Pelas três cores

laranjeiras_fachada

Há décadas o Fluminense sofre com graves problemas financeiros. Temos uma dívida de mais de R$ 631 milhões, construída ao longo de toda nossa história. Embora boa parte disso esteja embutida em refinanciamentos, é um fardo pesado demais para o momento do clube. O problema principal são as dívidas bancárias altíssimas, acima dos R$ 110 milhões, o fluxo de caixa comprometido e as despesas financeiras com juros e atualização monetária, que consomem boa parte do orçamento de aproximadamente R$ 220 milhões. Por exemplo, só com juros bancários foram gastos mais de R$ 11 milhões no ano de 2017.

A diretoria atual está se esforçando, embora ainda não seja suficiente. Para o ano de 2018, os poucos investimentos priorizaram jogadores escolhidos por scout técnico e sem custo de aquisição, tais como Nathan Ribeiro, Dódi, Gilberto, Jadson e Luan Peres. A folha de pagamento do Depto de Futebol, considerando jogadores, funcionários e encargos, precisou ser reduzida de aproximadamente R$ 7 milhões para pouco mais de R$ 3 milhões. Mas mesmo assim o Flu tem dificuldades para honrar seus compromissos. Os motivos são inúmeros, mas dentre os principais podemos citar os seguintes:

1) No início do ano, a Procuradoria Geral da Fazenda Nacional (PGFN) impôs ao clube um bloqueio de 30% de todas as receitas para pagamento de multa relativa ao caso Wellington Nem, vendido em 2013, transação que no entendimento da PGFN desrespeitou um bloqueio integral de receitas vigente na época, algo que na prática inviabilizava o clube. Mas o próprio Governo Federal já celebrou por lei acordos de refinanciamento (REFIS e PROFUT) das dívidas que deram origem ao bloqueio do dinheiro naquela época. Enquanto o Fluminense questiona a situação judicialmente, com esforço o clube conseguiu junto ao STJ, via liminar, uma redução para 15% do bloqueio atual nas receitas. Desta forma, o Tricolor conta atualmente com apenas 85% de sua receita orçada para 2018;

2) Em meados de 2017, o TJ-RJ decidiu impor ao Fluminense uma revisão no contrato que o clube possui com a Odebrecht. Com o Maracanã fechado e sem previsão de reabertura, o clube entrou na Justiça para fazer valer seu contrato nas vésperas da partida contra o Liverpool-URU, pela Copa Sul Americana. E conseguiu. Mas na sequência a empresa alegou desequilíbrio por conta da mudança no plano de negócios, com a retirada do escopo da concessão, por parte do Governo do Estado do RJ, do Edifício Garagem e do Shopping que estavam previstos para as áreas do Museu do Índio e do Célio de Barros, respectivamente.

O Consórcio Maracanã passou então a pleitear a cobrança de aluguel e outros itens que não estavam previstos no contrato inicial com o Fluminense, pois na prática sobrou apenas o “match day” como principal forma de remuneração do contrato de concessão. O TJ-RJ infelizmente acatou essa tese via liminar, impondo ao Fluminense um custo médio de R$ 480 mil para jogar no estádio, dentre despesas operacionais e aluguel de R$ 100 mil fixos por partida (para o CRF, o custo é maior). Com isso são necessários cerca de 17 mil pagantes, considerando ingresso de R$ 50,00 (inteira), para zerar os custos do borderô. Infelizmente, no campeonato brasileiro de 2018, apenas no jogo contra o São Paulo esse patamar foi alcançado; em todos os demais o Fluminense “pagou para jogar” com prejuízo médio de R$ 200 mil por partida;

3) Penhoras: Neste ano as contas do clube já sofreram penhoras para pagar alguns processos antigos, por exemplo, a dívida com o gerente financeiro Humberto Palma, principal executivo da gestão Horcades, e com o jogador Dieguinho, que atuou no clube em 2009. Outros problemas do gênero também aconteceram.

4) O mercado de patrocínios infelizmente segue recessivo com a crise que assola o país. Outros clubes como Vasco e Corinthians sofrem sem patrocinadores master e o nosso também atrasou algumas parcelas. Os patrocínios menores que eram expressivos, como a Frescatto, infelizmente tiveram que se desligar por conta do aperto financeiro.

5) Nosso número de sócios não é suficiente para fazer frente às despesas e nem para equilibrar em investimentos com nossos rivais, é preciso crescer neste item. A torcida é o suporte econômico da sua paixão em qualquer clube e se não for desta forma, investir torna-se um desafio quase intransponível.

6) Até o fim da parceria com a Unimed, que rescindiu com o clube em dez/2014, havia o investimento que provocava o sopro de competitividade que nos permitia sonhar. Mas desde jan/2015 o parceiro se foi, sofreu intervenção federal da ANS, e de uma hora pra outra o clube foi obrigado a fazer 100% do seu futebol sozinho. Essa saída sem transição também contribuiu para um aumento abrupto das despesas;

Hoje está claro que, em janeiro de 2015, o Fluminense deveria ter apostado em sua base e em reforços pontuais. A estratégia de elenco para 2018 precisava ter sido usada já em 2015. Mas a decisão de celebrar novos contratos caríssimos (e muitas vezes longos) com os jogadores que tinham patamar salarial Unimed agora cobra seu preço. Ainda houve aumento de gastos com Ronaldinho, Oswaldo, Cícero e Pierre, atletas caros que chegaram em meados do ano, na esteira dos recursos extraordinários oriundos da venda do Gerson, a melhor da história do clube, e das luvas do contrato Globo para 2019-2024. Em 2016, o padrão de gastos continuou com as contratações de Henrique Dourado, Henrique, Marquinhos, Richarlison e os equatorianos Sornoza e Orejuela, todos com elevado custo de aquisição. Apenas no intervalo entre 2015 e o início de 2016 tivemos cinco comissões técnicas, com todos os custos de rescisão que representam seus desligamentos. Ainda houve investimento alto no Centro de Treinamentos, este ao menos um ativo importante para a eternidade, e gastos elevados na adesão ao PROFUT e na quitação da dívida com o Porto pela contratação do atacante Walter. O grande problema foi fazer tudo ao mesmo tempo.

Nós da Flusócio também falhamos, pois poderíamos ter sido mais diligentes, assim como todo o Conselho Deliberativo da época, que era uma composição com os grupos Tricolor de Coração, Democracia Tricolor e Ideal Tricolor. Todos os principais grupos que hoje se apresentam como oposição tinham cargos no Conselho Diretor da gestão Peter Siemsen. São exemplos disso Cacá Cardoso (pertencente ao grupo Flu 2050, Vice Jurídico até 2015), Sady Monteiro Jr (pertencente ao grupo Tricolor de Coração, Vice Financeiro em 2015 e 2016), e Mário Bittencourt (hoje também integrante da Tricolor de Coração, Vice de Futebol de 2014 até o campeonato carioca de 2016). Embora hoje esteja claro que tais investimentos à época estavam sendo realizados com receitas que não eram ordinárias, ninguém atuou para impedir tais contratos. Pelo contrário, alguns dos que agora se colocam como solução foram tomadores diretos de muitas daquelas decisões. Hoje o clube infelizmente paga o preço delas em suas finanças.

Mesmo com o desgaste da perda de narrativa por também ter sido aliado na gestão anterior, o presidente Pedro Abad se propôs a dar o “cavalo de pau” que precisava ser dado, e vem mantendo o mesmo norte de redução de despesas para reequilíbrio orçamentário desde o início do seu mandato, além de manter uma única comissão técnica até o pedido de demissão do treinador Abel Braga.

Mas apenas reduzir o custeio não basta. O grande desafio é subir o patamar de receitas para atingir novamente o reequilíbrio econômico, algo que só será possível através de dinheiro extraordinário. Uma vez recuperada a estabilidade financeira, o Flu naturalmente voltará a intensificar investimentos para crescer de forma sustentável.

Se a torcida estiver junto, o Fluminense tem todas as chances de se reerguer. Sim, o clube já suportou situações piores e sempre será viável se todos os tricolores estiverem no mesmo barco, mesmo nos momentos difíceis. A pregação de ódio, de abandono nos jogos e de saída de sócios é algo que não ajuda a nossa instituição.

  • Rafael Frenk

    A única culpa da Flusócio, durante OITO ANOS, foi “não ter sido mais diligente” (!!!!!!) Olha, se vocês tivessem a mesma competência de terceirizar culpa para realmente fazer algo de útil ao Fluminense, estaríamos voando. Ninguém mais compra esse discurso raso e barato. São OITO ANOS com a caneta na mão, não há mais defesa que se sustente. Na boa, voltem para a arquibancada.

    • luiz

      Clap Clap Clap

      Estão de brincadeira esses flusocianos !!!!

  • Francisco Junior

    Não entendo essa politica de austeridade do clube, que sem dinheiro abre mão das principais peças de graça, sem ao menos tentar trocar por peças mais baratas. Pior vai ao mercado traz 10 reforços todos de origem duvidosa, e apenas 2 são titulares, fica dificil apoiar assim, ja passamos por situações mais dificeis, mas o presidente dava a cara a tapa , aparecia, o que nao é o caso. Se o Abad renunciar a torcida volta a abraçar o time.

    • Fernando Ventura Jr.

      Sim, dispensou Mascarenhas, Reginaldo e Daniel para ficar com Marlon, Luan Peres e sem reserva para o Sonorza, já que o Abel não enxergava o Luquinha. Contratou o fraco João Carlos em vez de aproveitar jogadores da base ou trazer do Samorin.

  • Pedro A. Marques

    Acho muito bom que o grupo da atual gestão admita sua grande responsabilidade na crise atual, apontando também que não há inocência da parte de nenhuma das facções que hoje disputam o poder dentro do Fluminense. Elogiada a honestidade do texto, sinto que falta apontar, para além da generalidade contida em frases como “precisamos de mais receitas” e “somente com o apoio da torcida sairemos dessa situação” (dois truísmos), um plano concreto de curto prazo que permita iniciar a reestruturação da imagem do clube e a reaproximação do torcedor com o Fluminense. O desafio é mesmo imenso, mas foram vocês que se apresentaram para a tarefa de administrar um gigante centenário como é o FFC. Como sócio-torcedor e apaixonado pela instituição, espero que os caminhos sejam encontrados rapidamente e que possamos voltar ao caminho das conquistas, em um contexto de sustentabilidade econômica e financeira.

    • Wilson Ferrugem

      Não tinha como não assumir né meu amigo! Depois de 3 mandatos, “também assumir” responsabilidades? 8 anos são o suficiente para fazer algo, se não eram, por que tentaram ficar no poder por tanto tempo?

      Comentaram sobre alguns reforços, e “esqueceram” de outros.

      Venderam o Fluminense sem Unimed, maravilhoso e entregaram está bo$ta! Desculpe o palavreado.

      ST.

  • Daniel o retorno

    Ate que enfim.

    Vamos lá.

    1- PROFUT, erro de gestao. Agora segurem a pemba.
    2- Nao somos obrigados a jogar no Maracanã. Por que não tentaram um estadio mais barato até agora? Temos alguma obrigatoriedade de por nossos jogos no Maracanã? Caso nao tenha nada neste sentido, me desculpem… Erro de gestão
    3- Cade o profut que limita essa situação? Erro de gestão
    4- Unico ponto em que concordamos
    5- Ha mais de 9 anos e vcs até agora nao conseguiram fazer um programa de ST. Erro de gestao.
    6- Ué, mas este nao era o discurso de vcs. Continuar sem a Unimed? Erro de gestão.

    Agora, quais as soluções encontradas?

    Pelo que soube, vcs ainda querem pegar um empréstimo milionário para quitas as dividas e concentra-las em um único credor, ou seja, fazer mais dividas.

    Cara, vcs resgataram Angioni, querem falar o que de administração de futebol….

    Por fim, eu nao disse que Abel abandonaria o Barco.

  • Davi Carvalho

    Vamos lá:
    Primeiro, vocês deveriam ter sido TRANSPARENTES nas eleições de 2016. deveriam ter dito a real situação e não vender uma imagem falsa de estabilidade financeira, que não existia e que vocês hoje nesse post RECONHECEM.
    Vocês agiram com o intuito de vencer um pleito, precisavam de um “portifólio” e aí inventaram esse papo de contas equacionadas, não venham com a história de não saberem de certas coisas, pois sabemos que nos conselhos e nas diretorias vocês tinham conhecimento de tudo, Abad mesmo foi pego falando mal de Peter em um e-mail.
    Vocês, pelo poder, fecharam os olhos pra muitos problemas que o clube tinha, muitas coisas erradas sendo feitas.
    Não adianta esse mea culpa agora.

    Segundo, vocês se aliaram a maior pústula no clube, os Esportes Olímpicos, aqueles que nos rebaixaram em 96,97 e até 98.
    Vocês se aliaram a esse feudo AZOICO para ganhar eleição.Lembro até hoje do Danilo falando aqui que eles tinham uns “500 votos”.
    Isso compromete a gestão, pois vocês se amarram em quem quer o futebol acabado, pois não gostam de pobres, proletários no clube, aquilo que eles consideram “ralé”, que é a galera que mais gosta de futebol e caga pra EOs.
    No fim, vocês ficam recebendo pressão dessa gente e aos poucos são cooptados. Agora então que vocês estão acuados piora ainda mais, pois vocês têm medo de Abad cair e se seguram nesse feudo, assim eles vão lhes controlando e implantando suas mazelas no clube, quase idêntico aos anos 90, com a diferença que lá eles eram a gestão principal com Gil e depois Barcellos.

    Terceiro, o clube é mal gerido. Não adianta que isso é visto por todos.
    Os cargos parecem ser dados não pra quem tem competência, e sim pra quem é da patota. Existem coisas absurdas, como um departamento de desenvolvimento sustentável REMUNERADO.
    Se o tal dep. fosse sem remuneração vá lá, mas num clube sem grana dar-se o luxo de ter uma coisa não prioritária como essa, eu acho um absurdo.
    Cadê os caras que podem ter trânsito no mercado??? Cadê aqueles que entendem de mercado financeiro??? E o Marketing, por que é tão fraco??? Incrível que em quase 10 anos vocês sempre erraram nessa pasta, a qual é de vital importância para arrumar grana. Deus do céu, único dos grandes sem ter loja on line, isso é terrível.
    O amadorismo na gestão se faz quando lembro da mudança de patrocinador de uniforme, saiu um parceiro antigo e que pagava até bem e entrou um caloteiro e depois chegou um que a gente nem sabe se dá algum por mês.
    Nessa questão patrocínio estamos péssimos, os nossos nos dá calote, quando não há as permutas, sem contar os valores irrisórios. Sei que o mercado tá uma merda, mas não dá pra ficar fechando com patrocínios pífios, precisamos de alguém mais preparado pra chamar empresas, parece que hoje não há.

    Quarto, o scout do clube erra em demasia, ou, existe sacanagem ali, pois só isso explica Maranhão, Marquinho e João Carlos.
    Existe uma lógica por trás das contratações??? Como saber índice de passes certos do atleta, contusões já sofridas, quem tem mais cara de ala e mais cara de lateral, quem tem melhor aproveitamento em finalizações, jogadores mais altos, quem é mais driblador, perfil do atleta fora de campo…..
    Eu nem sei se o scout trabalha com a comissão técnica.

    Quinto, Base.
    Marcelo Teixeira tem ganhado o quê??? Quem ele tá prospectando??? Foi ele quem trouxe o terrível Dudu??? E quem deu a ele, que lhe outorgou o direito de se meter na negociação do Diego Souza??? Ele respondeu por essa vergonha??? É verdade que perdemos o hotel Telê Santana em Xerém??? Por que possuímos tão poucos das % dos direitos federativos dos atletas???
    A base é nosso sustentáculo e precisa ser levada a sério, muito mais do que tá sendo.

    Sexto, a torcida não vê credibilidade em vocês. Entenderam por que não tem tanto SF???
    A galera acha que vcs vão meter a mão no dinheiro. Vocês perderam a credibilidade de tanta coisa que deixaram fazer no clube.
    Fomentem a torcida com uma precificação mais justa, já dei apedra uma vez, setor sul e norte com gratuidades, ambas a 30 reais a inteira, leste com 40 a inteira e gratuidades, oeste 50 a inteira e com gratuidades, descontos por ordem crescente para sócios, 30%, 60% e 100%, abram primeiro sul e leste nessa precificação e com gratuidades em todos os setores e vocês verão que vai encher, mesmo sem craques no time. Entendam mais o que o torcedor pede, entendam que o carioca tá desempregado e mais pobre por culpa da crise, que a violência da cidade atrapalha também.

    Sétimo, defendam mais o clube na mídia, ainda apanhamos sem ter culpa de muita coisa.

    Oitavo, passem a aceitar seus erros, não ponham a culpa só nos outros.
    Celso, Mário, Peter entre outros ajudaram a cagar muita coisa, mas a gestão é de vocês, não transfiram culpa.

    Nono, Aceitem, de vez, que Laranjeiras é nosso futuro de curto prazo. Estádio de 40 mil ou mais só quando houver condições, hoje é inviável. Viável hoje Laranjeiras apenas.
    Juntem-se ao grupo dos que querem nosso velho e bom estádio de volta, apoiem eles, se o estádio sair o clube muda de patamar, a torcida se sentiria eufórica de novo, voltaria.Pensem nisso.

    Décimo, por que a ideia e planos do Diogo Bueno e seu grupo foram deixadas de lado??? Por que o fundo de investimentos não saiu??? O que há que impede isso que nos daria um fôlego agora??? Repito, os Diogo e seu grupo deixou um caminho a seguir, vocês precisam pôr em prática, não sejam arrogantes de acharem que não é pra levar a frente essas coisas porque eram de outro grupo, pensem no Flu ACIMA DE TUDO.

    Enfim, é isso, pensem bem, hoje vocês são odiados, pensem no clube e na torcida, grupo político não deve ser prioridade, deixem a vaidade de lado.

  • Fernando Ventura Jr.

    O fato é que a Flusócio vai deixar o clube com uma dívida maior do que a que existia nos tempos do Horcades. Reconheço que o pouco de bom foi feito na gestão Abad com a contratação de jogadores com os salários dentro da realidade do clube, mas me respondam o seguinte: – O Abel vai pagar a multa por ter rescindido com o clube ou ficar por isso mesmo? Se os contratos só são cumpridos para ferrar com o clube e nunca em benefício do mesmo vocês continuam errando. Já que precisamos um jogador de velocidade e, dizem, o WS se recuperou fisicamente e não é nem opção no banco de reserva do Internacional não é o caso de pegá-lo de volta? Não haveria como negociar com o filho do Abel a devolução do fraquíssimo João Carlos e com o Criscíuma que este aceite a volta do Marlon?

  • Marlon Tavares

    1- Realmente a dívida foi da gestão Horcades, mas poderiam ter negociado um parcelamento antes que chegasse ao ponto extremo de ter as receitas penhoradas e gerar todo esse problema.

    2- Time sem estádio fica vulnerável, erro estratégico de várias gestões.

    2.1- O Peter assinou um aditivo no contrato, o qual deve ter sido crucial para o TJ da parecer favorável ao consórcio maracanã e desfavorável ao Fluminense. Fato lamentavelmente omitido nesta nota para não escancarar a lambança.

    3- Infelizmente as penhoras fazem parte do cotidiano do futebol brasileiro, principalmente o carioca, inclusive o próprio Abad gerou dívidas para a próxima gestão com as malfadadas dispensas de jogadores, é dever dos gestores encontrar soluções e ficar choramingando não resolve nada.

    4- Sou contra patrocínio estatal, mas na situação de hoje deveriam ter acertado com a CEF, perdemos mais de 10 milhões no período de 1 ano sem patrocínio, não fecharam e tem a cara de pau de dizer que está ruim… Para incompetentes tem que estar mesmo.

    5- Falta credibilidade a gestão, faltaram com a verdade diversas vezes, torcedor não é idiota, principalmente o do Fluminense geralmente mas culto, é difícil se associar a com esses tipos de pessoas no comando do clube.

    6- Não acertaram com a caixa, não conseguiram nenhum contrato expressivo, são fraquíssimos, péssimo trabalho.

    7- Querem união? Torcedor de volta ao estádio? Se associando?
    Primeiro passo é a renúncia do Abad e convocação de novas eleições, não há outro caminho, a gestão tem credibilidade zero, sem credibilidade sem torcida, óbvio, não há uma alma tricolor que deseje a permanência do Abad, antecipar as eleições é a única forma de renovar a esperança da torcida e unir o clube novamente, mas o grupo de vcs são os únicos que não querem enxergar o óbvio.

  • Valmir Carvalho da Silva

    Lendo esse texto, sem avaliar o contexto, parece de fato que a Flusocio vem esses anos todo agindo com competência dentro de um cenário ruim causado por outrem. Que tal uma grande jogada de marketing para atrair a torcida? A volta do Pedro Antônio e renúncia do Abad já ajudaria muito.

  • Pinheiro

    Antes de começar quero dizer que nesse texto não tem ofensas nem palavras de baixo calão. Em todos os grupos que debato prezo o respeito às opiniões diferente e jamais faço ofensas pessoais (isso é pra quem tem o rubro negro nas veias). São críticas de um tricolor apaixonado, sócio do clube e espero que esse texto seja aprovado. Se não for, já foi publicado em outros fóruns e, com certeza, alguns torcedores vão me escutar.

    Li atentamente tudo, nada me surpreendeu. Acredito que todo tricolor sabe da atual situação do clube. São sete anos e meio que a Flusócio e seus grupos apoiadores dão as cartas no clube, aprovam balanços anuais e etc.

    Primeiro leio que vcs conseguiram reduzir a folha salarial do clube. E porque houve um aumento de PJs e Back Office? Qual resultado financeiro e esportivo isso trouxe? Porque houve um aumento de receita para os Esportes Olimpicos? Somos Football Clube! Qual o retorno financeiro do projeto Samorin?

    Sobre o Maracanã: O que foi e esta sendo feito para fugir desse problema? Vi o Botafogo correr pra Ilha em 2016 com resultados positivos em campo e financeiro. Pelo que leio o Botafogo não nada em dinheiro. É certo um clube endividado jogar contra o NOVA IGUAÇU, pelo falido campeonato carioca, no Maracanã e acumular, em um só jogo, 300 mil de prejuízo? Isso é austeridade?

    Antes de tocar em outro ponto quero dizer que sou Engenheiro, 38 anos, trabalho com obras de todos os tamanhos. Maracanã e Parque Olímpico são obras do meu currículo.

    Leio muito na internet que Abad e a Flusócio são contra a reforma do estádio das Laranjeiras. Isso é verdade? Qual a posição de vocês? Leio que vcs sonham com um estádio para 30/40 mil pessoas na Barra da Tijuca, Recreio e etc. Isso é brincadeira né? Leio ainda que, talvez, vcs pensem que jogar em Laranjeiras apequenaria o clube. O que fez o Fluminense ser grande não foi o Maracanã, foram seus títulos e ídolos. Logo, o que vai fazer o Fluminense ser pequeno é a falta de títulos e ídolos (não é mera coincidência com a realidade).

    Todo clube do mundo quer jogar em casa. Isso representa arrecadação. Apenas no Fluminense isso é ao contrário. Apoiem a construção de Laranjeiras. Isso não quer dizer que nunca mais jogaremos no Maracanã. O Fluminense precisa alavancar sócios, jogar realmente em casa e o adversário sentir pressão. Isso só é possível em LARANJEIRAS! E por favor, sem esse papo de construção de estádio para 30/40 mil, não me façam de otário, por favor, sei das dificuldades envolvidas.

    Vcs terminam o texto dizendo que a torcida precisa “chegar junto” e se associar. Como que alguém vai se associar assim? Um presidente que nem lembro a ultima vez que falou, que não faz defesa institucional do clube. Como vão associar a um clube que só tem resultados pífios nos campeonatos nacionais? Como vcs querem púbico nos estádios assim? Como querem vender camisa assim? Como ter receita assim ???????? Isso não é relação de SOCIEDADE no mundo dos negócios, isso é relação de doação, esmola. Mudem o plano para “Esmola Futebol”

    Antes de terminar cabe a pergunta:
    Se o clube vive esse caos financeiro qual o motivo do Marcelo Teixeira, com a conivência do Abad, abrir mão do dinheiro do Diego Souza?

    Comecei minha vida profissional na indústria naval e agora estou na construção civil. Nesse longo caminho passei sem sucesso pela área de telecomunicações. Não me sentia bem nessa área de telecomunicações, não atingia os objetivos. Não era competente para isso e fui buscar outros caminhos. Achei na construção civil! Façam o mesmo! Administrar um clube como o Fluminense não é pra vcs! Vcs, com certeza, são competentes em outras áreas. Voltem para a arquibancada e deixem o clube para quem tem capacidade.

    ST

    • Valmir Carvalho da Silva

      Caro Pinheiro, assino embaixo. Reforma das Laranjeiras é fundamental. Apareça mais por aqui. Precisamos de tricolores assim. Apaixonados e dispostos a ajudar.

    • Filipe Seixas

      Concordo em parte. Samorín é um projeto revolucionário, ímpar. O retorno é técnico e visa o aprimoramento dos atletas. Não terá resultado a curto prazo, é preciso paciência. E o custo é baixo.
      Em relação à Laranjeiras, a gestão está apoiando o projeto. Foi dado o aval para sua continuidade. Para mais esclarecimentos, busque no Youtube “Leiteria do Castilho” e veja as inúmeras explicações sobre e como anda o projeto. É preciso entender que não é uma questão de querer a volta das Laranjeiras ou não; é necessidade! Vai gerar dinheiro e terá custo zero para o Fluminense!

      • Wilson Ferrugem

        A ideia é boa mas o projeto e a execução deste projeto deixam muito a desejar.

        ST

  • Helvio Lins

    Está sendo falado que Vanderlei Luxemburgo entrou na mira pro lugar de Abel. Caso isso se confirme será rebaixamento certo. Pode escrever, quem viver verá.

    • Mauro Carvalho – SP

      Se esse cara vier, é motivo de intervenção.

    • Rodrigo

      Em 2013 foi isso né?
      Saiu Abel entrou WL, no finzinho Dorival, o final todo mundo sabe.

      Filme repetido.

    • Sergio Binda

      Não acredito. Só pode ser cavada.

      ST

  • Mauro Carvalho – SP
    • Davi Carvalho

      Até o power point do cara da lava jato é mais crível que isso.

  • Paulo Cavalheiro

    A Flusócio se vitimizou, não assume o real papel de protagonista, só “desculpazinha”, ou seja, não tem nem noção do ridículo de publicar um post neste tom.

    Para uma tentativa de associação em “massa’, precisamos de credibilidade, tudo que a Flusócio não tem hoje, e enfatizo, trabalhou muito bem para perder a confiabilidade da torcida do FFC.

    Vir de Paulo Angioni é mais um exemplo da mediocridade gerencial do FFC.

    Mudem, se arrisquem, busquem inovação, reinventem o FFC, neste toada, seguimos firme a Série B do Inferno e ao fundo do poço.

    Berna, quase 10 anos de FFC, acabou de aposentar, boleiro, poderia vir de gerente de futebol, baratinho, conhece o clube.

    Tragam Zé Ricardo e subam Léo Percovich para seu auxiliar direto.

    Para o sub 20, a volta de Marcos Valadares ou Luiz Felipe dos Santos, que fizeram excelentes trabalhos, com um plano de carreira.

    Esqueçam esta “velharia” que adora um conchavo, ou vamos insistir nas “negociatas” e querem que os trouxas dos abnegados tricolores,ainda contribuam com esta desgraceira.

  • Flavio Chammas

    “Jornalista lista motivos da recusa de Zé Ricardo

    Zé Ricardo declinou oferta do Fluminense no último final de semana

    O nome de Zé Ricardo era o mais forte para assumir o comando técnico do Fluminense.

    Em reunião realizada no último final de semana, o treinador recusou a oferta realizada pela diretoria tricolor.

    Segundo informações do jornalista Léo Burlá, do portal UOL, os constantes atrasos salariais e o caos político que ronda os bastidores do Fluminense foram decisivos para a negativa.

    Com passagens recentes pelo Vasco e Flamengo, Zé Ricardo também não quer ficar rotulado como um “técnico apenas do Rio de Janeiro”.

    De folga com a família, ele aguarda propostas do Brasil e também de fora para voltar a trabalhar.”

    • José Carlos Nascimento

      Recusou a oferta!? E dizem que é tricolor! Pois sim.

      Tricolores somos nós que contribuímos com nosso suado dinheirinho sem nenhuma expectativa de retorno pessoal; queremos apenas luta na defesa do clube que amamos. Tricolores somos nós que acreditamos em falsas promessas que não serão cumpridas por parte dos postulantes a cargo diretivos no clube.

      Fazemos isso apenas por amor!

  • Delley

    Lendo este post, sinto uma ENORME curiosidade…., como administram suas vidas pessoais estes “Dirigentes” ??,
    São assalariados ? Tem filhos ? Vão a Supermercados ? pagam contas ? ……
    Duvido que não sejam “diligentes” em casa, mas no clube …
    Parem de brincar de administradores, o FLUMINENSE não é um brinquedo que vcs “ganharam” para usar, NÃO !!!
    Era a Paixão do meu Avô, do meu Pai, é a Minha, é dos meus Filhos !!!
    Se não são competentes, ao menos sejam dedicados, trabalhem, se esforcem, lutem para fazer algo de relevante …… ou pede pra sair !

  • Cesar Castello Branco Martins

    Eu torço muito pela Flusócio. Desde o começo, ainda antes de ganharem eleições. Pude ir nas suas reuniões e ver os propósitos e o nível da conversa que eles buscavam ter com os torcedores q compareciam. Mas acho q o grupo tem q rever posições. Infelizmente, grupos dissidentes ainda não se mostram melhores em nada. E creio q a Flusócio continua sendo o grupo político mais preocupado com o futuro do Fluminense. Que é altamente desafiador!

    No entanto, 2 erros da Flusócio precisam ser assumidos e combatidos. Talvez, a sua falta de apoio político atual seja o momento oportuno para fazer estas mudanças.

    Primeiro, o Abad prometeu uma gestão e tem executado outra em total dissonância com aquela. Para a torcida, ele mentiu. Assim, perdeu grande parte de sua credibilidade. E sem credibilidade, não se governa. Pelo contrário, tem-se um desgoverno. Isso tem q ser aprendido pelo grupo.

    Segundo, o grupo troca apoio político por cargo na gestão. O que acontece é que não se põe os melhores profissionais nos cargos necessários, e ainda sofre politicamente com seus erros. Seus antigos aliados, após errarem na gestão, não assumem a sua responsabilidade, e fica um jogo de acusações que em nada ajuda o Flu.

    Dois erros graves, e que proporcionaram um sequência de novos erros. Há que se fazer uma grande reflexão antes que seja tarde demais.

    ST

  • vivianne

    Prometi q não escreveria mais aqui e ao contrário do Abad tenho palavra, porém depois do quadro q vem se desenhando não posso deixar de abrir uma exceção.
    Zé Ricardo mais um treinador queridinho da mídia, nos mulambos com elenco caro, salário em dia ficou conhecido pelo seu time ser Márcio Araújo e mais 10, piada.
    Dorival Junior é a cara da gestão Abad um treinador decadente, teve um brilhaleco no Santos e só, mas como o padrão Flusócio vem desde a era Peter nada mais justo do q sermos rebaixados com o mesmo treinador se 2013.
    Senhores aposto com quem quiser q o flu infelizmente será um dos rebaixados esse ano e o pior de tudo é q só voltaremos para a elite em 2021 porque disputaremos uma série b com Abad e não subiremos.
    Vou repetir novamente, se não tirar o Abad o final será trágico!
    Só desisti de cancelar minha associação ouvindo os amigos aqui do blog q me aconselharam quero ter o prazer de ajudar a colocar esse grupo para fora do flu, será q vai sobrar algo no fim dessa gestão.

    • Claudio Souza

      Infelizmente, Vivi, não se pode esperar nenhuma ousadia, seja por falta de dinheiro, seja por incompetência administrativa, seja porque não há grandes alternativas no mercado.

      ST

    • Flavio Chammas

      Vou só aproveitar sua postagem, pois disse que não mais debateria aqui.

      Me limito a copiar noticias.

      O clube esta definhando, não vai ter gente para apagar aluz no final.

      Me impressionam as vaidades, de grupo isso, grupo aquilo, e de ninguém preocupado em solução.

      Quando veríamos o Zé Ricardo, um tecnico novato, de segunda linha ainda, recusar um convite do Flu(falam de convite árabe, mas fontes afirmam que a recusa se prende mais ao caos politico, do que grana)?

      Dorival pede alto sabe porque? Para não ter que recusar o convite.

      Se é para brigar para não cair, peguem alguém em casa mesmo.

      Em relação a não ser sócio mais, eles não quiseram, então sigo.

      • Valmir Carvalho da Silva

        Poxa Flávio, lamento vc não ser mais sócio. Cheguei a falar no particular com Danilo Félix sobre a possibilidade de rever o seu problema, mas pelo visto não houve solução. Uma pena, pois o Fluminense somos todos nós e cada guerreiro que sai da luta faz falta ao nosso amado clube. Entretanto, compreendo sua chateação. Infelizmente, esse pessoal que hoje está à frente do Fluminense não faz questão de ter a torcida ao lado. Lamentável, mas ainda assim concito o amigo a rever essa posição. Grande abraço e saudações tricolores.

      • vivianne

        Flávio te critiquei muito mas hoje entendo sua posição, independente de grupo vc como a maioria quer o melhor para o flu independente de quem estiver sentado lá.
        O problema q a situação chegou a esse ponto estando nas mãos daqueles q prometiam uma nova era, uma mudança do jeito de se administrar o clube, só q o q vemos é justamente o contrário, e dizendo mais uma vez o q sempre falei aqui, os outros eram apenas incompetentes, Abad é mal intencionado, não no âmbito de desonesto nao e isso é sim na clara intenção se colocar o futebol do flu no fundo do poço, enquanto ele estiver na presidência do flu só teremos notícias ruins porque é para isso q ele foi colocado lá.
        Ele está pouco se lixando para o torcedor, sócio nada, a única preocupação dele é completar o projeto iniciado na era Peter com o fim da parceria com a Unimed e finalizado agora com a perda da credibilidade e o rebaixamento a segunda divisão, anote aí e me cobre depois!

        • Flavio Chammas

          Eu como vc, acreditei num projeto, fui sócio futebol 18, era até para ser menor o numero, mas a internet demorou, mas mesmo assim, de primeira hora.

          Cooperei em tudo que pude, dentro das minha condições(trabalho ainda para seguir vivendo), tentei pagar o que não me cobraram, mas não quiseram ou tiveram boa vontade de resolver.

          Achei que seguiríamos um bom caminho, mas hj vejo que se juntaram, e por vaidade pura, deixaram chegar onde chegamos, em que um tecnico de segunda linha(o que fez o Zé Ricardo?), se recusa a aceitar um convite de um dos maiores clubes daqui.

          E afirma que não aceita pelo caos politico em que nos encontramos, muito mais do que por grana.

          Ele sabe que com três derrotas a politica o derruba.

          Estamos definhando e não vejo nenhuma proposta de nada, e de ninguém, só grupos políticos, e sem expressão, sem peso e força para fazer alguma revolução.

          Estamos no mesmo caminho de América, Portuguesa, Guarani, e outros que não me lembro.

          É triste, mas nossa realidade, é só reparar como diminui o numero de tricolores que usem a camisa, que já foi motivo de orgulho.

          Lamento muito, e repito , se é para escapar de rebaixamento, peguem alguém de casa e gastem a grana com reforços.

          • vivianne

            Entenda amigo, eles sabem de toda essa situação, e vou falar de novo estão satisfeitos.
            Trazer Dorival é a certeza disso, treinador caro, incompetente, pode conseguir um ou outro resultado positivo mas o final dos trabalhos dele são sempre os mesmos vão demiti lo e criar mais um passivo e levar o clube a segunda divisão, isso é certo, não sei se vc reparou mas a escolha do Dorival é do presidente q adora o trabalho dele, agora me responda qual trabalho? Aonde esse cara deu certo?
            Paulo angione, conheço ele pessoalmente é gente boa mas tá fora do meio a tempos, e a própria Flusócio o criticou na passagem anterior no flu, e Fernando Simone responsável pelos gastos absurdos no futebol na gestão Peter.
            Quando votei no Abad foi achando q seria diferente, me arrependo muito porque se fosse para não mudar nada votaria no Celso Barros q pelo menos em termos de futebol é muito melhor q o abad, aliás até minha neta de 8 anos é melhor q o Abad.
            Na próxima eleição só voto no candidato q assumir 3 compromissos :
            Demissão do Marcelo teixeira
            Fim do samorin
            Diminuir o máximo possível investimento em esportes amadores e olímpicos e foco somente no futebol.
            Se quiser meu voto somente assumindo isso.

      • allan

        Prezados Flávio e Viviane, situação chegou ao ponto do Ze Ricardo estar sendo muito especulado no Botafogo !!!!

        Chamávamos o Botafogo de “nada pode ser menor”, lembram ?

        Agora essa “gestão” conseguiu colocar o outrora enorme Fluminense numa posição de estar (pq isso há de ser passageiro) menor que o Botafogo !!!!!!

        Muito triste e desalentador.

        E quando o Flavio diz aqui que não deram a mínima para sanar o problema do plano de sócio dele – um dos maiores apoiadores da Flusocio aqui por anos, onde inúmeras vezes discordamos em bom nivel nos debates no blog – é ainda mais desanimador.

        Não querem – como bem diz a Viviane – um Fluminense forte, gigante, vencedor e de muitos e muitos torcedores.

        Querem um clube pequenininho, fechadinho, para chamarem de seu e poderem brincar e achincalhar a nossa brilhante e vencedora história.

        Muito triste.

        ST

    • Marcelo Fontoura

      É uma pena você ficar sem comentar aqui. São comentários que exprimem minha visão e acredito que dos torcedores em geral.

  • cydar60

    Não tenho escrito aqui pois tenho andado muito amargurado com essas últimas derrotas e acho que de nada adianta ficar reclamando e propondo soluções mirabolantes.
    Os caras já são adultos e devem arcar com a responsabilidade por suas atitudes.
    Mas uma coisa eu tenho a declarar:
    SE O FLUMINENSE CONTRATAR O LUXEMBURGO COMO TÉCNICO EU PASSO PARA A OPOSIÇÂO NO MINUTO SEGUINTE E SEREI MAIS UM A EXIGIR A RENÚNCIA DO ABAD.
    FORA LUXEMBURGO!!!!!
    ST

    • Claudio Souza

      Somos dois, embora ache que seja cavadinha do agente dele.

      ST

    • Marcelo Fontoura

      Mesma coisa era a sugestão de Lazaroni para diretor técnico… Só pode ser piada…

  • Valmir Carvalho da Silva

    Agora aparece aquele tal de Marcelo Teixeira dizendo se o Flu vender jogadores, a base está pronta para suprir essas possíveis perdas. Esse cara só pode estar gozando da nossa cara. Ele não pode estar falando sério. Nossa base atual é horrorosa como a gestão. Dudu é um bonde marrento. Meu Deus……peçam para sair.

  • Claudio Souza

    Muito boa a entrevista com um dos executivos da EY, que trabalharam no projeto do Fluminense.

    O melhor momento é aquele em que ele diz que o Fluminense precisa de um projeto de futuro, acima de qualquer corrente política.

    Infelizmente, os rumos do clube mudam a cada gestão e só o que vemos é essa guerra de comadres, ou incompetentes, ou mal intercidades ou as duas coisas juntas.

    A política do Fluminense espelha a política brasileira e o fundo do poço está próximo.

    ST

    • allan

      Cláudio, a gestão é de continuidade.
      Abad e Flusocio estão na “gestão” desde 2010 !!!!
      São 3 vitórias seguidas nas eleições do clube.
      Se o rumo muda é porque não tinha rumo antes.
      A propósito: qual é o rumo agora ?

      ST

      • Claudio Souza

        Allan,

        O estatuto dá poderes em excesso ao presidente.

        Por conta disso, as administrações acabam sendo muito personalistas, ou seja, cada presidente faz aquilo que lhe dá na cabeça.

        Tenho certeza de que Peter e Abad estão trabalhando de formas muito diferentes. Ambas ruins, mas diferentes.

        Logo, não há um plano estratégico supra-político para o clube e o fato de a Flusócio ter dado apoio a ambos não significa que de alguma forma ele exista.

        ST

      • Davi Carvalho

        Não há um rumo, um norte, um futuro, nada.
        O negócio e ir empurrando com a barriga colocando a culpa nos outros e errando em profusão.

    • Davi Carvalho

      O problema é que o plano da E&Y se implantado mata os aventureiros que só querem entrar no clube pra fazer merda.
      Os tais Esportes Olímpicos, grupo feudal do clube, seria afetado com o plano em prática, então com toda a sua força política, eles influenciam negativamente o Abad a não aceitar o plano.
      A verdade é que uma mudança radical dessa é difícil no meio de tantos DINOSSAUROS, inclusive estes só acabaram na Terra com um meteoro que caiu aqui e acabou com o ambiente deles, criando um novo para outras espécies.
      Precisamos de um meteoro em Laranjeiras.

  • allan

    Zé Ricardo – quem é Zé Ricardo no cenário do futebol ? – recusa o Flu

    Edson preferiu o Bahia (o Bahia!!!!) ao Flu.

    Qualquer jogador do FFC na primeira chance prefere sair.

    Onde vcs vão parar ?

    Até onde vão estraçalhar a auto estima do torcedor tricolor ?

    Se venderem Pedro, Ayrton Lucas, Ibanez, Sornoza ou Marcos Júnior vão – de novo – trair o torcedor e o sócio.

    ST

  • FFC

    Queria q a copa durasse até o final do ano

  • Daniel o retorno

    So queria entender o pq do Angioni? PF

    Alguem da Flusocio poderia explicar os motivos deste retrocesso?

  • LuizCarlos De Souza Junior

    Marcelo Cabo ?
    Guto Ferreira, o cara que tanto falou mal do Flumienese no caso da FlaLusa ?
    Tirem o tubo….
    É o FIM da picada…

  • Paulo Cavalheiro

    Coitadinho do Jabel, tricolor do coração, muito abnegado, “leiteiro de pedra”, aspone do Jabad, tão judiado no FFC, mas ……………………

    ” Saída de comissão técnica alivia a folha e dá fôlego para Flu se reforçar. Tricolor pagava quase R$ 1 milhão para comissão técnica de Abel Braga. ”

    Baita sacanagem, um clube num fosso financeiro, gastando esta barbaridade com este bando de incompetentes !!

    Seu empresário (Fábio JC Jabá), tentou colocar seu pai no Inter e no Galo MG, mas este absurdo de salário e além de querer levar esta turma de amigos de sua CT, inviabilizou qualquer negociação.

    • Fernando Ventura Jr.

      Sem contar que tendo pedido demissão deveria pagar pelo distrato, mas se realmente for ter um ano sabático dá para perdoar, mas duvido que não encerre a copa e o Abelão já vai estar em um Internacional ou Santos(já que o Jair Ventura está por um fio).

      Um absurdo reclamar de salários atrasados quando foi o principal responsável pela eliminação na Copa do Brasil, que é o torneio que mais paga.

      Outro absurdo é o Abel reclamar por não receber reforços quando ele indicou Marlon, João Carlos, Luan Perez, Dodi…

      • Wilson Ferrugem

        Você acha que isso existe. O Abel ter indicado o João Carlos!? Ou provavelmente deram um video com 10 nomes ruins e ele teve que escolher o menos pior!

        • LuizCarlos De Souza Junior

          Se o João Carlos era o menos pior, não consigo imaginar como seriam os outros…

  • Eduardo Gorges

    Eu não entendo o que a Copa tem a ver com os jogadores entrarem de férias??? Por acaso começaram mais cedo em Janeiro? Time que perde 4 seguidas deveria sair de férias ou treinar mais??

    • Wilson Ferrugem

      Devendo não tem nem como cobrar!

      ST

  • Jorge Eduardo

    Paulo Angioni? PQP, o que passa na cabeça do Abad e dessa diretoria? Agora é torcer que não façam mais M e escolham um bom técnico… mas não confio nem um pouco… para que essa ânsia de continuar no poder se não tem capacidade administrativa e nem perfil de liderança para isso? Decisões erradas em cima de decisões erradas, pobre da nossa torcida e do nosso Fluminense!

    • luiz

      Pois é Jorge, o cara confessa, a ser verdadeira a matéria sobre a reunião de 2af à noite, que não tem capacidade para gestão, não tem perfil de liderança, etc etc
      Qual teria sido então o motivo de sua candidatura ?
      Como pode ter sido escolhido pelo grupo Flusócio?
      O q falta para renunciar ?
      Enfim, é um caso a se pensar, na medida em que era Presidente do CFiscal da gestão Peter, o sucedendo por ele apoiado, com aprovação de contas e por aí vai.
      Votei no Abad, apoiava PS. Mas desde o final do ano aguardo as eleições de 2019 para tirar esse grupo do poder, torcendo para até lá não cairmos para a Série B.
      Não faço parte de qualquer grupo político. Sou Tricolor !!!!

      • Jorge Eduardo

        Também tinha esperança que o Peter e a Flusócio recuperassem o Fluminense, mas desde 2013 dá para ver que são tão ruins ou até piores que os seus antecessores.

      • Jorge Eduardo

        Agora os mesmos que antes apoiavam querem tirar ele de lá… o ideal é que saíssem todos, Abad e toda a base dele de sustentação… e os que viraram a casaca… não acredito na capacidade e na boa intenção de nenhum deles, vão ter que mostrar muito serviço para que um dia a nossa torcida perdoe todas as M que fizeram.

  • Marcelo Fontoura

    Na boa. Na crise atual não dá para dar mais de 200k em um treinador. E tem que trazer ao menos um bom meia de criação.

  • ALEXX

    Sempre gostei muito do nome do Cuca. Por causa de um trabalho apenas, e por conta somente da segunda passagem no Palmeiras (e pela dispersão de interesses por conta de patrocinadora-chefe e pela briga com ocarniceiro Felipe Melo) as pessoas ultimamente andam fazendo juizo negativo dele.

    O cara fez um ótimo trabalho em todos, repito, em todos os clubes por onde passou. E ainda possui uma identificação tremenda com o Flu desde o “milagre” de 2009 – fala que foi dos maiores títulos dele em todas as entrevistas.

    O cara está disponível, e não há bons nomes: vou de Cuca com certeza!!!

  • Heleno Mattoso

    A coisa tá melhorando por aqui, pois até o momento não vi ninguém colocando a culpa na NETFLU pelo caos administrativo, esportivo e financeiro do clube.
    ST

  • Jorge Eduardo

    Se for para contratar treinador ruim, parece que Dorival e Zé Ricardo não quiseram aceitar, e o Cuca será difícil de aceitar; é melhor dar uma oportunidade ao técnico do sub-20.

    • Helvio Lins

      Concordo.

    • Mário RJ

      Também concordo.

      • Jorge Eduardo

        Espero que esse Marcelo Oliveira, que desde que saiu do Cruzeiro não faz um bom trabalho, se reinvente e acerte o nosso time.

  • Juliano F Pacheco

    Apareceu alguem da flusocio?

  • Diogo Trindade

    Se não podemos ter o Zé Ricardo, Dorival ou Cuca, subam o Leo do sub20. Pra contratar um “gordiola” da vida, é melhor apostar em alguém que já está em casa e que conhece nossos atletas da base. Leo me parece um cara sério e identificado com o clube… Não tem experiência em ser escudo de gestão, mas vocês vão ter que se virar e se expor mais agora.

  • Jorge Eduardo

    Retirado do Globo. Desses 631 milhões, aumentou 300 milhões nos últimos 2 1/2 anos. E quem é culpado pelo aumento da dívida em 10 milhões por mês? Não dá para ficar jogando a culpa só nas outras administrações, esses últimos 7 1/2 anos quem esteve a frente foram vocês da Flusócio representados pelas figuras de Peter e Abad, deveriam sim ter a hombridade de assumir os erros e renunciarem, pelo bem do Flu, se é que vocês realmente se importam com isso.

    O endividamento do Flu só cresce: R$ 331 milhões em 2015, R$ 399 milhões em 2016, segundo os cálculos da diretoria passada e reclassificado para 529 milhões, e R$ 631 milhões em 2017. O clube tem dívidas bancárias altíssimas, acima dos R$ 110 milhões, ao mesmo tempo em que deve R$ 221 milhões ao governo por calotes em impostos e R$ 239 milhões em dívidas trabalhistas. Na campanha, o senhor disse que havia ajudado ao ex-presidente Peter Siemsen a equacionar as dívidas. Isso não confere com a verdade dos números. O que houve?

  • Valentino

    Obrigado pelo “especialista”, mas não sou. Só sinto pena desses pobres torcedores alienados que ficam adjetivando um projeto mirabolante que nunca trouxe resultados práticos e jamais agregou nada ao Fluminense.
    Antes de tentar inventar a roda deviam se preocupar com o básico, tipo pagar os salários