Flu lança hotsite oficial do projeto Samorim

Flu EuropaNa noite de ontem, 08/08/2016, o gerente das Divisões de Base do Fluminense, Marcelo Teixeira, apresentou ao Conselho Deliberativo o Projeto Fluminense Europa, algo inovador e pioneiro, que ampliará o trabalho de base do Fluminense e possibilitará a evolução dos profissionais e atletas formados em casa.

Após apresentar a estrutura atual de Xerém, seu organograma, valores estratégicos e atividades de rotina, de forma muito didática Marcelo explicou através de analogias que o futsal e as categorias iniciais de Xerém são como a “alfabetização” e o curso “primário” do colégio, as categorias seguintes até o time Sub 20 funcionam como “ginásio”, “ensino médio” e “faculdade”. Faltava a possibilidade de realizar uma “pós-graduação” em nossa academia de futebol, e o projeto Flu Europa vem para suprir esta lacuna.

Em seguida, Marcelo Teixeira explicou os objetivos estratégicos do projeto, os problemas de emprestarmos jogadores para outros clubes onde não temos o controle, as decisões que nortearam a escolha pelo mercado eslovaco e os custos envolvidos no investimento: na segunda divisão será inferior a 1,5% das receitas atuais do Fluminense. E, em caso de acesso à primeira divisão, será em torno de 2% das receitas atuais do Fluminense.

Já detalhamos vários itens do projeto num post anterior, mas o Flu lançou na manhã de hoje um ótimo hotsite institucional para manter a torcida e a imprensa informadas sobre a empreitada, da forma mais transparente possível. Muito conteúdo do Flu Samorim também tem sido divulgado nos canais digitais do clube, o que também é bastante positivo.

Confira o hotsite! Não deixe de conhecer os detalhes do projeto e divulgar para outros tricolores!

14 Comentários em Flu lança hotsite oficial do projeto Samorim

  1. Fabio DB
    9 de agosto de 2016 at 20:08 (3 anos ago)

    Não posso deixar de comentar nova reportagem do caso Fla-Flu-FERJ (ver link).

    http://globoesporte.globo.com/blogs/especial-blog/bastidores-fc/post/divergencias-financeiras-para-o-carioca-afastam-fla-e-flu-em-resistencia-ferj.html

    Infelizmente, alguns “decepcionados” tricolores, decepcionaram, eles próprios, ao darem mais crédito ao fofoqueiros de plantão do que a um passado consistente e longo de lutas e AÇÕES CONCRETAS E DIRETAS do FFC contra a FERJ.

    Os “decepcionados”, decepcionaram.

    ST

  2. Fabio DB
    9 de agosto de 2016 at 20:43 (3 anos ago)

    O projeto em questão parece bem feito tecnicamente/esportivamente.

    No entanto do ponto de vista empresarial fica a dúvida de como e quando esse projeto vai começar a dar lucro.

    ST

  3. Rogério Barbieri
    10 de agosto de 2016 at 0:37 (3 anos ago)

    Ainda espero ver a base do time profissional do Fluminense voltar a ser campeão com 9 jogadores formados na base.

  4. Jorge Eduardo
    10 de agosto de 2016 at 8:44 (3 anos ago)

    Não pode só ser usado como vitrine, tem que ter como principal finalidade formar jogadores que possam ser aproveitados no nosso time principal.

  5. Fernando Ventura Jr.
    10 de agosto de 2016 at 10:30 (3 anos ago)

    Acho difícil, porque a filosofia atual é gerar valores na base para revenda e contratar jogadores prontos para ganhar títulos. Pode ser que com o CT em funcionamento possamos aproveitar jovens valores.

  6. Fernando Ventura Jr.
    10 de agosto de 2016 at 10:49 (3 anos ago)

    No começo achei errado escolher um país sem tradição no futebol. Mas realmente, se for olhar no mapa, é em uma posição central, o que favorece. Outra coisa que eu pensei é que pode ajudar a aclimatação do jogador para uma transferência ou um amadurecimento. Neste caso podemos lucrar com um repasse do jogador por preços europeus. Exemplo: jogador A do Fluminense sairia por $5, mas se sair via Samorim sai por $15 ou jogador B, que normalmente seria vendido para a Itália para um time de primeira que o emprestaria a um time para se ambientar à Europa antes de integrar o time principal, poderia já chegar ambientado.

  7. Fabio DB
    10 de agosto de 2016 at 12:06 (3 anos ago)

    Me parece incoerente você achar que esse blog teria “mais credibilidade” e que nao seria parte interessada nesse assunto que envolve o Pres Peter.

    Também me parece estranho você estabelecer que um blog da espn tem credibilidade e outro da Globo não.

    Mais ainda é você acreditar nas palavras escritas por alguns da imprensa e esquecer os fatos vistos e reais, as brigas, as notas oficiais, a liga, etc.

    Só tem credibilidade o que serve para desmoralizar.

    ST

  8. Paulo Cavalheiro - Santos - SP
    10 de agosto de 2016 at 13:09 (3 anos ago)

    Recebi e-mail do Sócio Futebol é ingresso para domingo contra o América com preço único de R$ 120,00 (inteira) e R$ 60,00 (meia), mesmo com gratuidade até 12 anos, neste momento de crise é surreal.

    Em EP contra a PPreta tivemos inteiras a R$ 60,00 / R$ 50,00 / R$ 40,00, ou seja, o mais caro, 50% mais barato, não entendo a política.

  9. Danilo Soares Félix
    10 de agosto de 2016 at 13:16 (3 anos ago)

    Não apenas isso. Marcelo explicou que na Eslováquia não há limites de estrangeiros jogando, e que o custo fica muito menor.

  10. Danilo Soares Félix
    10 de agosto de 2016 at 13:17 (3 anos ago)

    Quase impossível no futebol moderno. Os clubes precisam fazer receita com negociações de atletas. Um case de sucesso nas divisões de base é o atleta formado em casa que dá retorno técnico e também financeiro.

  11. Danilo Soares Félix
    10 de agosto de 2016 at 13:20 (3 anos ago)

    Sobre o caso Flu/FERJ/Globo/CRF, eu já havia explicado na semana passada:

    1 – Hoje o modelo de cotas de TV do estadual é igualitário entre os 4
    grandes, com bônus pela classificação às semis,final,Taça GB e título;

    2 – Pleitos do CRF que saíram na ESPN são comuns aos do Flu, mas ali
    não cita exigência deles de cota diferenciada para renovar com a Globo;

    3 – Flu não fez acordo algum com a FERJ, mas sim com a Globo, que ainda precisa do estadual em sua grade no 1o semestre;

    4 – Flu não tem que pensar em ser parceiro do Fla, mas sim em seus
    interesses. E nosso interesse é ganhar o mesmo que os 4 no estadual;

    5 – Flu segue na briga em todas as demandas citadas na reportagem, e no
    fortalecimento da Liga, que em 2017 vai ter 8 datas, e não apenas 5;

    6 – A Liga é o principal instrumento de mudança, pois ali clubes atuam
    em bloco pelo crescimento da competição, como foi na Copa Nordeste;

    7 – O crescimento da Liga automaticamente enfraquece os estaduais e a
    FERJ, portanto, mentem os que dizem que “Flu compôs com a FERJ”;

    8 – Compor com a FERJ seria abandonar a Liga e atuar como Bota ou Vasco.
    Flu fez acordo de renovação com a Globo, e não com a FERJ;

    9 – Antes a nossa postura era apenas submissa. Com Peter, o Flu foi pra
    guerra pública, ajudou a fundar a Liga e ainda foi campeão.

    10 – Por lei precisamos disputar o estadual, então cabe a nós assinar o melhor contrato de TV que nos atenda;

    11 – Fla é aliado no fortalecimento da Liga e na luta contra a FERJ,
    mas é inimigo nas tratativas com a Globo. Tem tricolor que mistura tudo.

    Nestes itens não tem opinião, mas sim informação.

  12. Danilo Soares Félix
    10 de agosto de 2016 at 13:46 (3 anos ago)

    Clica aí Paulo, vai entender:

    http://www.flusocio.com.br/promocao-para-os-tricolores-do-es/?fb_ref=Default

    Tem um cupom no jornal que dá direito a meia-entrada. Portanto, o ingresso de fato é R$ 60,00 para todos.

    Espero que o torcedor compreenda que todos os clubes que vendem seu mando de campo normalmente exigem pagamentos das despesas com logística, passagens, hospedagens, etc, além de uma taxa de lucro fixa. O promotor de eventos de compra o jogo vai repassar isso para o preço, senão não viabiliza a operação. Desta forma, no caso típico não há hipótese do jogo custar o mesmo que jogos na cidade de origem, a não ser que exista algum subsídio por parte da Prefeitura local ou iniciativa privada, o que é raro.

  13. Paulo Cavalheiro - Santos - SP
    10 de agosto de 2016 at 13:53 (3 anos ago)

    Danilo, entendido.

    Não sabia que tínhamos comercializado o jogo, foi rápido, pois com a transferência, entendia que seria negociado direto pelo FFC.

    Valeu.

  14. Fabio DB
    10 de agosto de 2016 at 16:06 (3 anos ago)

    Realmente. As informações referentes aos atletas no projeto não são compatíveis com os objetivos do mesmo. Pelo menos aparentemente.

    Ir para o Flu Europa deveria ser prêmio para atletas com alto potencial e DEs quase que na totalidade do FFC. O investimento por atleta é altíssimo.

    Os pontos levantados merecem um esclarecimento para evitar polêmicas a frente e perda de credibilidade.

    ST

Deixe um Comentário