Nasce um novo ídolo nacional

Fred-Brasil

O carisma e os gols do atacante Fred já não fazem mais fãs apenas na fanática torcida tricolor.

Com a titularidade conquistada no time de Felipão, o camisa 9 Tricolor ganhou muita moral, nacional e internacionalmente, e caminha a passos largos para se tornar um grande ídolo do nosso país.

Os gols importantes recentes, marcados contra adversários de alto nível tais como Inglaterra (2x), Itália (3x), Uruguai e Rússia, apenas consolidam a caminhada vitoriosa do atacante, que já é um dos maiores jogadores da história do Fluminense, com 109 gols marcados desde 2009, dois campeonatos brasileiros e um campeonato carioca conquistados.

Um ídolo deste porte tem muito apelo junto ao torcedor mirim, desta forma, precisamos surfar nesta onda! Torcedor Tricolor, compre as camisas 9 do Brasil e do Fluminense para seu filho! Não deixe de comentar com os pequenos que o goleador do Brasil joga pelo Fluzão!

O Marketing do Flu também tem uma excelente oportunidade, na volta da Seleção, para explorar o grande momento do ídolo Tricolor com a camisa amarela, envolvendo-o nas campanhas para adesão de novos torcedores e sócios.

A onda favorável de Fred é boa até mesmo para a patrocinadora Unimed, que paga seus direitos de imagem e também pode explorar esta exposição favorável.

Avante artilheiro!

Ocupação tricolor

socio_futebol

O Fluminense hoje vive um período de dificuldades financeiras, devido à bloqueio de receitas de TV, oriundas de penhoras da Receita Federal em virtude de tributos não-pagos no período entre 2007 e 2010. E com isso no noticiário, cresce bastante a expectativa sobre o potencial do Sócio Futebol vir a ser uma nova fonte de receita substantiva para o clube enfrentar esse período difícil.

O clube segue um cronograma de evolução de seu plano de sócio torcedor (Sócio Futebol) que começou como um pacote de jogos implementado de forma terceirizada (Guerreiro Tricolor) em 2011, e se iniciou de fato com o lançamento do Pacote Futebol no início de 2012 aos sócios contribuintes e proprietários do clube, dando preferência e garantindo acesso às partidas com mando de campo do clube, desde que o sócio opte pela ida ao jogo de forma online.

Com a assembleia geral realizada no fim de 2012, foi aprovada com ampla aceitação a nova categoria, Sócio Futebol, com mensalidades baixas, preferência e desconto na compra de ingressos de jogos com mando do Fluminense. O clube apostou alto numa implementação e lançamento rápidos, seguindo a boa onda da conquista do tetracampeonato, mas por conta da altíssima demanda acabou sofrendo problemas estruturais a ponto de ter que suspender as adesões até o fim dezembro de 2012, reabrindo posteriormente com a campanha Ocupação 41.

Com isso, o número de adesões voltou a crescer, mesmo com seus direitos políticos sendo válidos apenas no pleito de 2016, na onda da disputa da Taça Libertadores, obsessão de nossa torcida. E chegamos até o meio do ano nesta toada, com nossa eliminação no torneio sul-americano e a pausa no Campeonato Brasileiro em virtude da Copa das Confederações.

Esperava-se evasão neste período, mas não foi o que ocorreu. Foram poucas migrações de planos e até novas adesões.Isso é um fator animador, pois demonstra que o conceito de cidadania tricolor que pregamos há dez anos vem sendo assumido por nossos torcedores, e precisa continuar.

O programa hoje caminha no seu processo evolutivo, enfrentando os problemas naturais que qualquer clube que adota o caminho de montar sua estrutura própria de programa de relacionamento com sócios passa, mas chegou a hora de suplantar mais uma fase deste crescimento.

Este novo degrau deve ser superado neste segundo semestre, e com o novo Maracanã estando disponível para utilização (desde que em condições minimamente viáveis de se auto-sustentar no nosso extenso calendário futebolístico), com a implementação de um programa de benefícios próprio em conjunto com o Movimento por um Futebol Melhor, e principalmente com a intensificação de campanhas com novas ativações na TV, web e nos jogos dentro e fora do Rio de Janeiro, assim como programas de relacionamento que estimule a torcida a se associar e a buscar novos sócios (conceito de representação do clube em todo o Brasil, quiçá mundo, via embaixadas e eventos Tricolor em Toda Terra), esperamos que o clube engrene seu programa de cidadania de vez, na proporção que sempre sonhamos.

Para isso, acreditamos que não existe mistério ou receita mágica: é necessário mais investimento do clube para alcançar a meta estipulada pela diretoria neste ano (50 mil sócios). Com um estádio fixo para nossos jogos, pode-se implementar um serviço de atendimento único e integrado no estádio, antes, durante e depois de jogos, o que consequentemente trará maior qualidade no atendimento ao sócio tricolor.

Esperamos que tudo isso ocorra assim que se superem os problemas atuais do clube com Receita Federal, pois o futuro do clube passa necessariamente pelo incremento de mais cidadãos à nossa nação chamada Fluminense.

Há 18 anos…

A história do Fluminense é repleta de títulos, glórias e momentos épicos.Mas nenhum tão significativo como aquele!

Ganhar Fla x Flu é normal.Mas nenhum Fla x Flu foi como aquele!

Vencer com gol nos últimos minutos não é incomum para o Fluminense. Mas nunca com um gol como aquele!

O roteiro em si já fala muito. Uns podem citar o centenário do rival. Outros lembrarão que esse mesmo rival fez, para aquele campeonato, a mais estrondosa contratação de sua história. Há os que destacarão a concorrência. Um Flu há 9 anos sem títulos tendo como concorrentes, além do rival que comemorava o centenário, um Vasco em busca do tetra e um Botafogo com um dos maiores times de sua história, que viria a conquistar um dos seus raríssimos títulos nacionais.

Há quem prefira citar a arrancada espetacular daquele octogonal, onde o Fluminense começou com desvantagem em relação aos outros 3 ditos grandes e tropeçou nas duas primeiras rodadas.

Ninguém pode discordar também da importância daquele momento, que representou a quebra de um jejum que iria completar uma década. Se considerar os anos negros que estavam por vir, não é difícil admitir que aquele título salvou uma geração de tricolores.

Os mais supersticiosos certamente se lembrarão da tempestade que se formou em torno do Maracanã nos minutos que antecediam a decisão, desabando no gramado assim que a bola rolou. Parecia que realmente algo épico iria acontecer naquele palco.

Os mais formais lembrarão que o jogo sequer era uma decisão, sendo “somente” a última rodada do octogonal final.

E o jogo em si? Quanta reviravolta! Um início arrasador abrindo 2 a 0 que dava a certeza de fatura liquidada. O rival empatando em 2 a 2, resultado que lhe favorecia, a poucos minutos do fim. Uma expulsão para matar a esperança de quem não sabe o que é Fluminense. A torcida adversária gritando, a plenos pulmões, “É CAMPEÃO”… e um final que é desnecessário lembrar…

Tudo isso é fato e ficou na história. Com dizia Nelson: “Ai do clube que não cultiva santas nostalgias”. Mas nada do que se escrever será capaz de traduzir a emoção de quem viveu aquele 25 de junho de 1995. Por isso, tricolor, ao começar esse dia, feche os olhos, fique em silêncio e viaje no seu pensamento para 18 anos atrás…

Depois, levante e grite para todos ouvirem: GRAÇAS A DEUS EU NASCI FOI TRICOLOR!

Tricolor em Toda Terra na Terra do Tio Sam

Grande

Foi realizada nesta quinta feira mais uma edição do “Tricolor em Toda Terra”. Desta vez o encontro inédito com os torcedores tricolores aconteceu na cidade de Orlando – EUA, aproveitando a mini-temporada que o futebol tricolor está realizando em solo americano.

O evento, realizado na churrascaria Fogo de Chão, foi um sucesso e todas as reservas foram esgotadas previamente. Tricolores de diversas partes dos Estados Unidos (Nova York, California, Flórida, Texas, Ohio, San Pittsburgh) marcaram presença em um ambiente decorado por bandeiras brasileiras e tricolores.

O presidente Peter Siemsen, o diretor de futebol Rodrigo Caetano e o gerente de marketing Alexandre Vasconcellos falaram da importância do estreitamento do clube com seus torcedores independente onde estiver o seu torcedor.

O sucesso do evento em terras americanas consolida o excelente programa elaborado pelo Departamento de Marketing do Fluminense que já passou por 12 estados do Brasil e alguns países da América do Sul.

E no sábado o Fluminense apoiado por sua torcida espalhada no território americano, enfrenta o Orlando City, em amistoso no Citrus Bowl, com transmissão do Sportv, às 20:30h (horário de Brasília).

Boatos, cavadas e cia.

bira

Com a cúpula do futebol tricolor toda em Orlando e o mercado em pausa por conta da Copa das Confederações, o período é propício a boatos, cavadas de empresários/jogadores e muita especulação envolvendo não só o Flu como também outros clubes.

Para facilitar o acesso à informação aos nossos leitores, buscamos no BIRA (Boletim Informativo de Registro de Atletas) alguns dados importantes. O acesso é livre, basta selecionar o time desejado e pesquisar.

Abaixo, segue a relação dos atletas cujos contratos expiram em dezembro de 2013. Não incluímos aí juniores e atletas da base, para facilitar a leitura e evitar uma lista muito longa.

ANDERSON GRASIANE DE MATTOS SILVA (Anderson)- contrato desde 01/01/2012 – 31 anos em dezembro
ANDERSON LUIS DE SOUZA (Deco) – contrato desde 13/08/2010 – 36 anos em dezembro
EDIMO FERREIRA CAMPOS (Edinho)- contrato desde 26/01/2011 – 30 anos em dezembro
FELIPE JORGE LOUREIRO (Felipe)- contrato desde 18/01/2013 – 36 anos em dezembro
LUCIANO FABIAN MONZON (Monzón)- contrato desde 07/01/2013 – 26 anos em dezembro
RICARDO FERREIRA BERNA (Ricardo Berna)- último contrato em 01/01/2011- 34 anos em dezembro

Como o tema tem sido frequente nos últimos posts, deixamos o espaço dos comentários abaixo para falarmos exclusivamente sobre isso. Participe!

1 204 205 206 207 208