A torcida agora vota. Ufa, ainda bem…

socio-futebolDevido ao momento turbulento do futebol, tem sido comum nas redes sociais alguns opositores da Flusócio lançarem a afirmação “cuidado que a torcida agora vota” como ameaça à candidatura de Pedro Abad, o escolhido como candidato do nosso grupo nas eleições que ocorrerão na 2a quinzena de novembro de 2016.

Mas é sempre bom lembrar que hoje a torcida vota porque este mesmo grupo que lança o candidato Pedro Abad colocou essa premissa como bandeira imutável de campanha desde 2009, quando iniciamos um movimento de associação de fora pra dentro chamado Cidadania Tricolor.

Inexplicavelmente, por motivos que não conseguíamos compreender, o Fluminense não permitia adesão online de seus associados antes da gestão Peter Siemsen. Não era falta de tecnologia, pois a modalidade já existia em quase todos os rivais. Era simplesmente algo incompreensível do ponto de vista econômico, que só se justificava por motivos políticos.

Mas não nos resignamos com esta limitação: na base do rateio financeiro interno conseguimos contratar temporariamente uma secretária e um motoby, que ficavam responsáveis por retirar na Secretaria e enviar os formulários de cadastramento para o torcedor que queria entrar de sócio, e depois recebê-los preenchidos, juntamente com os cheques nominais ao Fluminense, para confirmar o ingresso do novo sócio. Após a adesão, finalmente nosso serviço enviava a carteirinha para o novo sócio pelos Correios ou via motoboy.

Chamávamos este movimento de SATT – Serviço de Apoio ao Torcedor Tricolor – e conseguimos mudar o panorama das eleições com a entrada de cerca de 1.500 novos sócios proprietários e/ou contribuintes no colégio eleitoral tricolor, um case de mobilização popular que vai ficar marcado na história do Fluminense.

Uma vez eleito o candidato Peter Siemsen, no início de 2012 foi criado o Pacote Futebol, modalidade que oferecia desconto de 100% nos ingressos dos jogos do Flu como mandante, mediante o pagamento de uma pequena taxa acrescida à mensalidade. A Flusócio foi muito importante na decisão de lançar este tipo de pacote, pois havia inúmeras resistências internas. O movimento provocou a entrada de mais de 4 mil sócios novos, a maioria de frequentadores massivos de arquibancada.

O processo de democratização continuou em outubro de 2012, quando a bandeira de cidadania tricolor lançada pela Flusócio desde a campanha atingiu seu ápice: em Assembleia Geral convocada para este fim, Peter e Flusócio trabalharam juntos pela aprovação da categoria Sócio Futebol com direito a voto, com mensalidade barata e carência para votar de apenas 2 anos de associação ininterruptos. Com isso transformamos o Flu num dos clubes mais democráticos do Brasil e ainda geramos uma nova fonte expressiva de receitas com a massificação dos sócios, que hoje passam de 32 mil segundo o ranking Futebol Melhor.

Alguns grupos políticos que hoje tentam insuflar o torcedor contra a Flusócio resistiram à ideia da associação em massa e fizeram campanha contra o voto do Sócio Futebol em 2012. Basta pesquisar na internet os inúmeros pronunciamentos da época.

Entendemos o momento ruim do futebol profissional e também pedimos os reforços que dêem tranquilidade e esperança à torcida, mas não temos receio de ter junto conosco o voto do torcedor, pois foi assim que nós definimos desde o início: nunca mais meia dúzia de líderes políticos definiria o futuro do Fluminense. Esta decisão é da torcida, e a torcida é soberana. Felizmente temos orgulho de afirmar que nós iniciamos todo o processo e convocamos esta mesma torcida a tornar-se mais envolvida e engajada.

  • Danilo Soares Félix

    É engraçada essa afirmação de oposicionistas: olha que agora a torcida
    vota, hein? Fazem como se todos os torcedores do Flu tivessem memória
    curta, ou como se não fôssemos capazes de narrar os fatos que nortearam
    todo este processo. A torcida agora vota sim, ainda bem. Nós da Flusócio
    sempre lutamos por isso, já outros grupos resistiram.

  • Fabiano Camargo

    Sem dúvida alguma o maior legado da atual gestão, o voto DIRETO para presidente do clube. Parabéns Flusócio!!!

  • Jefferson Alvares

    Prezados,

    Isto foi sem dúvida uma das maiores vitórias da história do clube, ou seja, a democratização da política tricolor, no qual foi promessa e bandeira da Flusocio, que lutou contra tudo e todos!

    Gostaria de ver outros grupos e ou candidatos listarem as obras que já fizeram para o bem do clube, principalmente aquelas ligadas ao sócio, infraestrutura do clube e pagamento de dividas geradas por estes ai que querem voltar!

    Pensem duas vezes antes de escolherem seus candidatos, pois prometer é fácil, agora fazer e cumprir de fato, não se encontra fácil por ai…

    ST

  • Alexandre Said Delvaux

    O maior erro dos opositores da Flusócio, grupo que tem o meu respeito, apesar de não fazer parte dele, é menosprezar a inteligência da Torcida Tricolor.

  • Sergio BindaB

    Frequentei o Fluminense de maneira assídua de 1970 a 2014, mesmo depois de ter mudado para São Paulo em 1999.

    Presencei a decadência do clube a partir do Horta, que não considero sequer um Presidente razoável do Fluminense (inaceitável o desmanche promovido por ele em 1977 e não respeito um presidente do Flu que tenha se submetido a ser um funcionário do Flamengo) e a clara ascensão ocorrida a partir do Peter. Vi muita gente desocupada se elocupetrando de cargos no clube, verdadeiros aspones, que agora querem voltar.

    Cresci no clube convivendo com grande maioria não tricolor. Tinha de tudo e certamente mais de 50% dos associados não torciam para o Fluminense. Trazer a torcida para dentro do clube talvez tenha sido o grande divisor de águas da atual administração e até hoje este fato não é aceito pela elite que dominava o clube e os associados sem nenhum compromisso com nosso time de futebol.

    Não sou integrante da Flusocio mas me identifico com as ideias e ideais do grupo. Vamos aguardar o que o Abad fala do futebol e quem seria o Flusocio responsável pelo futebol.

    De qualquer forma, tenho forte tendência de votar no grupo.

    ST

    • Jorge Eduardo

      O principal, o que o Abad tem que falar é dissertar sobre os planos pro futebol, como será feito a avaliação e a montagem do elenco (deveria ter um grupo, tipo QA para validar a escolha, a qualidade técnica e física do pretendido, o custo e se o jogador se encaixaria ao nosso esquema de jogo e se realmente seria uma prioridade.

      Falar sobre planos para patrocínios e geração de novas receitas, sem nos privar dos melhores jogadores sendo formados, falar sobre um melhor aproveitamento da nossa base e deixar de contratar xepas que não servem para nada a não ser gerar custos e tirar o lugar de outros jogadores com potencial para serem aproveitados no time principal.

    • Flu Capixaba

      Muito interessante isso que você está dizendo, com conhecimento de causa.
      Explica e justifica certas coisas que vem acontecendo, inclusive essa “teoria” de clube médio.
      ….

  • Jorge Eduardo

    Se conseguir o Sornoza, seria bem melhor.

    “No caso de Dátolo, a questão salarial e o Galo, que não deseja liberá-lo de graça, são obstáculos importantes. Em relação a Sornoza, a Copa Libertadores é o maior impeditivo. Se o Del Valle for à decisão, o jogador não poderia ser contratado, pois a janela de transferências internacionais já estará fechada.

    O meia do Galo, caso seja contratado, seria por três temporadas. Sornoza, por quatro. A diferença entre os dois está no salário. O vencimento atual de Dátolo é mais que o dobro do que o do equatoriano de 22 anos.”

    • Alexandre Said Delvaux

      Uma questão: supondo que se contrate esse cara, se der errado, qual a sua posição? E dos caras que chutaram o ônibus, qual seria? E dos blogueiros que se tornaram expertsem tudo? O negócio é torcer para os ventos mudarem e esperar as reações

      • Jorge Eduardo

        Tem menos chance de dar errado do que as outras contratações, mas pode dar errado, não sei o custo, mas talvez seja menos do que outros que foram contratados.

        Quem vestir a camisa do Flu eu vou torcer para que dê certo e se pudesse ir ao estádio, como fiz em 2009 em todos os jogos qdo ninguém mais acreditava seria para incentivar.

        Agora, cobrança tem que haver, senão a gente não vai sair dessa.
        A cobrança tem que ser na diretoria, pois é quem manda e foram os que montaram esse time.

        Sou contra a violência e contra a depredação dos bens do Flu, agora realmente não entendo porque os responsáveis pela direção do futebol, que deveriam ter experiência no assunto erraram tanto e tem tanta gente defendendo e censurando as críticas que são feitas com inteira razão.

        Erraram, tentem consertar, mas não pequem pela omissão e não repitam os mesmos erros.

  • Fabio DB

    O problema do ônibus foi causado por pessoal do Celso Barros?

    Fica difícil de acreditar. Nem o Eurico faria uma sandice dessas.

    ST

  • Diogo Cavalcanti

    Se isso é torcer pelo Fluminense então eu não sou torcedor.

    http://www.netflu.com.br/vandalos-chutam-onibus-do-fluminense-na-saida-do-clube-e-avariam-veiculo/

    Não sei o que se passa na cabeça de quem toma uma atitude dessa contra o clube, não é causando prejuízo que se vai chegar a algum lugar.

    Deixo aqui a sugestão para o clube colocar cameras externas para inibir atitudes que acabam lesando o clube tais como agressões, pichações e danos ao patrimônio.

    Que sejam entregues as autoridades com queixas.

    Custa dinheiro ter essas cameras? Com certeza. Talvez seja mais em conta do que ter seguranças extras para conter invasões ou reparos ao patrimônio.

    Com essa atitude, logo logo vai ter o primeiro maluco que será identificado e responderá por suas atitudes. Ai quem sabe as coisas não passam do limite.

    Se não é possível com a educação, que haja punição.

    Chega de abaixar a cabeça para quem diz torcer pelo clube e só causa prejuízos. A pouco tempo o Atlético-PR fez uma carta espetacular contra suas organizadas. Cada vez mais chega a hora de separar a torcida de quem só usa o termo “torcer” para justificar a baderna.

    • Fabio DB

      Você vai arrumar vários desafetos nos blogs. Esses tricolores acham que isso ajuda a “performance” em campo.

      Para eles isso é apenas “pressão”… “não se pode tratar quem ganha 300 mil como bebê,” dizem.

      Parece que foram abduzidos pela cultura da violência. Como se fosse normal. Ignorância e boçalidade também tem admiradores.

      ST

  • Flavio Chammas

    Senhoras

    Isto ajuda ou resolve?

    “Vândalos chutam ônibus do Fluminense na saída do clube e avariam veículo
    Tarde desta terça-feira foi marcada por protesto nas Laranjeiras”

    Este ano se não der uma melhorada boa no futebol vai ser ph#d@

    • Alexandre Said Delvaux

      Por que não deram cabeçadas? Seriam mesmo torcedores do FLUMINENSE? Representam que parcela da Torcida Tricolor? Se o time melhirar o que farão?

      • Claudio Souza

        O pior é que o problema do time não é falta de garra ; é fraqueza mesmo.
        Muita idiotice, isso !

        ST

        • Alexandre Said Delvaux

          Mas é sortudo….foi campeão da Primeira Liga. Quem sabe dá sorte na copa do Brasil? Na minha humilde opinião, trocando os laterais (façam um trabalho especial com o Jonathan e arrumem um lateral esquerdo, qualquer um…) e o Scarpa voltando a jogar (dizendo que está no sacrifício) e otime volta pro jogo. E uma atmosfera positiva ajuda, logo se começar a ganhar…

        • Alexandre Said Delvaux

          Mas muito sortudo, afinal foi campeão da Primeira Liga.

    • Jefferson Alvares

      Prezado Flavio,

      Vândalos ignorantes, que sequer se preocupam com o patrimônio do clube.

      Aliás, será quantos daqueles ali são sócios?

      St

    • Oscar Möller
    • Alexandre Said Delvaux

      Torcedor que chuta ônibus, rasga calça pela cabeça ou qualquer coisa parecida, não me representa. Tanto quanto alguns outros falando em nome da Torcida do FLUMINENSE, pedindo um suposto FLUMINENSE de volta, estes também não me representam, e por um motivo bem simples: – Depende de qual FLUMINENSE eles querem. O que não pagava as contas, o que permitiu a montagem de um circo nas Laranjeiras, o que contratava sem suporte financeiro, sabendo que não podia pagar; o que permitiu a completa degradação da estrutura de treinamento do time profissional, faltando até água para matar a sede dos jogadores e funcionários; o que envergonhava os jovens atletas em Xerém; o que serviu para satisfazer egos vaidosos…este “fluminense” tem que permanecer onde está, no limbo, no ambiente desses indivíduos (não vou qualificá-los com as palavras usadas por eles mesmos), inocentes úteis ou mal intencionados. Que fique este “fluminense” com os seus “chutadores” de ônibus, atiradores de pedras ou torcedores profissionais, que se revoltam porque não podem mais tirar do FLUMINENSE o que o FLUMINENSE não tem ou não pode dar.

  • Leandro

    Será uma profunda decepção pra mim, se não houver votação pela Internet.
    Quem mora fora do RJ, como eu, paga a mensalidade apenas para contribuir, pois não consegue ir os jogos com frequência (aliás nem que mora no RJ, consegue). Deixar esse torcedor de fora da eleição é um desrespeito.
    ST

    • Jorge Coutinho

      Leandro concordo em parte.
      Mas como instalar um processo desse tipo sem que isso contamine a veracidade das eleições?
      Como em qualquer eleição.. Acredito que a melhor forma séria nos grandes centros aonde o socio torcedor esteja ter urnas com fiscais. Mas isso demandaria uma logística e um custo maior. O clube estaria apto?

      ST

  • Flu Capixaba

    A repetição incessante dos erros e absurdos nas negociações leva a crer que não é apenas incompetência. No mínimo, são reféns de empresários.
    Daí vem a descrença da torcida.
    O Flu é clube de Football. O resto (CT, Xerém, CND), some na paixão do torcedor.

    • Jorge Eduardo

      Concordo, CT, Base, CND, finanças são muito importantes, mas ter um time de futebol que jogue um bom futebol, que honre as nossas tradições e que brigue por títulos é fundamental.

      A torcida não vai perdoar mais um rebaixamento. Espero estar errado, mas não vejo o JM como o dirigente que irá nos tirar dessa crise.

  • Ricardo Ferreira
  • Mauro Carvalho – SP

    COLUNA DO JOÃO LEONARDO MEDEIROS NO PANORAMA TRICOLOR:

    O CARA ESTÁ COM TODA A RAZÃO.

    Alguém tem de dar um toque no Gum, no Levir e no resto do elenco para lavar a boca antes de falar da torcida do Fluminense, a Soberana. Se o time é fraco, o elenco pior ainda, se o clube não se preparou para mandar jogos no Rio durante um evento marcado há sete anos, se estamos há três anos jogando para meio de tabela, se venderam Conca e Fred para comprar a dupla Henrique + Henrique Dourado, nada disso é culpa da torcida. A torcida é vítima, não agressora.

    O caso aqui é idêntico ao de uma vítima de agressão doméstica ou coisa pior. Sempre aparece um idiota para culpar a vítima, mesmo quando se trata de um crime contra a vida, de estupro ou coisa igualmente abjeta. Sempre aparece um filho da puta, com o perdão da palavra, para relativizar a agressão, para tentar encontrar uma perspectiva favorável ao agressor. Sempre aparece um sem-vergonha para expor ao público um deslize do passado da vítima, que nada tem a ver com a agressão, sempre injustificável.

    Pois bem, o Fluminense e sua torcida vêm sendo brutalmente agredidos há muito tempo. A torcida é obrigada a pagar caríssimo para assistir o time em estádios horrorosos, tem um programa de sócio-torcedor simplesmente patético, é forçada a torcer por times sem mínima qualificação, até recentemente conduzidos por treinadores semiamadores. Esse ano, a situação atingiu o ápice, não por se tratar de ano eleitoral, mas por trazer consigo dois agravantes: primeiro, um passado recente de vergonhas cumulativas, que tiraram por completo o tesão da torcida; segundo, por estar claro para qualquer um que o problema não é falta de grana.

    Isso precisa ser ressaltado. A saída da Unimed não ameaçou as finanças do clube. A tal gestão do clube poderia apresentar isso como um feito incrível, histórico, mas simplesmente não pode fazê-lo porque pegou a grana que tinha à disposição, e não era pouca, e torrou irresponsavelmente. Torrou e vem torrando. Os números todos conhecem. Só no Henrique, projeto de zagueiro, foram 10 milhões cash, mais salários altíssimos, de 400 mil reais, segundo saiu na imprensa. Os contratados todos vieram a peso de ouro, 200 mil num, um pouco menos em outro, grana para cacete. Numa conta de padaria, calculo que gastaram uns 30 milhões para montar o elenco que temos, sendo 25 milhões em três jogadores, Henrique, Richarlison e, agora, Henrique, o Dourado. Dourado não estreou, mas não tem passado que o recomende a assumir a camisa nove de Fred.

    Vejam, isso nada tem a ver com CT, uma grande realização, em meu juízo. Há, na verdade, muitos indícios de farra de empresários nas Laranjeiras nos últimos anos. Muitos mesmo. Por exemplo, Douradão aí e William Matheus são clientes de Meer Kaufmann, agente cuja empresa, segundo consta, tem como advogado Fernando Carvalho, ex-dirigente do Inter, de onde veio… nosso gerente de futebol, Macedão. Pode estar tudo nos conformes? Pode, é claro. Mas é tão estranho como o pacote de Eduardo Uram que contratamos ano passado, como a presença sempre viva de Francis Melo. São esses sinais, não provas definitivas, obviamente, pois, se as tivesse, já teria denunciado há tempos.

    Então, mais uma vez, que fique claro: o Fluminense não está uma draga nos últimos dois anos porque saiu a Unimed, porque estamos sem patrocínio máster ou por causa da construção do CT. O buraco em que nos meteram tem menos a ver com falta de dinheiro e mais a ver com falta de saber o que fazer com o dinheiro. Vendem Fred alegando peso nas finanças. E compram a peso de ouro um centroavante. Isso depois de ter investido, no começo do ano, 10 milhões no centroavante que ocuparia a 9 depois da saída do ídolo.

    A história do estádio também é bizarra. Depois de sete anos, o clube resolve fazer um arremedo no campo do América. Vai estreá-lo em julho. Atenção: a temporada comendo solta desde o início do ano, nós já a três ou quatro meses sem estádio na cidade, e o clube vai preparar um estádio para… julho. E o ingresso não vai ser barato, não vai ter preços populares, coisa alguma, a não ser que a gente fique na zona de rebaixamento. Quando isso acontece, a direção do Fluminense lembra que seu povo existe.

    Quem mais sofre com tudo isso são os torcedores comuns, aqueles que gostam de acompanhar o time, mas não necessariamente o clube. As maiores vítimas são aqueles que gostam de futebol mesmo, que fariam todo o possível para frequentar o estádio, mas que infelizmente não podem imprimir dinheiro em casa ou pedir ao patrão para entrar mais tarde no trabalho porque chegaram na madrugada do jogo em Volta Redonda. O clube empurrou essa galera, primeiro, para o bar perto de casa, depois, para qualquer outra coisa, teatro, cinema, festa infantil, campeonato inglês, porque ninguém aguenta o “futebol” que o Fluminense praticou na maioria absoluta das partidas dos últimos três anos e meio.

    Mas não é que, na cabeça da direção do clube, a culpa é da torcida, que não apoia, não vai ao estádio? Esse é o discurso das forças dirigentes, que acaba sendo reproduzido por treinadores e jogadores. Vão todos vocês para o inferno. Todos, sem exceção. A torcida do Fluminense, a Soberana, sempre esteve com o time, com o clube, para o que der e vier. Sempre esteve e continua a estar, mesmo à distância. Se a torcida está torpe, letárgica, insensível, a culpa é sua, dirigentes e forças da situação, é sua Siemsen, é sua Macedo e anteriores (Simone e Bittencourt inclusive), é sua Flusócio. Antes do último “governo” Siemsen a torcida estava no estádio. Teve mal um ou outro jogo, mas estava lá, mesmo sendo sacaneada todo jogo na compra de ingressos, no acesso ao estádio, nas coisas mais banais. São vocês os culpados pelo desaparecimento da torcida.

    Creio que vocês não conheçam mesmo o torcedor comum do clube. Aquele que mora em bairros populares, mulheres e homens do povo, que se orgulham das três cores. Esses formam a maioria absoluta da nossa torcida, são o corpo e a alma da Soberana. Amor de torcedor deve ser cultivado, cativado, como qualquer amor. A atual gestão do Fluminense pisa no torcedor e depois o acusa de entrar debaixo do seu coturno.

    A adesão, consciente ou não, ao movimento nacional de exclusão do povo dos estádios, a gentrificação deliberada cuja expressão maior são as tais arenas, vem matando todas as torcidas, sobretudo a nossa torcida, que se concentra numa cidade decadente de um estado decadente. Tem idiota que diz: mas o Corinthians joga para 20 mil todo jogo em Itaquera. Primeiro, o Corinthians tem disputado absolutamente tudo que participa. Segundo, o Corinthians tem sede em São Paulo e contou com a mídia para espalhar-se por todo país. Terceiro, 20 mil é muito pouco para o Corinthians, equivale a 1.500 para a gente. Façam as contas pelo tamanho da torcida.

    Vai aparecer alguém para dizer que a coluna é politicamente orientada, é coisa da oposição. Pois bem, eu me antecipo então. É claro que a coluna é politicamente orientada (todas são), no caso, de oposição, porque eu não estou nem um pouco satisfeito com o que vem acontecendo no clube. O curioso é que, há três anos, eu, sócio que sou, votei em Siemsen, acreditando que o problema do clube era a dupla gestão com a Unimed. Estava errado e não vou repetir o erro mantendo à frente do clube o grupo que o apoiou nos últimos anos. Quem vou apoiar? Isso não decidi, mas na situação eu não voto e não recomendo que se vote. O momento é de oposição.

    • Ricardo Ferreira

      Soberana.

      Gostei. Tomara que pegue.

      Parabéns ao blogue da Flusócio por ser espaço valoroso de discussão sobre nosso amado Fluminense.

      Esse é um momento precioso para que TODOS que querem e DEVEM, exponham suas posições, sua opiniões frente a uma situação tão grave.

      A hora é essa.

  • Alexandre Magno Barreto Berwan

    Ajude a evitar uma grande vergonha, compre o ingresso, e se der, vá ao jogo:

    http://www.fluminense.com.br/site/futebol/transparencia/venda-de-ingressos/

    • Alexandre Magno Barreto Berwan

      Continuamos sem poder comprar no Portal do Sócio.

      • Alexandre Magno Barreto Berwan

        Se houver algum problema operacional que justifique isso, pelo menos coloquem a possibilidade de comprarmos os ingressos para a nossa partida com mando de campo.

        A nossa organização de venda de ingressos coloca a frequência muito dependente dos resultados do campo, do clima..etc…

  • Alexandre Magno Barreto Berwan

    Espero que Henrique Ceifador seja lançado em algum jogo de repercussão, em estádio adequado, ou em Giulite Coutinho para a costumar a Torcida Tricolor ao estádio.

  • Jorge Eduardo

    O Dátolo tinha que ser um contrato curto e por produtividade, jogou tantas partidas no time titular sem se contundir, recebe um bônus. O Maicosuel se estiver bem, vale a pena. Diego é bom, mas tem uma certa idade e tem que ver quanto pediria.

  • Marcelo Teixeira

    Caramba Rodrigo! Excelente! Brilhante! Bem grande o texto, mas valeu muito a pena a leitura! Vc deu ótimas e simples idéias!

    Acho que o candidato da flusocio vsi esperar contratarem os meias…ver se o time anda e só assim aparecer. E se o time não morar a contento,pode ser tarde demais…

    St

  • Marcelo Teixeira

    Concordo! Já falei sobre isso. Embora Diego seja bem msis caro. Mas quem chama mais a torcida? Quem tem muito mais qualidade pra oferecer?

  • Oscar Möller

    A democratização do clube sempre foi bandeira deste grupo. O nome dele já diz tudo. Acho curioso essa oposição de hoje querer bradar e brindar o sócio futebol, quando se posicionou contra na época da assembléia geral que lhes deu esse direito. Não temos memória curta, isso não vai cair no esquecimento

  • Alexandre Magno Barreto Berwan
  • Ricardo Ferreira

    O Fluminense precisa de ideias e de ações.

    De projetos, de planejamento, de gente que meta a mão na massa.

    Nosso Fluzão nunca estará só. Nunca.

    Década de 1990 nunca mais!

    Aprendendo com os erros, avançando. Retroceder jamais!

  • Ricardo Ferreira

    Treino. Muito treino. À exaustão.

    Vamos trabalhar seu Levir!

    Mas com OsValdo e Giovanni não. Pelamordedeus! Hehehehe!

  • Thiago Resende

    Antes de entrar na Flusócio, atendi o chamado do grupo e voltei a ser sócio do clube em 2012!! Se hoje a torcida está tendo a oportunidade de votar e participar diretamente na escolha do presidente do clube, podem ter certeza que este grupo lutou muito por isso! Como um colega falou, o nome fala por si!

    Sei que o momento no futebol é complicado e temos a exata noção dos erros cometidos pela gestão! As cobranças internas estão sendo feitas e em breve as propostas e projetos do Abad serão apresentados para nossa torcida! ST

  • Sergio BindaB

    Grande presidente!!!

    ST

  • Vitor Perez – Resende – RJ
  • Fabio DB

    Fica a dúvida por que foi informado que os bagunceiros gritavam em coro o nome do Celso antes.

    Mas é até difícil acreditar pelo tamanho da tolice.

    ST

  • Flavio Chammas
  • Flavio Chammas

    SENHORES

    NOSSO AGRADECIMENTO AO PEDRO ANTONIO TEM QUE SER ETERNO.

    NÃO É SÓ O ADIANTAR O DINHEIRO, É PEGAR FIRME LA TODO DIA.

    NÃO TINHA NADA ALI A SEIS MESES.

    http://www.netflu.com.br/videos-perspectivas-do-bandeirao-do-fluminense-no-ct/

  • Flavio Chammas

    Senhores

    “Marlon no Barcelona: futura venda pode render até R$ 20 milhões ao Flu”

    ??????????????????????

  • Vitor Perez – Resende – RJ

    Ótimo post, Uma das coisas que me levaram a me associar, foi o direito ao voto.
    A torcida tem que decidir o futuro do seu clube do coração.

    Bom, ainda estamoem julho. Sei que há um projeto de estádio a ser lançado pelo Peter/Flusócio. O CT em contagem regressiva para a sua inauguração.

    Mas confesso, que estou ansioso para ver as propostas do Abad e do grupo, para o futebol, o que é de maior importância para todos nós.
    Tem que ser o principal projeto.

  • Danilo Soares Félix

    Perdemos hoje um grande tricolor: Jorge Magal, um dos fundadores da Flusócio, idealizador do site Flumania. Descanse em paz, guerreiro.

    • Juliano F Pacheco

      Grande perda! Antes do blog flusócio e da popularização do youtube eu vivia no Flumania para rever os lances das partidas e momentos históricos do Fluzão!!! Pouco tempo atrás busquei pelo site novamente e percebi que o mesmo foi descontinuado, era uma excelente ideia e poderia ser reproduzida no canal do Flu no youtube ou outra midia do tipo.

  • Danilo Soares Félix

    A eleição será num sábado.

  • Jorge Eduardo

    Esse zagueiro que acabou de contratar, segundo um colega que mora em Rosário, é muito bom. De qq forma nossa preocupação tem que ser o Fluminense e devido ao monte de besteiras feitas na montagem do elenco, não dá para defender ninguém do nosso dept de futebol.

    • Alexandre Said Delvaux

      E esse colega seu, quemora em Rosário, é phd em futebol, técnico ou coisa assim?

      • Jorge Eduardo

        Não, apenas torcedor como nós somos e nesse caso o camarada é argentino e torcedor do Rosário e estava lamentando a saída desse jogador.

        • Alexandre Said Delvaux

          Não. Se é igual a todo mundo, pode errar ou acertar. Claro que excluo os especialistas, essem sabem demais. O FLUMINENSE nas mãos deles, seria campeão de tudo. No caso do seu colega de Rosário: será que ele pode informar também se os argentinos especulados no FLUMINENSE são bons ou não?

          • Jorge Eduardo

            Vou perguntar depois sobre esse camisa 10 do Racing, mas esses jogadores que o JM mira, tem sempre o mesmo problema de pedirem um valor muito alto que o Fluminense não pode pagar e depois aparece outro clube e contrata outro jogador tão bom quanto o que queremos, pagando bem menos… isso de inflacionarem nas pedidas vem desde os tempos da Unimed.

  • Juliano F Pacheco

    Parabéns!!!! Não se precisa de ideias mirabolantes para se alcançar o sucesso, a simplicidade de suas sugestões é o que o Flu precisa para voltar a ser POPULAR como antes dos anos 90. Suas sugestões deveriam estar no projeto de todas as chapas.

    É DA MASSA QUE VIVE UM CLUBE DE FUTEBOL!!!! POR UM FLUMINENSE PRÓXIMO À MASSA!!!!

  • Thiago Resende

    Julio,
    Em breve o Abad vai se manifestar e apresentar os projetos e planos para o Fluminense! A campanha está apenas começando, logo vc vai conhecer mais todas as suas credenciais! Já esteve a frente do conselho fiscal como presidente, conhece a realidade financeira do clube, não é nenhum aventureiro. Com certeza tem muito a acrescentar ainda!ST