Se queres saber o candidato da Flusócio…

notadent1A Flusócio tem evitado falar em política enquanto o Fluminense disputa um campeonato brasileiro delicado e de transição. Entretanto, considerando que a briga política no clube já começa a se acirrar, percebemos essa pausa de 10 dias no futebol como um momento propício para abordarmos o assunto.

A Flusócio é percebida como sendo o principal grupo da chapa vencedora em 2010 e 2013, de modo que na inexistência de um candidato já declarado da Situação é natural que as baterias dos opositores se voltem contra o grupo. Há sempre quem diga que a Flusócio “manda” nisso ou naquilo ou que fulano ou beltrano é “o candidato da Flusócio”. Como acontece na política, a Flusócio também tem que lidar com verdades, mitos e mentiras.

Desde a sua gênese, há mais de 12 anos, a Flusócio não se trata de um grupo de amigos. Tampouco é um grupo com interesses pessoais no clube. O que une o grupo é a convergência de ideias acerca do que é prioritário para que o Fluminense enfrente os difíceis desafios que terá pela frente para se manter como potência do futebol nacional. Assim, primariamente, não apoiamos pessoas, mas sim agendas.

Foi assim com Peter Siemsen nas 3 eleições em que o grupo o apoiou. Nos mandatos de Horcades, a irresponsabilidade financeira e o descontrole da dívida eram as questões cruciais que tiravam o sono de todos os tricolores preocupados com o futuro do clube. Foi nessa linha que Peter Siemsen apareceu como nome que mereceu o apoio e a confiança do grupo. Não o apoiamos por amizade ou por barganha, mas pela clareza com que Peter Siemsen enxergava a gravidade da situação financeira do clube e pela confiança que inspirava no sentido de que a questão seria tratada com a atenção que merecia. Também nos uniu o compromisso em implementar o Sócio Futebol com direito a voto, garantindo nova fonte expressiva de receitas e ao mesmo tempo consolidando o torcedor como participante ativo das decisões sobre os destinos da instituição.

Novamente assim será em 2016, escolheremos quem estiver alinhado conosco e nos inspire confiança, sem que importem relações pessoais ou barganhas. Então, para os “profetas”, vai uma dica inspirada no nosso verdadeiro Profeta:

Se quereis saber o candidato da Flusócio para 2016, olhai para o que o grupo considera prioritário para o clube no próximo triênio!

Entre erros e acertos, há uma coisa que não se pode negar sobre a gestão Peter Siemsen: as questões da equalização da dívida e do controle financeiro foram tratadas com a responsabilidade que merecem, de forma que nosso horizonte atual é muito mais claro do que o cenário terrível encontrado em 2011.

O próximo presidente terá um cenário também dificílimo, mas previsível e contando com um fluxo de caixa mais ajeitado. Diferente do que a gestão do Peter enfrentou, será possível planejar e pensar o clube sem se deparar rotineiramente com “bombas relógio” ou “esqueletos”, usualmente de natureza fiscal ou trabalhista.

Porém, todo o esforço pode ser colocado a perder se uma nova gestão não possuir compromisso com as finanças do clube e com a capacidade de honrar os compromissos assumidos – dois dentre os pilares centrais da nossa escolha. Um candidato que não comungue dessa preocupação e não demonstre ser responsável com as finanças do clube jamais terá o apoio da Flusócio.

Além da questão financeira, mas não independente dela, alguns projetos estratégicos fundamentais tiveram avanços significativos na gestão Peter Siemsen, notadamente a construção do CT e o desenvolvimento de Xerém, consolidando o Fluminense como uma referência em trabalho de base no futebol.

São projetos fundamentais e capazes de manter o Fluminense como potência do futebol nacional, mesmo no cenário de desequilíbrio de cotas de TV que se desenha para os próximos anos. O candidato da Flusócio deverá ser alguém que demonstre estar comprometido com a continuidade desses projetos.

Assim, finanças, CT e Xerém serão, certamente, os pilares centrais da nossa escolha eleitoral. Por favor, notem que isso não significa indiferença com o desempenho do Fluminense dentro de campo, o futebol sempre será a maior de todas as prioridades. O ponto é que não desconectamos a performance desportiva das finanças (obrigações em dia), do CT (infraestrutura) e de Xerém (formação de elenco e reforço comercial).

O candidato da Flusócio ainda não está escolhido. E não há pressa. O grupo analisará criteriosamente as opções possíveis e tomará a sua decisão de forma democrática e responsável com o futuro do Fluminense, no momento em que estiver seguro de ter encontrado o melhor nome para implementar nossa agenda. E, quando a decisão estiver tomada certamente será tornada pública. Até lá, qualquer coisa que for falada sobre “candidato da Flusócio” é especulação ou mentira.

105 Comentários em Se queres saber o candidato da Flusócio…

  1. Allan Matheson
    7 de outubro de 2015 at 14:30 (4 anos ago)

    Muito bom esse post e eu assino embaixo.
    Não apoiaremos aventureiros, oportunistas ou qualquer um que não tenha cuidado com as finanças do clube.

  2. Paulo Cavalheiro - Santos - SP
    7 de outubro de 2015 at 14:31 (4 anos ago)

    Há a possibilidade de candidato do Grupo ??

  3. Danilo Soares Félix
    7 de outubro de 2015 at 14:39 (4 anos ago)

    É muito simples de entender: pela Flusócio falam os seus integrantes e seus espaços de interação com o público, e não os oportunistas.

  4. NandoTonho
    7 de outubro de 2015 at 14:41 (4 anos ago)

    Sim, futebol é e sempre será o carro chefe.
    Entretanto, tem que ser feito com responsabilidade financeira, e isso não significa que o time tem que ser do tipo bom, bonito e barato.

    Precisamos encontrar essas características no nosso candidato.

    Seja sócio!

    Saudações Tricolores!

  5. Jefferson Alvares
    7 de outubro de 2015 at 15:07 (4 anos ago)

    Clap, clap, clap… Parabéns!!!

    St

  6. Fabiano Marques Bettoni
    7 de outubro de 2015 at 15:11 (4 anos ago)

    Recado para a oposição e para os pretendentes que se acham candidatos da Flusocio!

  7. José Carlos F. da Costa
    7 de outubro de 2015 at 15:12 (4 anos ago)

    Quem quiser se lançar candidato a presidente do Flu e quiser apoio dos flusócios, já tem as diretrizes para sua plataforma.

  8. Luciano Pimenta
    7 de outubro de 2015 at 15:17 (4 anos ago)

    Acho importantíssimo esse post pois encerra de uma vez todas as inverdades que tem sido ditas até agora.
    Não existe a mínima chance de apoiarmos um candidato que não tenha como uma de suas premissas um controle rígido com a parte financeira.
    ST4

  9. Paulo Cavalheiro - Santos - SP
    7 de outubro de 2015 at 15:18 (4 anos ago)

    O quê o Ayrton está fazendo lá em Floripa ?? EB põem o moleke para treinar e jogar com os profissionais, ou vai insistir no VOliveira ou o Higor ??

    ” Nesta quarta-feira, o técnico Luiz Felipe deve montar o Fluminense com Matheus, Breno Santos, Nogueira, Derlan e Ayrton; Guilherme, Bonilha e Daniel; Marquinhos, Pedro e Paulinho. “

  10. Oscar Möller
    7 de outubro de 2015 at 15:32 (4 anos ago)

    Acho importantíssimo que o próximo presidente assuma a responsabilidade de não nos tirar do caminho em direção à austeridade financeira que essa gestão, à duras penas, colocou. O Fluminense não tem mais espaço para gestões temerárias, sob pena de inviabilizar definitivamente o clube.

    Candidato que queira ter o apoio da Flusócio tem que estar ciente e se comprometer com isso.

    Assim como, tem que se comprometer a manter a estrutura atual de Xerém. Estou falando de estrutura organizacional. A estrutura física deve ser melhorada sempre que as finanças permitirem, pois ali está a única chance de competirmos como time grande a partir do ano que vem, quando a diferença de cotas de TV será absurda. Xerém, hoje em dia, é referência de excelência. Esse trabalho tem que continuar. Quer nosso apoio ? Saiba que essa premissa é inegociável.

    ST4

  11. Paulo Cavalheiro - Santos - SP
    7 de outubro de 2015 at 15:37 (4 anos ago)

    ” Plano de carreira

    Formar jogadores com excelência para a equipe profissional é o grande objetivo das divisões de base do clube.
    Mas o aproveitamento dos jogadores vai além do time principal. Como no processo de formação não há como absorver todos, a Fábrica de Talentos estruturou um projeto mais amplo de valorização das joias. Se o atleta não for aproveitado no profissional, ele tem a opção de ser emprestado para times do Brasil e do exterior. O clube não perde o vínculo com o jogador e, na maioria dos casos, ainda mantém o investimento nele, que tem contrato longo desde o Sub-20.

    Hoje, temos 25 jogadores emprestados por todos os continentes. E todos podem voltar e fazer sucesso nas Laranjeiras, como Gustavo Scarpa, Marcos Jr, Wellington Nem..”

  12. Eloi
    7 de outubro de 2015 at 15:39 (4 anos ago)

    Quero ainda ver, o dia que cada clube faça opção de Televisão sempre que o mando de campo for dele e assim ele poder optar individualmente qual Empresa de Televisão ele individualmente negociará suas quotas.ST

  13. Rafael Mancuso
    7 de outubro de 2015 at 15:50 (4 anos ago)

    Texto muito oportuno e que deixa bem claro 3 pilares fundamentais para o próximo candidato a ser apoiado pela Flusocio:

    – Austeridade Financeira;
    – Xerem;
    – CT.

  14. Paulo Cavalheiro - Santos - SP
    7 de outubro de 2015 at 15:53 (4 anos ago)

    Twitter é uma ferramenta para atualizações e informações, criei uma conta só para acompanhar Figueira e FFC no Sub 20, pois terminou o 1 tempo e :

    ” Fluminense F.C. ‏@FluminenseFC Há 47 minutos

    Começa o jogo no Orlando Scarpelli!
    Fluminense x Figueirense pela Copa do Brasil Sub-20.
    #VemQueTem #SomosFluminense “

  15. Heleno Mattoso
    7 de outubro de 2015 at 15:58 (4 anos ago)

    A visão certa é essa mesma, FINANÇAS, CT e XERÉM, só acho que falta a FLUSÓCIO incluir na pauta um modelo de gestão do futebol profissional. Pagamos por erros, pois o modelo atual tem falhado muito.

    Sugiro que o candidato apresente a FLUSÓCIO também qual a sua visão em relação ao futebol, o que ele pensa e como modernizá-lo. Copiar casos de sucesso não é vergonha nenhuma.

    É preciso que haja um modelo vencedor desde as categorias de base até os profissionais. Algo como comissão técnica permanente, preparação física e conceitos modernos do futebol atual.

    ST,

  16. Juliano F Pacheco
    7 de outubro de 2015 at 16:04 (4 anos ago)

    NENHUMA PROMOÇÃO QUE RELACIONE OS JOGOS DIANTE DE SÃO PAULO E PALMEIRAS.

    A diretoria perdeu uma grande chance de fazer as pazes com a torcida, ainda mais depois desse papelão com o Ilídio Lico, que só serviu para a imprensa voltar a bater e zombar do clube, sem ao menos citar a condenação do Fla no TAS e consequente conclusão de que era, sim, maior interessado na perda de pontos da Portuguesa.

    Este ato do IL pareceu proposital, justamente para tirar o foco da derrota do Fra em última instância, o que confirma seu maior interesse na escalação irregular do heverton.

  17. Paulo Cavalheiro - Santos - SP
    7 de outubro de 2015 at 16:12 (4 anos ago)

    Perfeito, uma azeitada no futebol, comunicação e no marketing, geraria uma grande potencialidade.

    E também gastar melhor, nosso suado dinheirinho !!

  18. Flavio Chammas
    7 de outubro de 2015 at 16:13 (4 anos ago)

    SENHORES

    E O NOSSO CANDIDATO(ME PERMITAM ASSUMIR ISTO) JÁ TERÁ O MEU VOTO.

    A INSTITUIÇÃO É O QUE MAIS IMPORTA.

    CAMPEONATOS SE GANHAM E SE PERDEM, FAZ PARTE DO ESPORTE E SÓ UM GANHA, MAS UMA INSTITUIÇÃO COM FORÇA E CREDIBILIDADE, PREOCUPADA EM HONRAR SEUS COMPROMISSOS, CERTAMENTE SERÁ GANHADORA.

    NOSSA REALIDADE É DIFÍCIL, MAS O FUTURO É PROMISSOR, E É FUNDAMENTAL QUE O SUCESSOR ESTEJA NESTA LINHA DE PENSAMENTO.

    ESTA ADMINISTRAÇÃO TEM MAIS UM ANO E POUCO E AS MELHORAS SERÃO AINDA MAIORES, DEIXANDO UM LEGADO DE MÉDIO PARA BOM.

    SE ALIADO A ISTO PUDERMOS MELHORAR O FUTEBOL E GANHAR ALGUMA COISA, SERIA O OURO SOBRE O AZUL.

    OBRIGADO JOÃO DE DEUS, POR SE FLUMINENSE E TER A OPORTUNIDADE DE AJUDAR, UM POUQUINHO QUE SEJA.

    SAUDAÇÕES TRICOLORES.

  19. Claudio Barçante Pires
    7 de outubro de 2015 at 16:22 (4 anos ago)

    Mais claro impossível, austeridade financeira, CT (melhoria das instalações físicas do clube e condições de trabalho para nossos atletas), Xerém, o futuro do clube está nas nossas divisões de base.

    Essas são nossas premissas, e, como disse o Danilo, quem fala pela Flusócio é a Flusócio, não adianta tentar colocar palavras na nossa boca, nós temos forma e temos voz. E esta voz é repercutida no nosso canal oficial, nosso blog.

  20. Flavio Chammas
    7 de outubro de 2015 at 16:49 (4 anos ago)

    Alexandre quando falei aqui, quase me lincharam, mas até o R10 percebeu, e olhe que pensar não é muito o forte dele.

    A oposição nitidamente torce contra, se aproveita de qualquer fato para apedrejar e semear discórdia.

    Isto não quer dizer que eu concorde com tudo que é ou foi feito, mas o trabalho é bom e pode melhorar muito ainda.

  21. Marco Antonio Barroso
    7 de outubro de 2015 at 16:54 (4 anos ago)

    Gostei muito post, veio em ótima hora!

  22. Marco Antonio Barroso
    7 de outubro de 2015 at 16:59 (4 anos ago)

    Agora, eu que não moro no Rio e não estou no clube fiquei com a pulga atrás da da orelha, quem falou em “candidato da Flusócio”?
    Não é ironia ou piada, eu não entendi, alguém pode me explicar…

  23. Alexandre Magno Barreto Berwan
    7 de outubro de 2015 at 16:59 (4 anos ago)

    Se o Fluminense quiser crescer de uma forma sustentável e que o coloque sempre entre os melhores clubes de futebol do mundo, tem que se unir: as principais correntes devem deixar a vaidade de lado e construir um PROJETO ÚNICO A LONGO PRAZO para o Tricolor.

    Parar com essa babaquice de ficar minando o esforço dos que estão trabalhando, plantando futricas e afins, que é algo que não combina com a grandeza dos homens que fizeram do FFC um clube modelo para o resto do mundo em seus primeiros 50 anos: NÃO PODEMOS ESPERAR MENOS DO QUE ISSO!

  24. Caique Maciel
    7 de outubro de 2015 at 16:59 (4 anos ago)

    Pra bom entendedor…

    Aos defensores da mamãe Horcades e do papai Celso Barros, acho que ficou claro que as premissas da Flusócio não cabem na agenda dos falecidos.

  25. Fabio DB
    7 de outubro de 2015 at 17:00 (4 anos ago)

    Não há como questionar os objetivos estratégicos definidos pela Flusócio: PARABÉNS!

    Mas para mim, faltaram ser explicitados 2 objetivos, que vou considerar no meu voto:

    1- Austeridade financeira —> “O clube viável e com os pés no chão!”
    Quem não paga as suas contas, tem o fluxo de caixa “furado”, perde o controle do seu presente e do seu futuro. E sem controle, podemos acabar o precipício. FUNDAMENTAL.

    2- CT —> “O clube na modernidade”.
    O clube dando condições de ponta para que seus profissionais possas atingir ao máximo de suas capacidades. FUNDAMENTAL.

    3- Xerém –> “Os futuros ídolos e as jóias”.
    É a garantia de termos sempre um conjunto de jogadores capazes de assumirem posições na equipe titular, mantendo o clube competitivo, mesmo no caso de algum imprevisto ou dificuldade. Também fonte fundamental de receitas.

    4- Manutenção da sede histórica e exploração da mesma como elemento de alavancagem da imagem do clube no Brasil de no mundo. Estabelecer a visão do FFC como fundador e patrono do futebol no Brasil.

    5- O MAIS IMPORTANTE: A HONESTIDADE

    Nenhum Presidente pode ter sobre si a desconfiança sobre sua conduta, sobre sua postura ética.

    Dessas forma, por exemplo, candidatos que em algum momento colocaram seus interesses acima do clube estariam automaticamente eliminados.

    ST

  26. Fabio DB
    7 de outubro de 2015 at 17:06 (4 anos ago)

    Tá cara. O que seria bem vindo demais se fosse uma oposição com algum rumo. A nossa oposição é cínica. Pelo menos as atitudes vistas são.

    ST

  27. Fabio DB
    7 de outubro de 2015 at 17:26 (4 anos ago)

    Em nenhuma hipótese votarei nos acima ou em qualquer candidato político ou vinculado a políticos, pelo risco ético. É claro que há políticos seríssimos e honestos, a função política é em tese a mais importante em uma democracia, mas a chance de não ser é de 90%. Não vale a pena correr o risco de colocar um ladrão comandando o clube. Fora os compromissos dos mesmos com o próprio cargo, mesmo sendo honesto, que incompatibiliza e até pode desmoralizar sua atuação e o comando/liderança no clube. Seria uma bagunça quase certa.

    ST

  28. José Carlos Nascimento
    7 de outubro de 2015 at 17:26 (4 anos ago)

    Além de todas as qualidades sugeridas no texto, entendo que a indicação deva considerar alguém que não seja tão magnânimo quando estiver em jogo o nome glorioso do Fluminense.

    Parece que o cara só tomou essa atitude pública para se livrar de uma senhora “trolha” no lombo para aprender a respeitar o nome da Instituição Fluminense.

  29. Flavio Chammas
    7 de outubro de 2015 at 20:44 (4 anos ago)

    Terminou e ganhamos? valeu Paulo

  30. Mauro Carvalho - SP
    7 de outubro de 2015 at 21:10 (4 anos ago)

    A Flusócio me representa !!
    Parabéns !!
    ST

  31. Fernando Ventura Jr.
    7 de outubro de 2015 at 21:25 (4 anos ago)

    O mais importante é a competência. Honestidade é pré-requesito.

  32. Fernando Ventura Jr.
    7 de outubro de 2015 at 21:31 (4 anos ago)

    Discordo. Acho que é um trabalho sofrível, embora bem intencionado. Falhou em marketing, defesa institucional, comunicação, montagem de elenco, mas vem pagando as contas em dia e o CT vai avançando.

  33. Paulo Cavalheiro - Santos - SP
    7 de outubro de 2015 at 21:34 (4 anos ago)

    Viramos asilo, cara encostado, ganhando bem para cacete, vai sair para quê ??

    Declaração do empresário do Magnata !!

    ” – Tivemos sondagens sim, principalmente do Ceará, que passou por momento difícil. Voltaram a nos procurar. Mas não houve nenhum tipo de negociação. O pessoal do mundo árabe voltou a ligar. O Magno está empenhado em cumprir o contrato até o fim.

    Está em ótimo momento familiar, apesar de jogando pouco. Está feliz por ficar perto dos filhos. Está na busca pelo espaço. Por ele ter idade, precisa de uma sequência de jogos para voltar a render o que rendia no Ceará. Não há qualquer movimentação para ele sair do clube – afirmou Nassif, à Rádio Brasil. “

  34. Fabio DB
    7 de outubro de 2015 at 22:29 (4 anos ago)

    Fernando, posso estar errado, mas acho que o Flavio se refere a certas ações visando desestabilizar o clube na base da maldade. E não nas criticas sem outras intensões , como certamente são as suas.
    ST.

  35. Fabio DB
    7 de outubro de 2015 at 22:30 (4 anos ago)

    Concordo 100%! Mas é bom enfatizar até para nivelar por cima todo o processo eleitoral.
    ST

  36. Fabio DB
    7 de outubro de 2015 at 22:32 (4 anos ago)

    Sim, Claudio! Precisamos criar a chamada “governança do clube”. Que proteja o mesmo, dê credibilidade, autoridade, responsabilidade clara, etc e garanta que “maus elementos” estarão na cadeia em caso de desvios.
    ST

  37. Mauro Carvalho - SP
    7 de outubro de 2015 at 23:18 (4 anos ago)

    Feliz Aniversário ao Ministro Joaquim Barbosa – mais um ilustre cidadão TRICOLOR.

    Joaquim Barbosa nasceu em Paracatu, noroeste de Minas Gerais, no dia 07
    de outubro de 1954. É o primogênito de oito filhos. Pai pedreiro e mãe dona de
    casa, Barbosa passou a ser arrimo de família quando estes se separaram. Aos 16
    anos foi sozinho para Brasília, arranjou emprego na gráfica do Correio
    Brasiliense e terminou o segundo grau, sempre estudando em colégio público.
    Obteve seu bacharelado em Direito na Universidade de Brasília, onde, em
    seguida, obteve seu mestrado em Direito do Estado.

    Foi Oficial de Chancelaria do Ministério das Relações Exteriores
    (1976-1979), tendo servido na Embaixada do Brasil em Helsinki, Finlândia e,
    posteriormente, foi advogado do Serpro (1979-84).

    Prestou concurso público para Procurador da República, e foi aprovado.
    Licenciou-se do cargo e foi estudar na França, por quatro anos, tendo obtido
    seu mestrado e doutorado, ambos em Direito Público, pela Universidade de
    Paris-II (Panthéon-Assas) em 1990 e 1993. Retornou aos cargos de procurador no Rio
    de Janeiro e professor concursado da Universidade do Estado do Rio de Janeiro,
    sendo licenciado deste em 2006. Foi visiting scholar no Human Rights Institute
    da faculdade de direito da Universidade Columbia em Nova York (1999 a 2000) e
    na Universidade da Califórnia Los Angeles School of Law (2002 a 2003). Fez
    estudos complementares de idiomas estrangeiros no Brasil, na Inglaterra, nos
    Estados Unidos, na Áustria e na Alemanha, sendo fluente em francês, inglês,
    alemão e espanhol. Foi indicado ao cargo de Ministro do Supremo Tribunal
    Federal pelo presidente Luiz Inácio Lula da Silva em 2003.

    Demonstra defesa incondicional em certas questões administrativas. É
    contra o poder do Ministério Público de arquivar inquéritos
    administrativamente, ou de presidir inquéritos policiais. Defende que se
    transfira a competência para julgar processos sobre trabalho escravo para a
    Justiça federal.

    Defende a tese de que despachar com advogados deva ser uma exceção, e
    nunca uma rotina, para os ministros do Supremo. Restringe ao máximo seu
    atendimento a advogados de partes, por entender que essa liberalidade do juiz
    não pode favorecer a desigualdade. A posição do ministro, todavia, é criticada
    por advogados e pela Ordem dos Advogados do Brasil (OAB), sob o fundamento de
    que despachar com os magistrados é um direito dos advogados, conferido pela Lei
    8.906/94, cujo art. 7, inciso VIII preceitua ser direito dos advogados:
    “dirigir-se diretamente aos magistrados nas salas e gabinetes de trabalho,
    independentemente de horário previamente marcado ou outra condição,
    observando-se a ordem de chegada”.

    O ministro Barbosa diz ser, também, contra a suposta prestação
    preferencial de jurisdição às partes de maior poder aquisitivo (“furar
    fila”). A postura do ministro também tem sido criticada pela OAB, sob o
    fundamento de que, por vezes, situações de urgência realmente justificariam a
    inversão da ordem dos julgamentos.

    Barbosa opõe-se, também, ao foro privilegiado para autoridades.

    Tomou posse como vice-presidente do Tribunal Superior Eleitoral no dia 6
    de maio de 2008, sendo o presidente o Ministro Carlos Ayres Britto.

    No mais polêmico julgamento desde que tomou posse no tribunal, Joaquim
    Barbosa votou a favor da tese de que políticos condenados em primeira instância
    poderiam ter sua candidatura anulada, sendo, porém, voto vencido nesta questão.

    Em 17 de novembro de 2009 o ministro Joaquim Barbosa, em virtude de
    problemas de saúde, anunciou sua renúncia ao Tribunal Superior Eleitoral, do
    qual seria presidente a partir de abril de 2010.

    O ministro foi eleito presidente do STF no dia 10 de outubro de 2012. A
    eleição ocorreu por voto secreto, antes do julgamento do mensalão. O
    vice-presidente foi Ricardo Lewandowski.

    O ministro aposentou-se voluntariamente do tribunal em 31 de julho de
    2014, antes do término do mandato.

    Por toda a sua obra, o Observatório do Fluminense enaltece a vida do
    tricolor Joaquim Barbosa.

  38. Mauro Carvalho - SP
    7 de outubro de 2015 at 23:25 (4 anos ago)

    Concordo plenamente, Paulo.

    Melhor a Flusócio escolher gente que TAMBÉM entenda de futebol e não tenha rabos presos com empresários de jogadores.

    Essas contratações ridículas são tão ÓBVIAS que acho muito difícil que se esteja errando inocentemente.

    Para mim, até que prove em contrário, o clube deve ser refém de dívidas antigas com empresários e pagamos eles com essas contratações.

    Se não for isso, tem algo pior, que nem gosto de pensar que possa estar ocorrendo no meu clube.

    ST

  39. Rodrigo
    7 de outubro de 2015 at 23:28 (4 anos ago)

    Ingresso pra torcida do Palmeiras em SP no Maracanã, com ótima visibilidade e posicionamento para as câmeras: 40 reais.

    Ingresso pra torcida do Flu apertada e escondida num canto qualquer do Pacaembu ou da Arena dos Porcos: no mínimo 120 reais.

    Realmente, o Flu é uma mãe.

  40. Paulo Cavalheiro - Santos - SP
    7 de outubro de 2015 at 23:35 (4 anos ago)

    Mauro, critico de coração aberto, pois fui um dos maiores censuradores do gerenciamento do futebol pela Unimed, que manipulava o dinheiro do patrocínio devido ao FFC.

    E agora, com saída da investidora, ver estas contratações completamente sem sentido e sangrando os cofres do FFC, e nada.

    Uma gastança em xepas, lesionados, encostados, etc.., verdadeiro absurdo, e passando incólume.

    Ai critico a Flusócio, pois na época da Unimed, era o maior pilar de contestação e agora, não vejo nenhuma indignação, até blindagem.

    E ainda vejo comentários, que a torcida quer tirar MB + FS na marra, surreal, é incompetência mesmo, entendo assim, mas o índice de bobagens é absurdo.

    Futebol profissional é muita grana !!!!!

  41. Paulo Cavalheiro - Santos - SP
    7 de outubro de 2015 at 23:54 (4 anos ago)

    Infelizmente parece que estamos na Pascoa, época da tentativa de ressurreição dos xepas!!

  42. Estêvão
    8 de outubro de 2015 at 0:43 (4 anos ago)

    Inacreditável isso. E o pior tá arriscado a torcida deles tomar todo aquele espaço quando deveriam ter 10% da carga de ingressos ou seja uns 5 mil no máximo. Eu fico imaginando uma futura final de um campeonato e a torcida adversária comprando a maior parte dos ingressos do maraca e a gente entalado na sul igual gado no curral.
    Chega a doer o coração esse amadorismo da nossa diretoria.

  43. Estêvão
    8 de outubro de 2015 at 0:55 (4 anos ago)

    Oposição do Flu: Horcades, Celso Barros, Antônio Gonzalez, Alcides Antunes, Delei, filho do Horta.
    Com todos os defeitos e erros, o Peter poderia continuar por mais alguns anos.
    FLUSOCIO a eleição tá no “papo”.

  44. Paulo Junior
    8 de outubro de 2015 at 4:12 (4 anos ago)

    então vc quer que no blog só venham pessoas para falar que está tudo lindo e maravilhoso. Parabéns pra vc !

  45. Paulo Junior
    8 de outubro de 2015 at 4:20 (4 anos ago)

    caro, Jorge. Até onde eu sei a maioria dos Flusócios saõ contra o uso do Estadio das Laranjeiras, o próprio Peter é radicalmente contra essa ideia.
    Não sei se vc sabe, mas o Jean NÃO GOSTA de jogar na lateral direita e o atual treinador não tem moral para escala-lo por lá. o treinador eduardo batista falou para o jean que só o escalaria ele na lateral SOMENTE por dois jogos. temo que o jonathan não esteja ainda pronto para jogar. E sobre o Ayrton esquece, vai virar outra novela como aconteceu com o Léo que para jogar foi um parto.

  46. Ricardo Guerreiro
    8 de outubro de 2015 at 8:07 (4 anos ago)

    Meu caro:

    Vc claramente não vem lendo meus comentários.

  47. Ricardo Guerreiro
    8 de outubro de 2015 at 8:07 (4 anos ago)

    Pedro é um perebaço.

  48. Ricardo Guerreiro
    8 de outubro de 2015 at 8:08 (4 anos ago)

    Cuidado Mauro, vais entrar para a lista negra!

  49. Marco Antonio Barroso
    8 de outubro de 2015 at 8:19 (4 anos ago)

    Entendi sua reflexão e concordo em parte com a figura criada. Sim, acho que o maior defeito da gestão atual está no campo do futebol profissional, que precisa ser revista.
    As apostas tem que ser feitas com mais cuidado, por menos que ganhem, e devem vir sempre com o passe já com valor fixado – para que embrolhos como o do Vinícius não aconteçam mais, quando o jogador se revelar útil.
    Já os jogadores tarimbados, que venham para acrescentar experiência ao grupo, tem que ter seu histórico recente bem avaliado, para que não sejam apenas pesos mortos e salário a serem pagos, como o caso do Henrique, do W. Paulista, sem falar em jogadores que não podem somar de imediato, como Jonathan etc.

  50. Marco Antonio Barroso
    8 de outubro de 2015 at 8:22 (4 anos ago)

    Concordo, acho que o maior defeito da gestão atual está no campo do futebol profissional, que precisa ser revista.
    As apostas tem que ser feitas com mais cuidado, por menos que ganhem, e devem vir sempre com o passe já com valor fixado – para que embrolhos como o do Vinícius não aconteçam mais, quando o jogador se revelar útil.
    Já os jogadores tarimbados, que venham para acrescentar experiência ao grupo, tem que ter seu histórico recente bem avaliado, para que não sejam apenas pesos mortos e salário a serem pagos, como o caso do Henrique, do W. Paulista, sem falar em jogadores que não podem somar de imediato, como Jonathan etc.

  51. Marco Antonio Barroso
    8 de outubro de 2015 at 8:23 (4 anos ago)

    Infelizmente parece que o obvio não pass pelas laranjeiras:

    AYRTON na esquerda
    E JEAN na direita!

  52. Marco Antonio Barroso
    8 de outubro de 2015 at 8:24 (4 anos ago)

    E o Ayrton jogando muito bem no sub20… vai entender!

  53. Marco Antonio Barroso
    8 de outubro de 2015 at 8:34 (4 anos ago)

    Como escreveu um colega anteriormente: só um desastre tira a presidência da Flusócio, ou do candidato que for apoiado.

    Pensado na política comum, coias que aparecem estão sendo bem feitas, CT, Xerém, e isso dá voto.

    Só precisa fazer o dever de casa quanto ao futebol profissional e aprender com os erros cometidos este ano, o primeiro sem aporte de um patrocinador/investidor. Pois, o sócio-torcedor comum, como um brasileiro comum, não que saber de “austeridade financeira”, ele quer o time disputando títulos, e se contratar jogador caro que não joga, ele vai cobrar a incoerência (sem ver a sua própria).

    Eu vejo e sempre vi a “austeridade financeira” como algo positivo, bata saber fazer. Novamente, é só comparar com a política econômica comum; os países e empresas que optaram por ela a fizeram o dever de casa são os que menos estão sofrendo com a crise.

  54. Leandro
    8 de outubro de 2015 at 8:41 (4 anos ago)

    Concordo plenamente. É muito chato falar de eleição agora.
    ST

  55. Léo Jr.
    8 de outubro de 2015 at 8:50 (4 anos ago)

    O bom desempenho do time, de maneira regular, seja com a conquista de títulos, seja se destacando por jogar um futebol moderno e competitivo, com protagonismo frente aos demais grandes do país, passa necessariamente pela gestão do departamento de futebol.

    Está muito claro que esse é o calcanhar de aquiles da gestão Peter, excelente na gestão financeira e patrimonial, bem como na gestão do CTVL em Xerém, mas acumulando muitos erros naquilo que mais importa.

    O problema é antigo.

    Só que a gestão Peter, nesse ponto, está anos luz à frente da gestão do Horca.

    Basta lembrar que eram tempos áureos da Unimed, que derramava dinheiro para contratações de impacto e, entre muitos erros e poucos acertos, o Flu alternava a disputa de títulos com lutas contra o descenso, tal como acontece hoje, em dias de vacas magras financeiramente falando.

    Que o próximo nome da Flusócio, seja o MB ou quem quer que seja, assuma o firme compromisso de manter os avanços já conquistados até então, mas também de buscar a excelência na gestão da razão de existir do FFC, o futebol.

    ST

  56. Léo Jr.
    8 de outubro de 2015 at 9:00 (4 anos ago)

    Acompanho a Flusócio desde a sua origem, em tempos sombrios do Horca. Não participo muito das discussões, mas leio todos os posts, sem exceção, e boa parte dos comentários.

    O que me traz aqui todos os dias é a convicção de que a Flusócio busca sempre o melhor para o FFC, sem mesquinharias políticas, sem defender interesses de grupos isolados que têm aspirações puramente políticas e que não estão nem aí p/ o clube.

    Que a Flusócio se mantenha assim.

    Graças a esse grupo, o Flu parece ter dado uma guinada incrível em sua incrível história – quando parecia caminhar para a extinção – para iniciar a pavimentação de um futuro auspicioso, que todos nós esperamos.

    ST

  57. Fabio DB
    8 de outubro de 2015 at 9:11 (4 anos ago)

    Todas as contratações deveriam ser justificadas; feitas de forma transparente. Deveriam ser explicadas as razões do ponto de vista técnico/esportivo.

    Os custos dessas transações devem certamente ser avaliados por conselho do clube específico e divulgado relatório que deveria incluir os gastos considerados inadequados, se houver.

    Todas as transações com jogadores são investimentos do clube e/ou custos mensais adicionais e obviamente afetam diretamente o objetivo de AUSTERIDADE traçado pela própria FLUSÓCIO e pelos tricolores de bom gosto. Sem falar na questão moral/ética que deve ser fortemente acompanhada.

    ST

  58. Fernando Ventura Jr.
    8 de outubro de 2015 at 9:22 (4 anos ago)

    Lamento discordar um pouco de você, mas o Peter só esse ano está enfrentando a situação de não dispor da Unimed e quanto a boa gestão financeira ela se perde um pouco quando se contratam jogadores medianos ou fracos(Victor Oliveira, João Felipe, Breno, Ricardo, Lucas Gomes, Magno Alves e Wellington Paulista) com contratos com uma duração que foge ao bom senso.

  59. Fernando Ventura Jr.
    8 de outubro de 2015 at 9:24 (4 anos ago)

    Espero que apareça um terceiro candidato que não as duplas Peter/Mário e Celso/Horcades que apresente uma proposta que se adeque ao desejado pela Flusócio e a maioria da torcida.

  60. Fernando Ventura Jr.
    8 de outubro de 2015 at 9:27 (4 anos ago)

    Qual o embrolho do Vinicius? Ele assinou pré-contrato com alguém? Foi o Palmeiras de novo? Ele se descuidou e por isso está fora de forma?

  61. Flavio Chammas
    8 de outubro de 2015 at 10:07 (4 anos ago)

    Fernando, lendo vc , em seus posts voce só não concorda, mas com o que vc concordaria?

  62. PEDRÃO
    8 de outubro de 2015 at 10:10 (4 anos ago)

    Se vocês estivessem na reunião de opositores que presenciei teriam a certeza que é só a Flusócio escolher um candidato minimamente e reconhecidamente capaz de conduzir o Fluminense nos seus projetos de crescimento e austeridade que a galera vai junto . Eu até já tenho meu nome para candidato , mas aqui não é lugar para campanha política e também não acho que seja o momento . 2016 , com o Flu na série A , será um ano bem complicado e todo cuidado será pouco . Não teremos estádios no RJ e ainda por cima será ano de eleição , o que normalmente causa transtornos em qualquer clube . Portanto sugiro aos amigos que puderem que procurem se informar um pouco sobre as coisas do nosso Fluminense antes de dar seu voto a alguém . A campanha vai ser das mais agitadas , podem anotar .

  63. Dedé
    8 de outubro de 2015 at 10:13 (4 anos ago)

    Sei que num blog escrever muito fica chato, mas desculpem.
    Se tivesse áudio seria melhor.

    Nós não temos condições de ganhar títulos com a base.

    Explico.

    O nosso trabalho de base é bom. Essas últimas gerações bem próximas confirma o que já sabíamos, que era uma das melhores.

    Mas o que acontece?

    Num clube com dificuldade financeira vendemos essa molecada antes, bem antes do seu auge.
    O retorno técnico deles nós aproveitamos muito pouco, em sua fase ainda de maturação.
    Mas a gente precisa vender antes que eles sejam capazes de nos dar títulos.

    E, pior, nem sempre teremos uma boa geração. Umas são melhores que as outras.
    Num cenário em que poucos chegam é capaz de termos várias gerações que não noa dão nenhum tipo de retorno, seja técnico ou financeiro, porque é assim com a maioria dos jogadores de base, não só no Flu.

    Olha nosso caso hoje. Os jogadores que mais se destacaram no ano do meio pra frente, onde ocorrem as decisões no jogo, no Flu foram da base: Scarpa, MJ e Gérson.

    Olhemos para os elencos dos nossos rivais: Esses moleques não seriam titulares no Cor, no galo, no Grêmio, no Santos, no Palmeiras, no São Paulo e nem no Flamengo.
    Talvez daqui a uns dois anos Gerson e Scarpa virem grandes jogadores, mas provavelmente não estarão no clube.

    A conclusão é que por enquanto é vender molecada pra ter jogador pronto.
    E aí que o scout, o método, o estudo aparecem.

    O Barcelona, por exemplo, pode optar. No seu sucesso recente muitos apontaram o caminho das divisões de base pro sucesso de um clube.
    Isso é mentira o Barcelona é exceção e não regra.

    A regra é ter os melhores, conseguir os melhores através de captação.

    O Barça teve a sorte de subir com muita proximidade duas gerações com Xavi, Iniesta, Busquets, Piquet, Fábregas, Messi.
    E eles podem fazer a opção de vender ou não e esperar, como fizeram.
    Fosse o Flu todos teriam saído aos 18 anos.

    Com o fim próximo dessa geração o Barcelona sabe que não terá outra. Por isso foi a mercado buscar a maior revelação do fut mundial, o Neymar, o Suarez e agora vai tentar o Philipe Coutinho, todas contratações baseadas e de acordo com seu modelo de jogo, esse sim, não muda.

    Esperar a base pra brigar por título e ser competitivo em cima é inviável hoje.

    Pode ter um título conjuntural aqui e acolá, mas de um modo geral não dá porque antes dos moleque vingarem temos que vender.

  64. allan
    8 de outubro de 2015 at 10:25 (4 anos ago)

    Muito bom o post.
    Estava aguardando o posicionamento da Flusocio. Esperava que lançasse um nome da própria Flusocio e não, simplesmente, apoiasse alguém.
    Estava muito preocupado que fosse apoiar o mais vaidoso.
    Pelo conteúdo do post fiquei mais tranquilo.
    Certamente o MB não terá o apoio da Flusocio.
    Quem torra mais de 1 milhão por mês com Xepas de quinta categoria e com contratos longos, sem nenhuma responsabilidade financeira com os escassos recursos do FFC não pode se enquadrar no perfil descrito no post.
    Ainda mais nesse momento, o primeiro sem o antigo patrocinador.
    A coisa, pelo visto, caminha pra termos ENFIM um candidato próprio.

    ST

  65. Fernando Ventura Jr.
    8 de outubro de 2015 at 11:00 (4 anos ago)

    Flávio, você parece ver só coisas boas e até por isso se diz um Poliana. Aceito que alguns são excessivamente pessimistas, mas não se pode fechar os olhos para coisas tão claras e cristalinas.
    Você gostou dos laterais, zagueiros e atacantes contratados? Por que dizem que todos vieram de um ou outro empresário? O Fluminense prioriza a técnica do jogador ou agradar empresário A ou B? Não basta que o sujeito seja honesto, ele tem que parecer honesto.
    Mesmo os pontos bons me parecem obscuros. No caso do CT foi entregue a uma pessoa que está fazendo a obra avançar, mas o que foi ventilado na imprensa ele estaria usando dinheiro do próprio bolso. Se for o caso, como ele cobraria? Participação na venda de jogadores? Que jogadores? Scarpa, por exemplo?

  66. Heleno Mattoso
    8 de outubro de 2015 at 11:01 (4 anos ago)

    Dedé, concordo com você! Mas hoje é inviável porque não temos um modelo de jogo moderno, como você mesmo diz estamos na idade da pedra no que tange o futebol profissional. Não há um padrão, cada diretor, cada técnico e cada comissão que passam no clube, se divergem totalmente em conceitos e nós torcedores somos reféns que um destes acertem o alvo e possamos ganhar um título aqui ou acolá. Quando este sai, o ciclo começa tudo de novo, estamos constantemente em período de transição.

    Se tivéssemos um modelo, poderíamos sim fazer essa mescla de juventude com experiência. As contratações passariam a ser voltadas e encaixadas ao MODELO proposto. Como não temos isso, é difícil um garoto estourar, assim como é pouco provável que algumas contratações, tanto de técnico como jogadores deem certo!

    Cade o MODELO? Se não há um MODELO, então não há balizadores que limitem as tomadas de decisões. Isso reduz muito as chances de acerto e o resultado é este que estamos vendo.

    ST,

  67. Sergio H. Muzitano
    8 de outubro de 2015 at 11:04 (4 anos ago)

    Perfeito Dedé,
    E quem fatura menos, precisa errar menos também!
    Erramos muito no meio do ano.
    Somente times com craques e elencos fortes conquistam campeonatos brasileiros! Vide os nossos de 2010 e 2012!
    Temo nos tornarmos um Clube estruturadinho, ajeitadinho, mas que porém não conquista porra nenhuma, como nos casos de Coritiba, Atlético PR entre outros e olha que esses possuem estádio!

  68. Flavio Chammas
    8 de outubro de 2015 at 11:39 (4 anos ago)

    Fernando,debatendo somente, sem polemizar, a diferença é que eu não vejo só as coisas ruins(segundo sua opinião), mas priorizo as boas e critico as ruins, mas construtivamente (poliana é por conta do meu fã clube, sou mesmo é positivista).

    Só para esclarecer alguns ponto que vc colocou:

    Todos os contratados não servem?

    Quais os nomes vc sugeriria para contratação?

    Ficar esperando um nome e depois dizer que não serve ajuda em que?

    Scout que acerta 20% é muito bom, 30% é gênio, então o risco é sempre grande.

    Exemplos aqui mesmo, nomes que concordamos(maioria aqui): Edson e Vinicius.

    De sã consciência, vc acha que eles estão barrados por futebol ou outros problemas junto com a caída técnica?

    TEM ALGO MAIS NISTO POIS ERAM BONS JOGADORES E TITULARES.

    Falar em mesmos empresários, vc sabe quantos dominam o mercado?

    E a quanto tempo são os mesmos?

    Falar em honestidade, em parecer?

    Honestidade é obrigação de todos, não é qualidade, e até prova em contrário, acredito na de todos, não me permito afirmar algo sobre alguém, baseado em ouvi falar.

    Sobre o CT, vc precisa ler mais pois o Pedro Antonio tem acertado forma de pagamento, e tudo sobre isto já foi objeto até de post aqui mesmo.

    Ele é um tricolor que se propôs, confiando na administração atual, a disponibilizar dinheiro seu, e perincipalmente seu tempo para construir nosso CT.

    Tricolores assim são raros e devem ser valorizados, e até o seu questionamento deveria ser melhor esclarecido, pois ele vem sempre por aqui.

    O QUE EU QUERO É QUE A POLITICAGEM SEJA DEIXADA DE LADO, E QUE SE PENSE NA INSTITUIÇÃO, NÃO EM VAIDADES PESSOAIS DOS OPOSICIONISTAS

  69. PEDRÃO
    8 de outubro de 2015 at 12:04 (4 anos ago)

    Desculpe discordar mas na década de setenta o clube era um lixo . Vivia mais cheio , sim até porque o clube era bem mais competitivo nos esportes olímpicos e as pessoas não tinham tanta opção de laser como hoje . Frequentar piscinas era luxo para poucos e os que podiam enchiam os clubes nos fins de semana . Não vou nem falar do depto. de futebol que dá vontade de chorar só de lembrar o time de craques da Máquina treinando num campo literalmente sem grama usando tênis Rainha pois não se podia usar chuteiras naquele areal . ST .

  70. Ricardo Guerreiro
    8 de outubro de 2015 at 12:16 (4 anos ago)

    Bola furada!

  71. Fabio DB
    8 de outubro de 2015 at 12:28 (4 anos ago)

    Depoimento muito interessante.

    Por essas dúvidas e outras mais que eu e outros aqui pedimos que o FFC construa um processo/sistema com base nas mídias digitais para ser o próprio clube o gerador das suas notícias.

    No final é tanta gente falando que fica difícil saber a realidade das coisas mesmo para quem acompanha sempre. Imagina um torcedor que acessa um notflu da vida eventualmente.

    O clube está fragilizado por falta de defesa institucional em diversos níveis.

    Ano que vem vai ser difícil ser atleta do clube ou mesmo torcedor tamanha confusão será criada.

    Será mais um ano de fracassos. Não há como sobreviver ao caos semanal.

    ST

  72. Ricardo Guerreiro
    8 de outubro de 2015 at 13:08 (4 anos ago)

    Fico pasmo quando escuto que a redenção do clube está nas Laranjeiras. Ora, o objetivo tem que ser lotar o maracanã e não jogar para 25 mil caso o estádio seja remodelado, o que não acontecerá! Ter estádio, CT e base, todos eles, não garantem títulos, ajudam! O que precisamos são times fortes e o resto tudo vai andar, marketing, comunicação, receita, sócio torcedor, etc. Se continuarmos nesta gangorra esportiva, agora agravada pela falta do farto dindim da Unimed e abissal diferença de cotas, vamos continuar também nesta gangorra institucional. Uns anos melhores, outros nem tanto, e pior, alguns tétricos.

  73. Vitor Perez - Resende - RJ
    8 de outubro de 2015 at 13:27 (4 anos ago)

    Tudo passa por métodos. Método de contratações, de treinamentos, de observações. Temos que ter um planejamento traçado, e segui-lo.
    Qual o planejamento de hoje? Mescla de jovens com jogadores captados pelo scout e medalhões. Ok
    Antonio Carlos, Wp magro alves, RG eles não podem fazer parte de um planejamneto num clube como fluminense. Peecisamos ser muito criteriosos com contratações desse tipo, pois são caras. As apostas foram apostas mesmo e se for de baixo custo.. ok. Mas na parte de contratações de nego experiente tem que ser muito estudado.
    Tenho certeza que com a base que ficou ano passado, alguns garotos da base, e se as contratações fossem feita com um bom critério, não estaríamos nessa fase.
    O que un pereba com nome ganha, e um jogador bom ganha, se vc for analisar a diferença é pouca. Basta pesquisar

  74. Fabio DB
    8 de outubro de 2015 at 13:43 (4 anos ago)

    Um ponto bastante discutido é quanto ao uso da base. Hoje os maiores times do mundo, Barcelona, Bayern, etc, usam a base como elemento central e estratégico para a formação de suas equipes.

    Os caras trabalham de forma muito simples e racional, pelo que notei:
    1- Os times são montados com prioridade para os atletas da base.
    2- Se há uma posição deficiente por não ter sido suprida pela base é contratado um jogador de fora, claramente acima do disponível na base.
    3- Para dar ainda maior experiência e categoria extra classe, alguns poucos jogadores cascudos e consagrados se juntam ao grupo.

    No caso do FFC poderíamos tranquilamente ter 70% do elenco formado por jogadores da base (21 atletas). Os outros 9 (totalizando 30, por exemplo) seriam contratados pelas razões citadas acima (dar ainda maior experiência e categoria extra classe e/ou se há uma posição deficiente por não ter sido suprida pela base).

    A verdade é que temos EXCELENTES jogadores na base que foram subvalorizados.

    Não posso esquecer de dizer que esse ano o uso da base foi histórico. Há anos não tínhamos um sucesso tão grande. Mostrando que a estratégia proposta acima é razoável e viável. Me parece até que o clube caminha para essa direção.

    Pessoalmente tenho certeza que poderíamos montar um TIMAÇO dessa forma. Especialmente se for feito um planejamento de médio prazo com essa finalidade.

    ST

  75. Fabio DB
    8 de outubro de 2015 at 14:25 (4 anos ago)

    Nem a mim. A intenção do Flavio sempre me pareceu a melhor possível. É claro que não concordamos com tudo. Mas a intenção é sempre positiva e construtiva, com olhar pró FFC.

  76. Dedé
    8 de outubro de 2015 at 14:25 (4 anos ago)

    Duas coisas:

    1 – A situação do Jonathan é um absurdo. Se o cara só pode jogar em 2016, por que não pode ficar treinando nas Laranjeiras, pra depois ser avaliado e só ser contratado se estiver tudo bem? Vem de longa inatividade, o mercado não o procurou, deve estar todo ferrado fisicamente e mesmo assim vem recebendo do Fluminense pra apurar a forma. Surreal.

    2 – Viram a entrevista do Scarpa? Desde que o Eduardo chegou é só isso que a gente ouve: Fechar a casinha. Nada mais retrógrado. E aí o time fica tão lá atrás que o adversário chuta 15, 18, 19 vezes por jogo no nosso gol. Podíamos ter saído da Vila com uma goleada histórica. Tem gente que gosta, que acha épico ganhar jogo assim.
    Eu detesto.
    Outro momento que chama a atenção é que ele afirma o que falamos aqui todo dia. Seria emprestado. O que mostra que tivemos foi sorte, não foi planejada a utilização dele no time profissional esse ano.

  77. Dedé
    8 de outubro de 2015 at 14:27 (4 anos ago)

    Antes de contratações e utilização de métodos devemos saber como queremos jogar, qual a nossa ideia do jogo.

    Partindo disso busca-se um treinador capaz de executá-la, daí vem a montagem do elenco e o aproveitamento ou não dos que lá estão.

  78. Luiz Mattos
    8 de outubro de 2015 at 14:30 (4 anos ago)

    Não entendi. Temos que vender pq? Para pagar ex-jogadores que nossa única torcida é para não cair? Qual a lógica disto?

  79. Pedro Martino
    8 de outubro de 2015 at 14:37 (4 anos ago)

    Assino embaixo.

  80. Luiz Mattos
    8 de outubro de 2015 at 14:39 (4 anos ago)

    Pelo visto vc não acompanhava o Flu nos anos 90. Ali sim nós caminhávamos a passos largos para a extinção.

  81. Luiz Mattos
    8 de outubro de 2015 at 14:42 (4 anos ago)

    Fabio, vc acha que 2010 foi ano de fracassos?

  82. Vitor Perez - Resende - RJ
    8 de outubro de 2015 at 14:56 (4 anos ago)

    Lógico. não é tão complicado.
    Se você quer montar um elenco para um ano sem grana, e focar nas condições físicas para um time de pegada e que jogue no contra ataque, busque jogadores com pegadas,. com força física, e atacantes rápidos, com um treinador que tenha isso na sua filosofia de jogo. Se você quer um time com a posse de bola, busque jogadores e treinador que tenham e façam o time jogar dessa forma.
    todos os clubes que querem um time compacto, com a defesa como maior virtude, buscam Antelocci, se querem um time cuja a estratégia á a posse de bola, com movimentações, triangulações para ir quebrando as linhas adversárias, busque um Pep Guardiola, e por aí vai.

  83. Fabio DB
    8 de outubro de 2015 at 15:08 (4 anos ago)

    Outro ponto muito falado é quanto a formação do elenco desse ano.

    Para discutirmos esse tema ELENCO 2015, precisamos voltar a 2014.

    1- Em dezembro de 2014 a Unimed anunciou repentinamente o fim do patrocínio.

    2- No mesmo momento o Celso Barros avisa que não vai mais pagar o que estava no contrato, os direitos de imagem com vários jogadores (Fred, Conca, Cícero, etc.). Aliás, dizem que os problemas de pagamentos já ocorriam há tempos.

    3- Estava implantado o caos e a insegurança. Foi decido então que alguns jogadores do elenco seriam bancados integralmente pelo clube de forma emergencial. Acontece que esses jogadores estavam acostumados e tinham salários/ganhos absurdos.

    4- O FFC foi OBRIGADO pelas circunstâncias a gastar muito mais do que estava previsto para criar um mínimo de estabilidade através da manutenção da chamada espinha dorsal: CAVALLIERE, GUM, JEAN, WAGNER e FRED.

    FOI UMA DECISÃO PERFEITA! NECESSÁRIA. PORÉM A CUSTOS ALTOS. MAS NÃO HAVIA ESCOLHA. Questão de sobrevivência.

    5- Ao mesmo tempo foram contratadas apostas com salários baixos (Vinícius, Giovanni, etc) para compensar a saída de jogadores que não tiveram contrato renovado e segundo a nova realidade do clube. OUTRA DECISÃO CORRETA.

    6- Notou-se durante o primeiro semestre que algumas das apostas não dariam resultado no curto prazo, ao mesmo tempo em que ficou evidente a FALTA DE CASCAS GROSSAS na equipe, que passou a ter uma idade média muito baixa e pouco experiente, principalmente com a entrada dos jogadores novos e os da base.

    7- Dentro da lógica acima, CORRETAMENTE foram então contratados jogadores mais experientes. Como o Magno Alves, AC, W. Paulista, Pierre, Ronaldinho Gaúcho, Osvaldo, o retorno do Cícero e mais recentemente a chegada do Jonathan.

    Pessoalmente fui a favor das contratações de AC, Pierre, Ronaldinho Gaúcho e Osvaldo e a volta do Cícero. Fui neutro em relação a Magno Alves, W. Paulista e Jonathan.

    8- Esses novos jogadores não encaixaram, alguns estão muito abaixo do que podem. Mas chegaram faz 2 ou 3 meses, num ambiente confuso.

    —————————

    Então esse é o resumo de 2015, na minha ótica. A estratégia utilizada pelo Mário e pelo Fernando foi CORRETÍSSIMA. A execução (contratações feitas) da estratégia não surtiu o efeito esperado. Algumas (em especial as apostas) de difícil explicação.

    De uma forma geral 85% do realizado, no que se refere a elenco, teve a MINHA APROVAÇÃO COMO TORCEDOR.

    Então preciso ser honesto e reconhecer os acertos. Portanto, NÃO ME INCLUO no grupo dos que só veem erros no que foi feito.

    ST

  84. Flavio Chammas
    8 de outubro de 2015 at 15:28 (4 anos ago)

    Fabio
    Vamos aqui debater um pouco.
    Há certas coisas que viram verdade absoluta, mas é só uma analise com atenção e vemos que não é bem assim.

    O barça tem quantos da base jogando hoje?

    Xavi e Iniesta vieram juntos com Messi desde a base.

    Depois deles quem mais?

    Falam em La Masia, em forma de jogar desde a base, e tem contratados inúmeros jogadores diferentes e vão os adaptando.

    Vendem e compram com o poder da grana.

    Me digam onde está a escola de formação tão endeusada?

    O scout deles é tão bom assim?

    Quais as apostas que deram certo?

    O Murici fala que gostaria de ser estrangeiro para a nossa mídia burra o incensar, pois adoram um.

    Osorio é exemplo, se qualquer outro treinador daqui fizesse o que ele fez, era pardalzice.

    Mesma coisa para o Bayern, quem é da base , qual a formação deles?

    Sistema novo com o Guardiola?

    Se estivesse aqui e escalasse uma defesa sem um zagueiro SAIA PRESO DO CAMPO.

    Estes times jogam com os melhores do mundo, acho que não tem um jogador que não seja da seleção do seu país, assim o scout é 100%.

    A nossa base, se não fosse a necessidade/obrigação de vender pelo passivo herdado, seria muito boa, para os padrões atuais.

    Não sou estudioso de futebol, mas leio e vejo muitos jogos, vejo os comentários de diversos para formar o meu.

    São perguntas faceis de responder?

    Vamos pensar sobre elas.

    Acho que estamos no caminho certo, apesar de algumas apostas não darem certo, mas seu raciocinio sobre as contratações foi perfeito

  85. Claudio Souza
    8 de outubro de 2015 at 15:39 (4 anos ago)

    Heleno,

    Custa-me acreditar que a contratação das xepas seja resultado de incompetência. Quem contrata o Vinícius não contrata o Breno Lopes e outros tantos que mal entraram em campo.

  86. Dedé
    8 de outubro de 2015 at 15:43 (4 anos ago)

    Chammas amigo, você não deve estar acompanhando muito não, kkkk.

    Algumas correções pra você continuar seu debate:

    1 – Xavi hoje não é mais jogador do Barcelona

    2 – Xavi não subiu junto com Messi, é de outra geração. Messi é mais jovem que ele e Iniesta.

    3 – Meio time titular do Barça hoje é formado no clube.
    Piquet, Alba (saiu jovem mas passou lá), Busquets, Iniesta e Messi.

  87. Claudio Souza
    8 de outubro de 2015 at 15:44 (4 anos ago)

    Gosto mais quando você escreve assim. 😉

  88. Claudio Souza
    8 de outubro de 2015 at 15:49 (4 anos ago)

    Quem assistiu a entrevista do Leonardo (ex-lateral-esquerdo/volante) na ESPN percebeu que a linha que ele defende é bem essa. Antes mesmo de definir uma comissão técnica e as pessoas que trabalharão no futebol é fundamental que o clube defina que futebol pretende colocar em campo. Concordo plenamente com isso. Só não sei se há material humano disponível e em número suficiente no mercado para trabalhar assim. Se não há, o clube tem que investir também nessas pessoas. Não entendo o porque de o Flu não colocar os técnicos da base nos cursos da UEFA. Dá pra fazer contratos amarrados salvaguardando ao menos os valores investidos caso , ao final dos cursos, o sujeito zarpe para um rival. Nomes como Marcão na comissão técnica, nos dias de hoje, soam como algo ridículo.

  89. Claudio Souza
    8 de outubro de 2015 at 15:52 (4 anos ago)

    Tem que vender porque os garotos rendem uma grana preta da qual o clube precisa e vai precisar enquanto tiver a dívida astronômica que tem. Agora, se ao contratar jogadores mais experientes, contrata xepas, aí é outra questão que precisa ser resolvida, mas a venda dos jovens faz parte do processo de saneamento financeiro e não vejo como ser diferente.

  90. Claudio Souza
    8 de outubro de 2015 at 15:53 (4 anos ago)

    Também acho.

  91. Claudio Souza
    8 de outubro de 2015 at 15:54 (4 anos ago)

    Pelo trabalho na montagem do elenco de 2015, acho hoje o MB o menos pior e eu detesto votar no menos pior. Não merecemos isso.

  92. Daniel Trindade
    8 de outubro de 2015 at 16:10 (4 anos ago)

    E preciso calma e responsabilidade na escolha do próximo candidato.

    O Fluminense não precisa de aventureiros!

  93. Fabio DB
    8 de outubro de 2015 at 16:14 (4 anos ago)

    Flavio, do elenco principal do Barcelona temos, hoje, 11 dos 24 jogadores com passagem pela base, ou seja, cerca de 46%. Um percentual significativo na minha opinião.

    Link—> http://www.fcbarcelona.com/football/first-team/staff

    O Barcelona é um clube milionário e pode se dar ao luxo de inserir alguns craques internacionais. No nosso caso, com pouca verba, acho que 70% (ou um pouco menos) do elenco pode ser um objetivo razoável e realista.

    Mas claro que isso vai depender da safra e da competência da escolha dos jogadores da base. Em tese, há milhares de jovens rezando por uma oportunidade.

    Não é possível que não tenhamos uma “produção” de joais de forma sistemática e consistente. Basta trabalho e correção!! Sem empresários inserindo seus apadrinhados perebas.

    Os empresários (e dirigentes sacanas) são a maiores pragas que podem assolar a base de um clube..

    ST.

  94. Flavio Chammas
    8 de outubro de 2015 at 16:27 (4 anos ago)

    Fabio dentro desta linha concordo com voce , mas temos quantos no nosso?

    Eu entendo como voce a base, mas temos amigos aqui que só consideram os craques diferenciados.

    Um time é feito de 4/5 bons, se tiver um craque e o restante é de trabalhadores mesmo, de medios para bons que formarão um time e o plantel.

    Como vc mostrou do barça, com a diferença de que eles tem pelo menos 4 diferenciados, uns 4 muito bons e o “carregadores de piano”, além de reservas no mesmo nível em boa parte do elenco.

    Mas se já conseguimos formar alguns, para vender e se reorganizar, outros para jogar e segui trabalhando, entendo ser o melhor caminho o que escolhemos, e dele não podemos fugir.

    O problema é a pressa e ai se coloca o chapéu onde não se alcança.

    Neste ano,em que íamos falir e fechar, penso que o Mario e o Fernando se empolgaram com o começo do time e saíram um pouco do planejamento.

    E nem considero o R10, que foi mais uma jogada de risco mesmo, mas o caminho é austeridade, muito trabalho, Xerem,CT, a separação do futebol do social( que deve se sustentar) e liquidar o passivo sem criar novo.

  95. Flavio Chammas
    8 de outubro de 2015 at 17:18 (4 anos ago)

    Obrigado Dede, mas pelo que colocou entendo que meu raciocínio é certo.

    Só citei o Xavi pelo nome e tempo que jogou, e ai acrescentaríamos o Puyol também.

    Teve uma geração ou pouca mistura delas, que deu liga, e desses que voce citou, os zagueiros são fracos, só jogaram bem pelo esquema de jogo de ficar muito com a bola.

    É só ver agora, que eles compram zagueiros um atras do outro para acertar o buracão.

    E destes novos da base quem é craque?

    E qual o sistema ou plano de jogo que vem desta base?

    Com Messi, Suarez e Neymar num ataque, até eu nos bons tempos jogava nesta defesa.

  96. Claudio Souza
    8 de outubro de 2015 at 17:23 (4 anos ago)

    Há que se lembrar que o Barcelona leva garotos de outras nacionalidades para La Masia e isso acontece por força da grana (que permite bancar a família do garoto até que ele “dê caldo”) e do fascínio que a marca Barcelona provoca em qualquer garoto no mundo inteiro. Quantos dos jovens ESPANHÓIS vindos da base do Barça prometem ser futuros Xavis, Iniestas, Busquets ?

  97. Paulo Cavalheiro - Santos - SP
    8 de outubro de 2015 at 17:42 (4 anos ago)

    Ele não tem condições físicas para jogar, independentemente de ter vindo antes ou depois de EB.

  98. Fabio DB
    8 de outubro de 2015 at 18:17 (4 anos ago)

    Não faço ideia Claudio.
    Mas no nosso caso, há milhares de Gersons, Kenedys e Edinhos esperando apenas uma chance justa.
    ST.

  99. Ricardo Guerreiro
    8 de outubro de 2015 at 19:53 (4 anos ago)

    Deve ser alguma moderníssima técnica de gestão que não conhecemos: Pagar para sequer poder jogar. E tem gente que defende este tipo de absurdo e outros.

  100. André Pereira
    9 de outubro de 2015 at 1:54 (4 anos ago)

    Fala Fábio.
    Eu não iria tão longe,
    Acredito que houveram mais erros do que acertos e penso que com essa experiência, podemos evoluir para 2016.
    Infelizmente boa parte do orçamento está comprometida por inexplicáveis longos contratos.
    Teremos que ser mais criativos e o marketing terá que mostrar mais do que troca de nomes para trazer mais e mais sócios.
    Houveram muitos erros. Não apontá-los ao final do ano será uma atitude de complacência e não gerará crescimento, uma vez que não se melhora o que está indo bem.
    Apenas minha opinião.
    Grande abraço!

  101. André Pereira
    9 de outubro de 2015 at 2:18 (4 anos ago)

    Caro Ernesto;
    Várias e varias vezes eu discordo do colega Flávio. Por varias vezes ele sequer me dá o beneficio de uma resposta, mas sinceramente, acredito completamente na sinceridade dos seus posts.
    Eu o vejo como um positivista incurável.
    Tanto lutamos aqui pelo fim da patrulha às críticas construtivas, mas muitos fazem patrulha também aos comentários dos positivistas.
    Que espécie de democracia é essa, onde lutamos pelo direito de criticar, mas tiramos o direito aos elogios e/oi defesa?
    Não conheço o colega Flávio, na tenho qualquer procuração, mas o respeito e sempre vou lutar por um espaço democrático.
    Assim como já debati por aqui para que deixassem os críticos criticarem e parassem de achar que tudo era politicagem, vou defender o colega pelo direito dele de ser um positivista sem que questionem a sua honra.
    Nossa torcida é diferenciada e, Lara mim, todo tricolor é e sempre será idôneo até que se prove o contrario.

  102. Rafael tricolor
    9 de outubro de 2015 at 14:21 (4 anos ago)

    Tentarei ser breve. Acho o esforço do Peter em tentar melhorar a caótica situação financeira do clube louvável. É inegável que ele, quando assumiu, pegou uma verdadeira “bomba-relógio” nas mãos, com atrasos de impostos, execuções trabalhistas sem fim e receitas comprometidas. Hoje, embora a situação esteja longe de ser tranquila, já melhorou um pouco.

    No entanto, não dá para negar que, dentro das 4 linhas, o desempenho de sua administração tem deixado a desejar. Até agora nenhum título conquistado, um rebaixamento a série B (Depois revertido no tapetão – Caso LusaGate) e pouca defesa institucional. Considero-o um cara educado mas sinto falto de um presidente que fale mais, que apareça mais nos momentos de crise.

    A flusócio, que ajudou a elege-lo, sob a alegação que sua administração revolucionaria o clube, deve redobrar o cuidado na hora de apontar o seu próximo candidato. Não acho que o Peter, se comparado aos outros candidatos, tenha sido uma escolha ruim, porém, está longe do perfil de presidente que eu considero ideal. É preciso uma pessoa mais enérgica e presente no dia a dia do futebol do clube. O presidente é a figura principal da instituição e, sendo assim, deve agir como tal. Não dá para ficar delegando tanto.

  103. Rubem Moreira
    9 de outubro de 2015 at 17:49 (4 anos ago)

    Brasileiro de 2012 e Carioca do mesmo ano,por acaso não são titulos ?

Deixe um Comentário