jogador. Para o presidente do comitê importa que o “jogador certo será escolhido segundo regras e discussões certas”. Ele garante a lei e a ordem” no comitê. E o sucesso afinal do processo.

    ST

  34. Flu Capixaba
    30 de setembro de 2016 at 8:04 (3 anos ago)

    assistir como???

  35. Flu Capixaba
    30 de setembro de 2016 at 8:34 (3 anos ago)

    Fábio, não sei sua área profissional, mas administrar é uma tarefa enorme. Mas existem métodos para isso. Depende obviamente do tamanho da organização, entre outros diversos aspectos.
    No caso do Flu, é preciso alguém que saiba comandar e delegar. Que centralize e também saiba distribuir – para pessoas competentes e da confiança irrestrita do gestor. Ou seja, de fato um Presidente, mas que saiba o que acontece e se envolva, para que o plano-mestre seja bem executado. Essa é a linha.
    Cria-se o planejamento, elege-se os responsáveis, estabelece-se as metas e senta o pau. O presidente-gestor acompanha, cria condições, cobra, etc.
    São planos a curtíssimo, curto, médio e longo prazo.

    A parte mais inglória, meu caro, é encontrar as pessoas prá tocar o barco… é onde entra o ego, a ambição, a falta de honestidade ou a simples incompetência. Essa parte não ensinam na faculdade, mas é a primeira coisa que se aprende na prática.
    Então, a parte essencial é criar esse grupo de confiança.

    Nosso Flu está num caminho fantástico. Os erros que ocorrem são até certo ponto banais, simples de se resolver: sanar a questão do marketing (patrocínio, imagem, etc), contratar bem, limpar o elenco, utilizar melhor as crias de Xerém, errar menos no técnico… essa é difícil…rsss

    Tenho um moleque de seis anos, estou no 2º casamento. Pretendo levá-lo ao Rio por volta dos dez anos, para conhecer o Flu. Quisera poder ir antes, mas… a coisa não tá fácil.
    Em quatro anos, como estaremos? CT, Xerém, estádio em construção… Abad no 2º mandato…

    É bom demais ser tricolor!

    STS

  36. Fernando Ventura Jr.
    30 de setembro de 2016 at 9:20 (3 anos ago)

    Sempre achei que o caminho poderia ser esse. O Volei feminino, onde temos tradição e não seguir o Framengo no basquete, onde eles já dominam o cenário. Assim, seguimos com o futebol, no masculino, como carro-chefe e voltamos a ter o feminino com o Volei, para todos os tricolores e especialmente para aqueles que se desiludiram com o futebol e suas artimanhas de bastidores. Já nós destacávamos nos saltos ornamentais, nado sincronizado e polo aquático, mas que em competições internacionais, pelo menos nos dois primeiros casos, redundaram em fiascos.

  37. Fernando Ventura Jr.
    30 de setembro de 2016 at 9:24 (3 anos ago)

    No começo achei algo que dispenderia dinheiro e teria sido errado a escolha do local, mas depois vi como acertado, pela centralização e por ser um polo novo para o desenvolvimento de futebol. Quem sabe os nossos jogadores juniores não possam fazer um estágio na Europa, antes de poderem subir para os profissionais e agora temos uma base na Europa.

    Sempre achei perda de tempo a participação em torneios nos EUA, exceto se pensarmos em montar um time de basebol ou futebol americano. A Europa é o caminho. Imaginem um torneio com Fluminense, Samorim, Barcelona e Bayern ou ainda com times que contrataram jogadores nossos como o Roma(Gerson) e o Chelsea(Kennedy).

  38. Fernando Ventura Jr.
    30 de setembro de 2016 at 9:28 (3 anos ago)

    Mas o Edson esqueceu como se joga. Além disso esse time tinha Conca e Sóbis.

  39. Fernando Ventura Jr.
    30 de setembro de 2016 at 9:42 (3 anos ago)

    O Marcelo Teixeira pode estar querendo ser diplomata, mas o WM vem melhorando e o Maranhão fez algumas partidas boas, além da contratação do Wellington, atacante, que foi bola dentro. Pior quem trouxe WP, renovou com WS e trouxe Oswaldo.

Deixe um Comentário